Filmes sobre sustentabilidade: 8 sugestões para você aprender mais sobre o tema

Que a palavra sustentabilidade está na moda, isso ninguém pode negar. Mas que bom, né?! Afinal, é justamente graças a esse tema e a consciência ecológica que as pessoas estão tendo que o meio-ambiente ainda pode vislumbrar uma salvação. No entanto, a grande verdade é que parece que o assunto não tem fim e fica cada vez mais difícil de fixar os conceitos que vão surgindo ao longo do tempo… O lado bom da história é que não faltam filmes sobre sustentabilidade para nos ajudar nesse processo de memorização e aprendizado.

Tv, Homem, Assistindo, Quartos, Escritório, Moderna
Que tal ver filmes sobre sustentabilidade? Com certeza, essa será uma das melhores formas para você aprender mais sobre o tema.

Se quer aprender mais sobre o tema, então veja abaixo a lista que nós fizemos para você. São diversos filmes que estão aí e que irão lhe auxiliar nos seus conhecimentos a respeito da sustentabilidade. E sejamos sinceros: há maneira mais divertida do que aprender vendo filmes?! Não, né?! Então, se joga nessa lista e aprenda mais sobre o assunto!

Filmes sobre a sustentabilidade para assistir na Netflix

Como hoje em dia é quase impossível alguém não ser assinante da Netflix, então nada mais justo do que deixarmos uma lista de filmes sobre sustentabilidade para você assistir pela plataforma, não é mesmo?! Assim, você conseguirá aprender mais sobre o tema sem precisar ficar pesquisando muito sobre e nem ter que arcar com isso. E aí, animado para saber quais são as nossas sugestões?!

8 – Terra

Como diria a sua própria sinopse: “Com um visual arrebatador, este documentário reflete sobre a nossa relação com outras criaturas do mundo à medida que a humanidade se afasta cada vez mais da natureza”. É assim, então, que o filme Terra é apresentado a seu público, mostrando qual é o seu verdadeiro potencial.

O documentário de 90 minutos dirigido por Alaistair Fothergill e Mark Linfield é de tirar o fôlego de qualquer um. Isso porque, ao longo da história, o filme mostra claramente como ainda somos capazes de mudar o nosso futuro apenas olhando de forma diferente para a vida. Ou seja, é praticamente um tapa na nossa cara, que nos faz acordar e refletir sobre nossas atitudes em relação ao meio-ambiente.

7 – Mission Blue

Outro documentário imperdível sobre o tema é o Mission Blue, dirigido por Robert Nixon e Fisher Stevens. O filme retrata a campanha da oceanógrafa Sylvia Earle para salvar os oceanos do mundo de várias ameaças, como a pesca abusiva e os resíduos tóxicos, evidenciando, assim, a importância da preservação do nosso planeta.

Com certeza, o Mission Blue é um dos melhores filmes sobre sustentabilidade. Ele não é pudico em mostrar quais os impactos que nós estamos deixando para o mundo e muito menos poupa alguém da responsabilidade de proteger a nossa casa, os nossos mares e a nossa natureza como um todo.

6 – Como Mudar o Mundo

Não há quem não conheça o GreenPeace, uma das maiores, se não a maior, organizações ativistas ambientais, cujo foco está, principalmente, nas questões que envolvem a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável. Se você não conhece a história da organização, então saiba que o documentário Como Mudar o Mundo irá resolver esse seu problema.

Como já deu para entender, então esse filme nada mais é do que um relato sobre a história do Greenpeace e como tudo começou. Embora não seja um dos típicos filmes sobre a sustentabilidade, é importantíssimo que você conheça mais sobre a organização e, quem sabe assim, fique mais animado a atuar em prol do planeta.

5 – Seremos história?

O documentário de 2016 Seremos história? é produzido por ninguém mais, ninguém menos, do que o Leonardo DiCaprio. Para quem não sabe, além de um excelente ator, ele é um dos famosos mais importantes no ativismo ambiental, fazendo, inclusive, grandes doações para o Fundo da Floresta Amazônica.

https://www.youtube.com/watch?v=UYnLaNgyZQs

Sobre o filme, ele diz respeito aos 3 anos de viagens pelo mundo do ator, nomeado mensageiro da paz pela ONU, em busca de respostas sobre as mudanças climáticas. Cientistas renomados, Barack Obama, Bill Clinton, John Kerry e até o Papa Francisco fornecem o seu ponto de vista sobre a questão. Além disso, Leonardo di Caprio nos leva à linha de frente da batalha contra as mudanças climáticas, mostrando as suas consequências e as ações necessárias para minimizá-la.

4 – The True Cost

Para quem gostou do nosso texto sobre o conceito do Upcycling, um filme que pode ser bastante interessante e que fará qualquer um refletir sobre o consumismo é o The True Cost, que abrange as questões econômicas, sociais e ambientais da indústria da moda “fast fashion” .

Filmado em diversas localidades ao redor do planeta, o documentário busca detectar os diferentes aspectos e impactos desta indústria baseada apenas no lucro e no crescimento ilimitado. No final do filme, será impossível não refletir em como as empresas podem ser capazes de colocar a sua lucratividade acima de todos e como nós temos uma parcela de responsabilidade nesse comportamento destrutivo.

3 – A Plastic Ocean

Seguindo mais ou menos a mesma temática do Mission Blue, o filme A Plastic Ocean mostra um documentarista que investiga os impactos da poluição ambiental ao descobrir que os oceanos do planeta estão repletos de plástico. É impossível não assistir a esse documentário e não se questionar a respeito do uso do material e o quão nocivo que ele é ao meio-ambiente.

Para quem não se lembra, inclusive já falamos sobre esse assunto diversas vezes aqui no blog. Recomendamos fortemente que se leia a nossa publicação “Consumo de plástico no seu dia-a-dia: por quê e como reduzir?”. Com certeza, ao ver o filme e ler o nosso o texto, você vai pensar várias vezes antes de consumir mais plásticos.

2 – Minimalism: a documentary about the important things

Quem acompanha o blog, provavelmente não estranhou ao ler esse título, não é mesmo?! Afinal, falamos sobre ele no nosso texto sobre minimalismo. Aliás, se você ainda não leu essa nossa publicação, recomendamos que leia. Com certeza, é um assunto interessantíssimo para você que está querendo saber mais sobre sustentabilidade.

Pois bem, o documentário Minimalism: a documentary about the importante things traz à tona justamente a questão do minimalismo e como seguir o estilo de vida minimalista pode nos proporcionar a verdadeira felicidade. Em um mundo onde as pessoas ficam todo o tempo online, compartilhando da sua “incrível” vida, desapegar-se é mais do que bom – é quase que uma questão de sobrevivência.

