Como fazer compras a granel

Está aumentando o número de pessoas que estão apostando no sistema de compra e venda que nossos avós costumavam usar: compras a granel. E por isso vamos trazer nesse texto como você pode fazer compras a granel e incorporar na sua rotina esse hábito sustentável.

Comprar a granel é a nova aposta da vez. Significa consumo sustentável.

Quando vamos ao mercado, todos produtos e alimentos como bandejas de carne, peixe e frutas, saquinhos de salsicha, caixas de ovos, conservas, massas e embalagens de vegetais é embalada.

Além de serem embalagens pouco sustentáveis ​​e altamente poluentes, o prazo de validade dessas embalagens, que geralmente são jogadas diretamente no lixo após um único uso, é muito curto. 

Os números mais recentes são alarmantes e indicam que a cada 5 minutos, 2 milhões de toneladas desse resíduo são geradas em todo o mundo. 

Lixo que acaba sendo depositado nas ruas, parques e oceanos, afetando as espécies que os habitam.

No entanto, embora não seja uma tarefa simples, é possível efetuar a compra sem plástico, sem embalagem e sem embalagem descartável. Uma das soluções? A venda a granel.

Vantagens da venda a granel

Várias vantagens em comprar a granel

Ambientalismo

Provavelmente, o motivo mais importante para comprar a granel é parar de usar recipientes de plástico que na maioria das vezes são totalmente dispensáveis. 

Qual é o sentido de colocar duas tangerinas em uma bandeja plástica, embrulhada com mais plástico? 

Comprar a granel é uma ótima opção para eliminar o desperdício, mas é importante levar nossas próprias sacolas de pano, que agora podemos comprar em qualquer lugar, e não usar as de plástico que continuam a oferecer na maioria dos supermercados.

Como nossos pais e avós, mais e mais pessoas estão viajando para o passado para fazer a compra como antes. Ou sejacom suas cestas, copos de ovos e garrafas de vidroAlém de contribuir para a redução de embalagens, esse sistema de compras possui muito mais benefícios, e não apenas para o consumidor. 

Um deles é acabar com o desperdício de alimentos. A compra em peso nos permite levar para casa a quantidade exata de comida que queremos, por menor que seja.

Dessa forma, podemos desfrutar de uma dieta mais fresca, gastar menos dinheiro e evitar jogar alimentos estragados por não comê-los a tempo. Algo especialmente útil para pessoas que moram sozinhas. 

Alimentação mais saudável

A compra em massa permite que você escolha e visualize o produto que vamos consumir, pois não há pacotes que nos impeçam de verificar previamente sua qualidade e condição. 

Geralmente são alimentos crus e sazonais, para aproveitar o melhor de cada estação. A grande maioria são produtos orgânicos provenientes da agricultura agrícola da região, portanto, incentivar essa fórmula de compra se torna um grande apoio ao comércio local

Além disso, ao eliminar o processo de transporte e embalagem, produtores, distribuidores e, claro, o meio ambiente também se beneficiam.

 Zero desperdício

Mais e mais pessoas se juntam a estratégia de “lixo zero”. Um movimento que visa reduzir o número de resíduos que geramos no nosso dia a dia, com o objetivo de melhorar a sustentabilidade, viver sem plástico e buscar alternativas mais ecológicas.

Ajuda local

Embora, como dissemos, os grandes supermercados também comecem a vender a granel, se comprarmos em lojas ou mercados vizinhos, contribuiremos para melhorar a economia local e ajudaremos essas pequenas lojas a sobreviver. 

Economia

Inicialmente, quando vemos os preços de produtos a granel, como nozes, arroz ou macarrão, eles parecem caros. Mas muitas vezes é apenas porque não estamos acostumados a ver o preço por quilo. 

Também deve ser entendido que um produto de proximidade e boa qualidade não custa o mesmo que aqueles que são comprados em quantidades industriais e provêm do outro lado do mundo, por mais absurdo que possa parecer.

Valor justo

Outra vantagem de comprar o peso é que podemos adquirir apenas a quantidade necessária e não sermos obrigados a levar um pacote muito grande de um produto que provavelmente acabará no lixo porque não podemos consumi-lo a tempo. 

Além disso, comprar a quantidade certa do que precisamos nos ajudará a planejar melhor a compra e não desperdiçar produtos ou dinheiro.

Felizmente, comprar a granel é mais fácil do que nunca e há muitas lojas comprometidos com a sustentabilidade, especialmente nas grandes cidades têm inúmeras lojas que usam essa fórmula de compra e venda, e que vende uma grande quantidade de produtos orgânicos a granel – legumes, frutas e legumes, ovos ou pão.

Se as sacolas plásticas tiverem seus dias contados, é possível que em um futuro não muito distante o restante das embalagens de contaminantes alimentares também.

Estabelecimento preocupados com a sustentabilidade

E muitos estabelecimentos estão se preocupando com a sustentabilidade, e optando pela comercialização de alimentos orgânicos, ou seja, a venda a granel desse tipo de produto está intimamente ligada a um modo de vida não apenas comprometido com a sustentabilidade do tecido econômico local,  mas com o meio ambiente.

Porque comprar a granel?

  ● Sem plástico: os alimentos são exibidos a granel e os clientes trazem seus próprios recipientes. Nem todo mundo sai de casa preparado para isso, por isso é uma boa ideia deixar sacos de papel gratuitos e recipientes de