1 – Cowspiracy: o segredo da sustentabilidade

Cowspiracy é, provavelmente, um dos filmes sobre sustentabilidade mais conhecido hoje em dia pelo público em geral. O documentário, que trata de um assunto bastante polêmico da nossa sociedade, a indústria agropecuária, já foi motivo inclusive de publicações de famosos brasileiros, como foi o caso da Anitta.

Toda a sua popularidade tem uma razão: o filme é extremamente eficiente em tocar na nossa ferida. Questão é que ele demonstra como a agropecuária intensiva está dizimando os recursos naturais do planeta e por que essa crise tem sido ignorada por grandes grupos ambientalistas. O Cowspiracy nos faz questionar até onde vale comer carne em detrimento tão grande do planeta. E aí, será que você está disposto a conhecer a verdade e tirar esse alimento do seu prato?! Pois é…

Como ser um consumidor consciente?

Em um mundo em que as pessoas estão cada vez mais refletindo sobre suas próprias ações e como elas impactam o meio-ambiente, seria, então, inevitável que tais reflexões atingissem também a relação com o consumo. Justamente por isso, discussões sobre como se tornar um consumidor consciente tornam-se comuns em rodas de conversa.

Woman, Shopping, Lifestyle, Beautiful, Adult, Bags
Como se tornar um consumidor consciente?! Eis a questão!

Se deseja seguir um caminho mais sustentável nos seus modos de consumir, mas não sabe por onde começar, saiba que esse texto será uma super mão-na-roda para você. Nele, falaremos mais sobre o conceito e os seus 12 princípios norteadores propostos pelo Instituto Akatu, uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente. E aí, vamos aprender mais sobre o assunto e como nos tornarmos um consumidor consciente?

O que é o consumo consciente?!

Para falar sobre consumo consciente, nada melhor do que parafrasear a definição proposta pelo Instituto Akatu. Segundo a mesma, “consumir consciente não é não consumir, porque é impossível. Mas é consumir menos e diferente, tendo no consumo um instrumento de bem estar e não um fim em si mesmo; é consumir solidariamente, buscando os impactos positivos do consumo para o bem-estar da sociedade e do meio ambiente; é consumir sustentavelmente, deixando um mundo melhor para as próximas gerações.”

Ou seja, um consumidor consciente opta por mudar o seu estilo de vida e o seu padrão de consumo em prol da sociedade e do meio-ambiente. Passa, então, a consumir menos, porém com maior sabedoria e necessidade, pois sabe que o reduzir não significa perder qualidade de vida. Na verdade, é possível mantê-la ou até melhorá-la, tendo em vista que o consumir de maneira sustentável implica em ter menos, porém em ser mais.

Supermarket, Stalls, Coolers, Market, Food, Fresh, Shop
Um consumidor consciente opta por mudar o seu estilo de vida e o seu padrão de consumo em prol da sociedade e do meio-ambiente.

Mas o conceito do consumidor consciente vai ainda além. A pessoa comprometida com a sustentabilidade considera não somente a questão do consumir menos, mas também a variável ambiental no momento em que o consumo se faz necessário, preferindo, portanto, produtos mais ecológicos. Inclusive, graças a esse seu comportamento, que “boicota” os produtos não considerados sustentáveis, tais consumidores passaram a ser a mola propulsora para o uso e desenvolvimento de tecnologias limpas, gerando, portanto, mudanças nas matrizes energéticas e tecnológicas do sistema de produção.

Princípios norteadores do consumidor consciente

Frente a essa nova realidade do consumidor consciente, o Instituto Akatu propôs 12 princípios norteadores para este grupo que, aplicados no cotidiano, são capazes de inserir a sustentabilidade na humanidade. Seguem, abaixo, esses princípios.

Shopping, Fashion, Purchasing, Bag, Sale, Woman, Shop
Conheça os princípios norteadores para você se tornar um consumidor mais consciente.

1 – Planeje suas compras: Não seja impulsivo nas compras. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.

2 – Avalie os impactos de seu consumo: Leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.

3 – Consuma apenas o necessário: Reflita sobre suas reais necessidades e procure viver com menos.

4 – Reutilize produtos e embalagens: Não compre outra vez o que você pode consertar, transformar e reutilizar.

Electronics, Repair, Technical Assistance, Notebook
Reutilizar o que já tem e consertar aquilo que é possível são atitudes de um consumidor consciente.

5 – Separe seu lixo: Recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.

6 – Use crédito conscientemente: Pense bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e esteja certo de que poderá pagar as prestações.

7 – Conheça e valorize as práticas de responsabilidade social das empresas: Em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade. Valorize as empresas em função de sua responsabilidade para com os funcionários, a sociedade e o meio ambiente.

8 – Não compre produtos piratas ou contrabandeados: Compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.

Girl, Woman, Shop, Souvenirs, Shelf, Work, Shopping
Não comprar produtos falsificados é lei básica de um consumidor consciente.

9 – Divulgue o consumo consciente: Seja um militante da causa – sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas.

10 – Reflita sobre seus valores: Avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo.

11 – Cobre dos políticos: Exija de partidos, candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática do consumo consciente.

12 – Contribua para a melhoria de produtos e serviços: Adote uma postura ativa. Envie às empresas sugestões e críticas construtivas sobre seus produtos/serviços.

Atitudes que correspondem ao consumo consciente

Não bastassem os princípios norteadores, o Instituto Akatu também listou algumas atitudes que correspondem ao consumo consciente, as quais estão classificadas em quatro grupos. São eles: 1) Economia (práticas que pressupõem o benefício direto ao indivíduo); 2) Planejamento (práticas que pressupõem a otimização racional de recursos); 3) Reciclagem (práticas diretamente ligadas ao descarte, reuso e reaproveitamento de materiais); e 4) Compras sustentáveis (práticas que indicam a sensibilização no plano do consumo e mobilização do indivíduo diante das causas de Sustentabilidade).

Writing, Pencil, Note, Shop, Pink, Seller, Paper
Dentre as atitudes de um consumidor consciente, há o planejamento de suas compras.

Sobre as atitudes, que estão listadas logo abaixo, você verá que, em sua grande maioria, são ações sustentáveis básicas que você provavelmente já deve estar aplicando no seu dia-a-dia. De qualquer modo, vale a pena citá-las para jamais nos esquecermos de termos tal comportamento. Bom, vamos a elas:

• Fechar a torneira enquanto escova os dentes
• Evitar deixar lâmpadas acesas em ambientes desocupados
• Esperar os alimentos esfriarem antes de guardar na geladeira
• Desligar aparelhos eletrônicos quando eles não estão sendo usados
• Planejar as compras de alimentos
• Planejar compra de roupas
• Pedir nota fiscal quando vou as compras, mesmo que o fornecedor não a ofereça espontaneamente
• Planejar as compras de alimentos
• Planejar compra de roupas
• Ler atentamente os rótulos antes de decidir uma compra
• Quando possível, utilizar também o verso das folhas de papel
• Separar o lixo para reciclagem
• Passar ao maior número possível de pessoas as informações aprendidas sobre empresas e produtos
• Comprar produtos orgânicos nos últimos 6 meses
• Comprar produtos feitos com material reciclado nos últimos 6 meses

Hands, World, Map, Global, Earth, Globe, Blue, Creative
Ao optar por ser um consumidor consciente, você torna o responsável por transformar o mundo em um lugar melhor.

E aí, o que achou dos princípios norteadores e das atitudes listadas pelo Instituo Akatu?! Fez sentido para você que quer se tornar um consumidor consciente ainda melhor? Esperamos que sim e que as listas possam ter sido úteis a você! Boa sorte a essa sua nova jornada!

Como organizar uma festa infantil sustentável

A cada dia que se passa, termos como lixo zero e minimalismo vêm ganhando força. Não à toa! Com um mundo mais consciente e preocupado em relação aos assuntos que envolvem a sustentabilidade do meio-ambiente e das nossas gerações futuras, não haveria como o comportamento humano permanecer o mesmo.

Birthday, Girl, Happy, Celebration, Child, Cute, Party
Com um mundo cada vez mais preocupado com o meio-ambiente, nada mais justo que que fazer uma festa infantil sustentável a seu filhote.

Como consequência, passamos a repensar nossa maneira de viver e experienciar os momentos – como é o caso dos aniversários infantis. Já parou para pensar o tanto de lixo que esse único momento de comemoração gera? Pois é! Por isso, escrevemos esse texto pensando em você, que tem um pequeno em casa e quer dicas de como organizar uma festa infantil sustentável. Vamos saber mais?

Como fazer uma festa infantil sustentável?!

Com certeza, um das maiores preocupações dos pais que têm consciência ambiental é a respeito dos resíduos gerados em decorrência de seus filhos. Seja em fraldas, roupas, que constantemente não lhes servem mais, embalagens de presentes ou até mesmo os próprios brinquedos, a verdade é que, se não prestarmos a atenção necessária, as crianças acabam gerando muito, mas muito lixo ao mundo. Isso, é claro, também envolve as festas infantis.

Então, como fazer uma festa infantil sustentável?! O que parece ser praticamente impossível é, na verdade, bem viável. Fazendo as escolhas certas e dedicando um tempo na preparação, é possível sim comemorar os anos dos seus pequenos sem criar tanto impacto negativo ao meio-ambiente.

Cake, Party, Child, Birthday
Fazer uma festa infantil sustentável é bem possível, mas precisa de tempo e dedicação.

Se você quiser aprender então como preparar uma festa infantil sustentável, fique tranquilo, pois é justamente sobre isso que iremos falar agora! Com as dicas que daremos a seguir, sua festa ficará em paz com a natureza! E aí, simbora?!

Dicas para uma festa infantil sustentável: tudo o que você precisa saber

1 – Preparativos

Infelizmente, não há escapatória: se você quer organizar uma festa infantil sustentável, gerando a menor quantidade de resíduos possível, saiba que esse processo demandará sim do seu tempo – e muito, para sermos sinceros. No entanto, cada minutinho despendido nesse projeto valerá à pena, pois, além de preparar com todo o cuidado e amor do mundo a festa de aniversário do seu filho, você passará, por meio desse momento tão especial, valores que ele levará para a vida.

Celebration, Party, Gift, Ornament, Design, Surprise
Cada minuto gasto preparando a festa infantil sustentável do seu filho valerá a pena.

Como são muitos detalhes nos preparativos, colocaremos em tópico para facilitar a sua leitura. Vamos nessa?!

– Escolhendo o lugar: o melhor lugar para realizar o aniversário do seu filho, caso a questão da decoração de festa infantil sustentável seja um ponto realmente importante para você, é na sua própria casa ou em algum local que você tenha total autonomia. Isso porque conseguirá controlar a geração de resíduos, coisa que não conseguiria se fizesse em um estabelecimento terceirizado.

– Escolhendo o tema da festa: outra questão que gera muito lixo é a escolha do tema da festa. Aqui, há duas sugestões: alugar um tema, pois todos os itens decorativos serão reutilizados, ou você mesmo montar algo com o que já tem em casa, como, por exemplo, brinquedos, bichinhos de pelúcia e, até mesmo, livros. Aliás, seria bem interessante fazer uma festa infantil com a temática de livros, hein?! Inovador!

Toys, Celebration, Ornament, Figurine, Christmas, Child
Uma das opções para o tema da festa é usar aquilo que já tem em casa, como os brinquedos, por exemplo.

– Escolhendo as comidinhas: é aqui que o bicho pega! Fazer toda a comida da festa dá um super trabalhão, mas terceirizar é não optar por saber a procedência do que será servido e, com isso, os impactos da sua escolha. No mundo industrializado em que vivemos, é bem provável que contratar algum buffet implique em uma quantidade imensa de lixo gerado – e não é isso que queremos, não é mesmo?!

Então, convoque a família toda e faça da cozinha um grande momento para a festa infantil sustentável do seu filho. Assim, você já vai entrando no clima e ficando cada vez mais animado com a ideia da comemoração. Se possível, opte por uma alimentação vegana ou, pelo menos, vegetariana, pois os ingredientes podem ser comprados em feiras ou a granel. Por fim, em relação a bebidas, escolha sempre os enlatados, pois mais de 95% do alumínio produzido no Brasil é reciclado.

Food, Table, Egg, Hand, Natural, Cooking, Easter
Convoque a família toda, inclusive as crianças, para fazer as comidinhas da festa infantil sustentável.

– Escolhendo os descartáveis: nas comemorações infantis, um dos itens que mais gera resíduo é em relação aos descartáveis. Pode reparar: são copos e mais copos de plástico, talhares e pratinhos do mesmo material, canudinhos… Enfim, um mundaréu de lixo – e, o pior, de plástico! Assim, opte por copos reutilizáveis, como os de vidro, e itens feitos com materiais biodegradáveis, como bambu, “plástico” de mandioca ou papel.

2- Durante a festa

Ah, o durante a festa… Aqui, meus caros, é hora de se divertir e aproveitar o momento, que foi cuidadosamente preparado por vocês, com os seus pequenos! Como já fizeram a decoração de festa infantil sustentável, não vai haver tantas preocupações assim ao longo da comemoração e a sua pós-festa ficará bem mais fácil de lidar.

3 – E a pós-festa?!

Então o aniversário do seu pequeno acabou e ele já dorme em paz, feliz da vida por esse momento único que vocês, pais, proporcionaram a ele. Acontece que para os adultos a festa não acabou por ali, infelizmente. Há ainda toda a sua decoração de festa infantil sustentável, além dos lixos que, inevitavelmente, foram gerados. E aí, o que fazer nesse pós-festa?!

O ideal mesmo é guardar tudo que foi utilizado para as festas posteriores. Detalhes como talheres ou pratinhos, por exemplo, é algo que ninguém irá se recordar depois e não fará diferença alguma em serem reutilizados futuramente. No caso da decoração que envolve o tema da festa, o ideal seria se desapegar, passando para outras pessoas. Afinal, nada mais lindo e gratificante do que ver aquilo que você produziu sendo útil para os demais, não é mesmo?!

Package, Packaging, Box, Shipment, Packet
Guarde tudo o que foi utilizado na festa do seu filho para os aniversários posteriores.

Outra dica que demos é sobre utilizar flores para decorar o ambiente. Sobre o descarte delas, você tem algumas opções, que são:

– colocá-las em sua composteira, por serem um material biodegradável;

secá-las, fazendo arranjos de flores secas, e colocá-las em um vaso, decorando assim o seu ambiente (e de outras pessoas, por que não?!); e

– plantá-las, caso você tenha feito a decoração de festa infantil sustentável com flores inteiras e suas raízes.

Happy, Fun, Spring, Spring Background, Daisy, Dress
Fazer uma festa infantil sustentável faz o bem para você e para o planeta, além de ensinar sustentabilidade a seus filhos por meio de exemplo.

Por fim, não se esqueça de fazer a coleta seletiva do lixo, separando todo o papel e o alumínio utilizados, e, naquilo que for possível, de fazer o correto descarte dos materias orgânicos para a sua composteira. O meio-ambiente agradece, assim como sua hortinha também!

Dicas de como sair de casa sem produzir lixo

Continuando as nossas publicações a respeito do lixo zero, as dicas do texto de hoje é sobre como aplicar esse estilo de vida nas ruas. Seja nos restaurantes, bares, festas e afins, sempre haverá um canudo de plástico te aguardando, um copo de plástico para substituir o vidro, os talheres descartáveis que vem junto com a marmita e outro zilhão de coisas que não cabem aqui. Ou seja, ser lixo zero fora de casa é um super desafio.

Garbage Can, Waste, Waste Bins, Recycle Bin, Garbage
Ser lixo zero fora de casa é um super desafio, mas também bastante compensador.

Não bastassem os exemplos que demos, ainda é preciso levar em consideração os diversos plásticos que vão surgindo no nosso caminho de todas as formas. São as sacolas no supermercado, os saquinhos de plástico quando compra a granel, nos plásticos insulfilm que protegem os produtos da padaria e por aí vai. Enfim, é um mundo de lixo sendo gerado nas ruas e que é preciso saber driblar. E então, o que fazer?

Como ser lixo zero fora de casa

Com certeza, um dos maiores desafios de quem pratica o estilo de vida lixo zero é seguir seus valores fora de casa. Afinal, quem manda na nossa casa somos nós, então é muito mais fácil de impor novas regras e a elas se adaptar. O cerne da questão fica quando saímos dessa nossa bolha lixo zero e enfrentamos a realidade nas ruas. Aí, meus amigos, o B.O. é muito maior!

Assim como qualquer outra restrição com que a pessoa convive , quem vive o lixo zero à risca, tem sim que se planejar ao sair de casa. Então, ter uma eco bag em mãos com alguns itens indispensáveis é mais que fundamental – é quase uma questão de sobrevivência! Você, sem dúvidas, carregará um pesinho a mais no seu dia-a-dia, mas isso é muito melhor do que carregar o peso nas costas de saber que está deixando um mundo pior para as próximas gerações.

Children, Siblings, Brother, Sister, Love, Child
Adotar o estilo de vida lixo zero é se preocupar com o mundo que deixaremos para as gerações futuras.

Para saber mais como ser lixo zero fora de casa, confira as nossas próximas dicas! Anote tudo, prepara-se e planeje-se. Com certeza, cada minutinho dedicado a esse seu novo comportamento terá um impacto gigantesco no meio-ambiente. Fazer sua parte nunca foi tão legal!

Mas antes, confira nossas outras dicas a respeito do assunto. Não tenha dúvidas de que todas as informações aqui reunidas farão com que você fique completamente inteirado no tema lixo zero.

1 – Eco bag

O básico do básico para quem quer ser lixo zero fora de casa é ter sempre consigo uma eco bag. Isso porque elas evitam que você fique sujeito a pegar uma sacola de plástico em suas compras. Se parar para refletir, vai ver que diversas vezes esteve na rua e comprou algo que estava faltando em sua casa ou adquiriu por puro impulso mesmo. Numa hora dessas, se você não tiver uma eco bag na mão, ficará à mercê das sacolas dadas pelos estabelecimentos.

Fruit, Harvest, Apple, Plum, Blackberry, Autumn, Fruits
Eco bag é a melhor amiga para quem quer ser lixo zero fora de casa

2 – Kit lixo zero fora de casa

Se tiver o costume de ir a um restaurante ou pedir refeições para entregar, uma das coisas mais essenciais para você é ter um kit de sobrevivência. Ele nada mais é do que um estojo em que contém alguns itens indispensáveis, tais quais o copo sanfonado retrátil, talheres, canudinhos de inox ou biodegradáveis e até guardanapo de pano. E, é claro, nunca se esqueça de avisar ao estabelecimento de que você não precisa dos itens descartáveis que ele sempre oferece.

3 – Compre a granel

Outro ponto em que é dificílimo ser lixo zero fora de casa é a questão da compra do supermercado. Se você reparar, praticamente todos os industrializados estão embalados com saco plástico. Aí, não tem jeito. A solução mesmo é mudar um pouco o estilo de fazer suas compras. Priorize feiras – e sempre leve sua eco bag e diga não às sacolas de plástico que os feirantes insistem em te dar – e faça compras a granel.

Food, Legumes, Baskets, Market, Oil, Organic, Healthy
Ao comprar a granel, leve sempre seus potes com você e diga não aos saquinhos de plástico.

No caso das compras a granel, tem outro detalhe importantíssimo a se falar. Em todas as vezes em que você for à uma loja especializada nesse tipo de produto, leve seus próprios potes. Isso porque o comum é colocar as leguminosas, castanhas, temperos e afins sempre em saquinhos de plástico. Levando seu próprio recipiente, você evita esse tipo de embalagem e faz um bem enorme ao meio-ambiente.

4 – Prefira os alumínios a outros materiais

Seja o Ano Novo, o Carnaval, uma festa aqui ou outra dali – sempre haverá bebidas e sempre haverá muito lixo gerado por consequência. No entanto, você não quer deixar de beber, o que é muito justo. E aí, o que fazer nesse caso? Simples! Basta priorizar bebidas enlatadas! O Brasil recicla, em média, 95% do alumínio consumido, sendo o maior reciclador do mundo. Não entraremos no mérito de que isso envolve mais uma questão social do que qualquer outra coisa, mas, querendo ou não, é um ótimo dado. Então, já sabe: sempre opte pelas bebidas enlatadas!

5 – Priorize estabelecimentos com os mesmos valores que o seu

Você está seguindo todo o caminho correto de como ser lixo zero fora de casa, mas já parou para pensar nos estabelecimentos em que você consome e, querendo ou não, financia?! Pois é, toda vez que optar por uma empresa, você está incentivando o seu comportamento atual. Afinal, enquanto houver consumidores, a empresa entenderá o recado como “ok, podemos continuar assim que está tudo certo”. Mas e se não tiver?

Por isso, é fundamental que você conheça bem os estabelecimentos que consome. Dê sempre preferência aos comerciantes locais, aos autônomos, enfim, aos pequenos empreendedores. Muito provavelmente, eles geram muito menos lixo no mundo do que grandes corporativas. Além disso, você está apoiando aquela pessoa que, a muito custo, luta para se manter no mercado. 

Coffee Shop, Barista, Cafe, Worker, Coffee, Man, Adult
Priorize os estabelecimentos que possuem os mesmos valores ou de pequenos empreendedores.

Prontinho! As 5 dicas essenciais para você ser lixo zero fora de casa foram dadas! Agora, se tiver mais dicas para compartilhar, não deixe de comentar nesse nosso texto. Até mais!

Lixo zero: dicas como limpar a casa gerando menos resíduos

Já falamos nesse texto aqui a importância sobre aplicar o conceito do lixo zero nos dias de hoje. Afinal, com o mundo caminhando da maneira que está, nada mais coerente do que se preocupar com as nossas atitudes em relação ao meio ambiente, não é mesmo? Com isso, o estilo de vida low waste, com menor geração de resíduos, ganha força nos dias de hoje, tendo para si cada vez mais adeptos.

Produtos Hortícolas, Colheita, Cultivo, Ação De Graças
A cada dia que passa, temos mais adeptos ao estilo de vida lixo zero. O meio-ambiente agradece!

A questão que fica é: mas e aí, por onde começar?! Se você ainda não sabe, fique tranquilo! Aqui nós temos diversas dicas sobre como aplicar o lixo zero na sua vida, a começar por esse texto, que te explica certinho como limpar a sua casa com menos resíduos. Bora saber mais a respeito?!

Lixo zero: introdução básica

Antes de saber como aplicar o estilo de vida do lixo zero em nossas vidas (e em casa, como é o propósito desse texto), é primeiro preciso partir do básico. Então, o que é esse tal do lixo zero?!

Pois bem, o próprio nome já diz: lixo zero é sobre não gerar nenhum resíduo ao mundo. Ou, pelo menos, reduzi-lo ao máximo possível no seu dia-a-dia quando isso for possível. Aliás, uma observação: você já parou para analisar o tanto de lixo que consumimos diariamente? Se não, faça esse exercício! Vai perceber que o volume é imenso!

Jardinagem Urbana, Jardim, Vegetais, Self Catering
Reutilizar produtos parados no armário é também uma ótima forma para reduzir o lixo no mundo.

Seja nas embalagens, nos restos de alimentos e até no papel higiênico ou no cotonete, quase tudo se torna lixo. Mas atenção: como dissemos, é quase tudo. Você pode fazer do lixo seu melhor amigo, como é o caso da compostagem caseira. Para saber mais a respeito, só ler esse texto que explica certinho em como transformar lixo orgânico em adubo para suas plantinhas.

Ok. Mas e aí? Por que devo aplicar o lixo zero em minha vida?!

No texto em que falamos mais a respeito, detalhamos o porquê de adotar o estilo de vida hoje. Mas, resumidamente, as razões são essas (e muito mais, claro!):

  • No Brasil, mais da metade dos resíduos segue para os aterros sanitários.

Imagina só a situação: somos em torno de 200 milhões de pessoas que, apenas em 2018, geramos uma média de 79 milhões de toneladas de lixo. Faça as contas e verá que a quantidade anual de resíduo produzido por cada brasileiro é gigantesco. Desse montante enorme, apenas a metade vai para os aterros. Ou seja, considerando que seu valor no meio-ambiente tem sim um grande impacto , então por que não eliminar o seu lixo dessa conta?!

  • Você começa a consumir de maneira mais consciente e a poupar mais dinheiro

Essa é fácil! Pensando que o propósito maior é ter o lixo zero como seu estilo de vida, logo você começa a repensar na maneira que consome a fim de não gerar mais resíduos. Com isso, seu bolso fica felizão, assim como você também!

  • Você passará a incentivar empresas eco-friendly (e, por que não?!, pequenos empresários)

E, por óbvio, ao consumir de maneira mais consciente, você passa a priorizar marcas que coincidem com os seus valores!

Cerâmica, Ofício, Argila, Feito À Mão, Potter, Artesão
Ao adotar o estilo de vida lixo zero, você também apoia pequenos empresários, como os artesãos.

E então, ficou convencido a começar a mudar de atitudes em prol do lixo zero? Se sim, então temos ótimos conselhos para começar desde já, a começar por sua casa. Afinal, nada melhor do que iniciar uma mudança de estilo de vida do que dentro do nosso próprio lar!

Lixo zero ao limpar sua casa

Limpar a casa com menos resíduos parece até ser uma missão impossível. Se olharmos para as prateleiras dos supermercados, só veremos produtos de limpeza embalados com muito, mas muito, plástico. E a gente já sabe que fim isso dá, né?! Então, preparem-se que, a partir de agora, iremos dar dicas que mudarão completamente a relação que você tem com o limpeza de sua casa!

1. Sabão de coco em vez de detergente

Sim, o sabão de coco tão usado por nossos antepassados tem uma importância imensa a quem deseja reduzir os lixos na hora de cuidar da sua própria casa. Isso porque você opta por usar um produto natural em vez de detergentes, que são cheios de lauril sulfato de sódio, substância que faz um mal enorme pra nossa pele e pro meio ambiente.

Coco, Cocos, Exóticos, Doce
O sabão de coco é um ótimo aliado na tarefa de limpar a casa com lixo zero.

Ah, só uma obs: olhe a composição do produto nas embalagens para não levar gato por lebre e sempre escolha as marcas que utilizam embalagem biodegradável, como o papel. Afinal, não adianta muito deixar de gerar lixo na embalagem convencional do detergente e comprar um sabão de coco embalado no saquinho plástico, não é mesmo?!

2 – Bucha vegetal em vez de esponja sintética

Outro grande aliado na hora de limpar a casa tendo em vista a produção de lixo zero é a bucha vegetal. Ela nada mais é do que uma planta usada, especialmente, nos banhos. No entanto, na hora de lavar a louça, você pode utilizá-la como opção à bucha sintética, que leva anos para se decompor.

Sabão, Petróleo, Amêndoas, Núcleos, Esponja, Damascos
A bucha vegetal, muito utilizada na hora de banhar-se, é uma ótima opção à bucha sintética.

Para comprar, é preciso tomar o mesmo cuidado quanto ao sabão de coco a respeito da embalagem. Nas feiras de rua, por exemplo, são vendidas as buchas vegetais livres, leves e soltas. Só não se esqueça de levar sua ecobag e de se recusar a pegar a sacolinha plástica do feirante, hein?!

3. Lavando o chão (e qualquer superfície) com vinagre

Um dos queridinhos dos adeptos do lixo zero é o vinagre. Ele é perfeito para limpar a casa, pois é super eficaz como antifúngico e antibactericida e tira a sujeira que só! Inclusive, é o maior aliado para aquelas limpezas pesadas, sabe?

Garrafa, Garrafas, Vinagre, Petróleo, Ainda A Vida
Assim como o sabão de coco, os vinagres também são aliados perfeitos ao conceito de lixo zero.

Pra limpar o chão, basta passar um pano com vinagre diluído em água. Se quiser deixar com cheirinho, use óleos essenciais, como o de capim limão e lavanda. Sua casa vai ficar super limpa e cheirosa!

4. Prepare o seu próprio sabão em pó para lavar roupas

Já pensou em fazer o seu próprio produto para limpar suas roupas e se livrar de vez das embalagens e dos produtos altamente tóxicos dos sabões de pó tradicionais de grandes marcas? Pois é! É possível!

Lavandaria, Sabão, Bórax, Soda De Lavagem, Higiene
No estilo de vida lixo zero, é recomendado que se faça o seu próprio sabão em pó para lavar as roupas.

Para isso, você precisa apenas de 3 ingredientes: 1 xícara de sabão de coco processado até virar pó, 1 xícara de bicarbonato de sódio e 1 xícara de carbonato de sódio (se não achar, basta colocar o bicarbonato no forno por cerca de 40 minutos). Pronto! Aí é só misturar tudo e usar na sua máquina de lavar em vez do sabão em pó tradicional. Simples, não?!

5. E a gordura do fogão?! Quem tira?

Sabe aquela gordura que insiste em ficar impregnado no fogão e pouquíssimos produtos dão conta do recado?! Então, o lixo zero também tem solução para isso! Basta polvilhar bicarbonato de sódio na parte engordurada e depois coloque vinagre (qualquer tipo). Espere uns 5 minutos e limpe com um pano úmido. Voilá! Eis que surge um fogão limpinho!

De Ebulição Do Leite, Placa De Fogão Em Cerâmica, Fogão
A gordura do fogão, quase impossível de tirar, também tem seu segredinho de limpeza lixo zero.

E aí, gostaram das nossas dicas de como introduzir o lixo zero na sua vida?! Então fiquem de olho no nosso blog que logo terão mais posts sobre o assunto! Até mais!

Dicas de horta caseira

Dica 1 – Horta Caseira – Vaso auto irrigável

Já pensou em ter uma horta caseira em casa? Pois é, essa ideia está se tornando uma realidade para muitos que se preocupam com o caminhar da indústria dos agrotóxicos. Afinal, a cada dia que se passa, há uma nova notícia sobre mais um veneno liberado para o cultivo dos nossos alimentos. E aí, como fica a nossa saúde nessa história, não é mesmo?

Refletindo sobre essas questões, muitas pessoas passaram a ter a sua horta caseira. No entanto, infelizmente, alguns ficam só na vontade e não avançam com essa ideia e desejo. O motivo? Falta de tempo! Mas essa não será mais uma desculpa para você!

Se você deseja ter uma horta caseira para chamar de sua, mas o tempo não é um forte aliado seu, então aposte nos vasos auto irrigáveis. Como o nome próprio diz, esses vasos possuem uma estrutura que eles mesmos fornecem água para as plantas conforme a sua demanda. Basta você preencher o recipiente de água e aguardar sua verdinha matar a sede até dizer chega e esvaziar tudo. Fácil, não?!

Ou seja, você que viaja, quase nunca está em casa ou que não tem o tempo a seu favor, aposte na ideia dos vasos auto irrigáveis e nunca mais terá desculpas para não produzir mais o seu próprio alimento!

Dica 2 – Horta Caseira – Começar pelos temperos

A quem queira ter uma horta caseira para chamar de sua, mas não sabe por onde começar, seja por falta de tempo ou de prática, a ideia fica só na ideia mesmo e nunca avança. Isso vai mudar agora!

Já pensou em começar a sua horta caseira pelos temperos? Fáceis de cultivar, os temperos não são tão exigentes quanto à exposição do sol, à rega e ao tipo de vaso escolhido. Claro que há a necessidade de tomar certos cuidados, afinal, os temperos são seres vivos e precisam do básico para a sua sobrevivência. No entanto, eles são um ótimo aliado a quem tem boa vontade, mas pouco contato com o mundo da horta caseira por ser bem mais tranquilo de cuidar do que o restante dos vegetais.

Se você for ter seus temperinhos, só tome cuidado com uma coisa: certifique-se de plantar as verdinhas com suas companheiras e não com suas antagônicas. Como assim?! A gente te explica!

Cada planta tem uma amiga, mas tem também uma inimiga. Ou seja, plantas “amigas” crescem melhor juntas, como é o caso do orégano, sálvia, alecrim e tomilho, mas plantas “inimigas” ou antagônicas matam umas às outras, que é o caso da hortelã e da melissa, que vivem muito bem sozinhos, obrigado. Sabendo disso, sua horta estará pronta para começar!

Dica 3 – Horta Caseira – composteira

Já pensou em transformar o seu lixo orgânico em um ótimo solo, rico em nutrientes, para sua horta caseira? Pois é, nós já demos as dicas para quem não tem tempo de cuidar, como também para quem não sabe por onde começar, mas essa dica aqui é útil inclusive para quem já está nesse mundo há um bom tempo. Prazer, eis que lhes apresento a compostagem!

Compostar nada mais é do que transformar o seu lixo orgânico em alimento para suas plantas. De lixo orgânico, entende-se aqui como sendo restos de frutas, legumes e vegetais, borra de café, saquinho de chá e até casca de ovo. Só não incluem aqui os restos de animais e seus derivados, como é o caso do queijo.

Para o processo de compostagem, basta ter uma composteira, que é basicamente um recipiente onde colocará todo o resíduo orgânico gerado. Ali, basta mexer de tempos e tempos que a natureza faz o seu serviço, transformando tudo que iria para o lixo em um ótimo adubo para sua horta caseira. Para facilitar, use e abuse das minhocas californianas. Elas irão devorar tudo o que virem pela frente e, como pode imaginar, defecarão, gerando o húmus de minhoca, um dos melhores adubos existentes no mundo!

Horta caseira: tenha uma em casa e faça do seu lixo o melhor amigo de suas plantas

Em um Brasil com a lista de agrotóxicos permitidos na agricultura só aumentando, ter uma horta caseira passou a ser uma questão a quem se preocupa em consumir menos venenos. Seja uma hortinha de temperos, vegetais, legumes e, por que não?!, frutíferas, produzir o próprio alimento é uma experiência que todos deveriam ter. E o melhor: o seu lixo pode se tornar seu melhor amigo nessa jornada. Saiba mais!

Legumes, Jardineiro, Horta
Horta caseira é uma ótima aliada a quem deseja fugir dos agrotóxicos ingeridos por meio da alimentação

Horta caseira: por que ter uma?!

Além de ser incrível a sensação de produzir o próprio alimento, ter uma horta caseira só há benefícios. Você passa a ter maior contato com a natureza, observando todo o ciclo de vida daquilo que irá futuramente ao seu prato. Desde a muda até o amadurecimento, você acompanha todo o processo, criando laços com sua planta – o que torna tudo tão mais prazeroso.

Desse laço afetivo criado, você também passa a prestar mais atenção no que ingere. Ou seja, ter sua própria horta caseira faz com que você se alimente melhor e ainda comece a buscar por produtos alimentícios de maior qualidade. Resultado: mais saúde na sua vida. E quem não quer isso, não é mesmo?!

Horta, Jardim, Jardinagem, Bloom, Plantas, Pá, Areia
Com certas artimanhas, é possível ter sua horta caseira a de maneira mais simples e fácil.

No entanto, embora muitos desejem ter seu cantinho de alimentos orgânicos, há uma grande parcela daqueles que ficam apenas na ideia. Isso porque há quem acredita que produzir seu próprio alimento vai lhe proporcionar uma demanda de trabalho que não é possível encaixar no dia-a-dia. Sim, isso pode ser verdade, mas há algumas artimanhas que torna tudo mais fácil.

Os grandes aliados para quem não tem tempo

Embora a ideia de produzir o próprio alimento possa proporcionar uma imagem um tanto quanto trabalhosa, ela não é tão verdadeira assim. Sim, cuidar da sua horta caseira necessita um pouquinho de sua atenção, mas, como já dissemos, com certas artimanhas é possível ter suas verdinhas em casa de maneira mais simples.

Por exemplo, um grande aliado a quem não tem tempo é o vaso autoirrigável. Pois é! Como o nome próprio já diz, o vaso possui uma estrutura que ele mesmo proporciona água à horta caseira conforme a sua demanda. Ou seja, o único trabalho que você terá é encher o recipiente de água desse vaso, em média, a cada semana e depois é só ficar de olho. Não tem mais fácil!

Outro grande aliado é ter em casa os verdinhos que praticamente cuidam de si só, como é o caso da grande maioria dos temperos. Além de durar por mais tempo, eles são bem mais resistentes e menos sensíveis às mudanças de clima, de exposição de sol e dentre tantas coisas que interferem diretamente no sucesso de uma horta caseira. Mas não fique triste se um dia eles forem embora: assim como todo ser vivo, os temperos também nascem e morrem.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é flowerpot-2545368_960_720.jpg
Os temperos é um ótimo verdinho para quem deseja começar a horta caseira e não tem tempo.

Enfim, embora haja uma lista grande de aliados a quem não tem tempo de cuidar da horta caseira, como é o caso do vaso autoirrigável e da escolha certa dos verdinhos, há um que fará toda a diferença nesse processo de produção do próprio alimento. Eis que lhe apresento a composteira!

Fazendo do seu lixo o melhor amigo da sua horta caseira

Nós já falamos da compostagem nesse artigo aqui, mas é preciso reforçar a importância desse processo, principalmente a quem deseja ter uma horta caseira. Isso porque, além de diminuir os resíduos gerados, você transformará o seu lixo em um adubo incrível para as suas plantas. Ou seja, você não deixa lixo para o mundo e, ainda, ganha um super aliado para a sua hortinha orgânica.

Mas antes de entender como funciona a compostagem, é preciso começar pelo básico. Só assim você entenderá o porquê do aderir a essa ideia de vez, principalmente se quiser realmente cair no mundo da horta caseira. Então, vamos lá!

Adubo, Jardim, Resíduos, Bio, Natureza
Composteira: amiga do meio-ambiente e da sua horta caseira

A primeira coisa que precisa saber para ter sucesso na sua hortinha é que ela precisa de, basicamente, sol, água e de uma alimentação especial de tempos em tempos. Essa alimentação, no caso, é o adubo, que pode ser de diversas formas: NPK, bokashi, húmus de minhoca, farinha de osso e por aí vai. Uma das opções, no entanto, é a terra produzida pela compostagem de seu próprio alimento.

E como isso funciona? Simples! Basta separar todo o seu lixo orgânico, incluindo cascas de ovos, e colocá-los em uma composteira feita especialmente para isso. Para acelerar o processo, um bom aliado são as minhocas californianas, que irão se alimentar desse resto de alimento e defecar, gerando o húmus de minhoca. Parece nojento, mas saiba que é um dos melhores adubos existentes!

Depois de uns dois meses em média, adicionando sempre seu resíduo orgânico à composteira e mexendo a mistura em seguida, você terá o seu próprio adubo. Ou seja, além de economizar dinheiro, você também economizará tempo, já que não será necessário ir a nenhuma área loja especializada em jardinagem. O alimento da sua horta caseira será produzido em sua própria casa!

Minhocas californianas
AS minhocas californianas auxiliam no processo de compostagem

Aí o resto é tão simples quanto. Basta colocar esse solo rico em nutrientes em cima da terra da sua horta caseira, regar e voilá! Sua hortinha estará devidamente alimentada e cuidada, sem grandes trabalhos. Ah, e não se esqueça: somente resíduos orgânicos, tá?! Nada de colocar restos de animais ou derivados de, a não ser pela casca de ovo; afinal, ninguém quer atrair bichos não desejados, não é mesmo?!

Seja feliz com sua horta caseira

Ter uma horta caseira, produzindo seu próprio alimento, é, além de um ato de “rebeldia” à indústria do agrotóxico, o maior ato auto cuidado que você poderia ter. Ingerir aquilo que suas próprias mãos produziram com muito zelo é ingerir saúde, mas é principalmente ingerir amor próprio. Sendo assim, embarque de vez na ideia da horta caseira e seja feliz! Seu corpo lhe agradece!

Transporte verde: as melhores opções sustentáveis de mobilidade urbana

Com a mudança comportamental da sociedade em relação ao uso de veículo próprio, vem surgindo uma nova alternativa de mobilidade urbana: o transporte verde. Nesse texto, traremos mais informações sobre o assunto e como ele pode ser a melhor opção para você, que procura ter uma vida mais em comunhão com o meio-ambiente.

A complicada relação do carro com o meio-ambiente e o transporte verde como solução

Que o carro é um grande poluidor do meio-ambiente, isso ninguém tem dúvidas. Mas o que poucos sabem é a dimensão do problema que ele ocasiona. Para se ter ideia, na cidade de São Paulo, os veículos representam em torno de 70% da emissão de gases de efeito estufa. Tem ideia de como isso é significado?! E o pior: um problema que poderia ser muito bem mitigado só com o uso de transporte verde…

Carros, Estrada, Nevoeiro, Poluição Atmosférica
Os carros são um dos maiores emissores de gases de efeito estufa e um péssimo amigo do meio-ambiente

A situação fica ainda mais crítica quando analisamos o comportamento da sociedade como um todo. Ter veículo próprio passou a ser sinônimo de status social. Somado a isso, temos o fato de que, muitas vezes, o transporte público não é eficaz, fazendo com que mais pessoas adquiram um carro próprio. Como resultado, temos veículos circulando com uma única pessoa, maximizando o potencial da emissão de poluentes.

Por sorte – e também por consciência – muitas pessoas passaram a ir na contramão do senso comum da sociedade e começaram a optar por alternativas mais sustentáveis. De olho nessa demanda, empresas começaram a oferecer opções de mobilidade urbana, as tão faladas transporte verde.

Transporte verde: uma solução para a sociedade atual

Se você é um morador de uma grande cidade ou já foi em uma, seja no Brasil ou no exterior, muito provavelmente já se deparou com algum tipo de transporte verde. Pois é! Talvez você não saiba, mas aquela bike de banco ou de aplicativo, em que o seu uso é pago por hora utilizada, é um exemplo do que estamos falando!

Menino, Criança, Parede, Patinete, Paris
Transporte verde: uma solução para a sociedade atual

Seja as bicicletas, patinetes ou, até mesmo, caronas compartilhadas, os meios mais sustentáveis de mobilidade urbana estão aí para quem quiser. Mas, diante de tantas opções, qual seria melhor para você?! Vamos falar um pouquinho mais a respeito de cada uma delas – e, no final do texto, saberá qual transporte verde você chamará de seu!

1. Bicicleta

É bem provável que a bicicleta seja o transporte verde mais popular no Brasil. Ela é um bem mais barato que um carro, precisa de pouquíssimas manutenções e, muitas vezes, é até fácil de guardar, como é o caso das bikes dobráveis. Ou seja, deveria ser a melhor amiga do homem!

No entanto, num país cuja segurança não é das melhores, como o nosso, a bicicleta enfrenta um sério problema em relação aos furtos, mas também em relação ao trânsito. Isso porque não são poucos os casos de acidente de bike que ocorrem nas ruas das grandes cidades.

Bicicleta, Moto, Estacionado, Cesta, Sino, Ciclo
A bicicleta é uma das melhores opções de transporte verde e deveria ser a melhor amiga do homem

O lado bom da história que isso está mudando! Vejamos São Paulo, por exemplo. É notável o aumento do número das ciclofaixas e, com isso, do número de ciclistas. Não à toa, diversas empresas começaram a perceber a mudança comportamental e trouxe soluções a quem gostaria de andar de bike, mas não estava disposto a adquirir uma.

Bancos, como Itaú, ou empresas de aplicativos de mobilidade urbana, como a Yellow, passaram a disponibilizar bicicletas próprias pelas ruas a um pequeno preço por minuto. Com isso, a bicicleta acabou se tornando ainda mais popular e muitas pessoas aderiram à ideia! E você, que tal começar a pensar também nessa possibilidade?!

2. Patinete

Com o furor que houve em torno das bicicletas, outras empresas começaram a observar que havia um público interessado a usar um transporte verde, mas que a bike ainda não era a melhor opção para elas. O motivo?! Muitas vezes, essas pessoas estavam indo trabalhar e não queriam chegar no local de trabalho já cansados e, por que não, suados. Logo, bicicleta ainda não era a escolha ideal.

Trotinette, Patinete, Homem, Cara, Tatuagens, Tatuado
As patinetes, junto com as bicicletas, trazem soluções econômicas à mobilidade urbana.

Com isso, vieram as patinetes. Muito comuns em diversas cidades da Europa, como é o caso de Paris, as patinetes passaram a dominar também as ciclofaixas das grandes cidades. Logo, ela se tornou uma ótima opção de mobilidade urbana, principalmente porque empresas, a exemplo da Grin, começaram a disponibilizá-las do mesmo modo que vinha acontecendo com as bicicletas.

3. Moto elétrica

Embora as bicicletas e as patinetes sejam ótimas alternativas de transporte verde, elas não são a solução para quem mora longe de grandes centros comerciais – a não ser que a pessoa tenha adquirido uma. Isso porque tais empresas que citamos acima têm uma área de atuação muito restrita, não abrangendo diversos lugares das cidades.

Ciclomotor, Bicicleta, Elétrica, Moto, Transporte
Para quem mora em longe centros comerciais, moto elétrica é uma alternativa de transporte verde.

Enfim, se esse é o seu caso, então o que fazer? Uma boa opção é a moto elétrica. O investimento será sim um pouco mais alto, mas ainda assim não se compara a um veículo próprio. Além disso, tem o bônus de que você não precisará enfrentar horas no trânsito e, por ser elétrico, não precisará abastecê-lo. Solução perfeita, não?!

4. Carros elétricos

Ok, você ainda não ficou convencido das bicicletas, patinetes e nem da moto elétrica. Afinal, como elas podem ser úteis a você, que leva filhos para a escolha, faz compras no supermercado ou está sempre viajando? Pois é, elas realmente podem não lhe ajudar, mas já pensou em ter um carro elétrico?

Pois é, carro elétrico é uma excelente alternativa de transporte verde a quem não consegue ou pode ainda abrir mão do veículo. No entanto, o Brasil ainda está se ajustando a essa nova realidade e, por isso, há algumas limitações quanto ao seu uso, já que não há muito lugares onde é possível carregá-lo. Mas, como o futuro é esse, por que não ser um pioneiro e investir nessa ideia?!

Posto De Gasolina Atual, Elétrica Do Posto De Gasolina
Carro elétrico é uma ótima opção de transporte verde a quem não pode abrir mão do veículo.

Como voce pode ver, o transporte verde pode e deve ser uma escolha sua! Ao fazer isso, você contribui não só para o meio-ambiente, como também para o seu próprio bem-estar. Então, que tal começar já a utilizar um meio de transporte mais sustentável e fazer o bem para todo mundo – literalmente?!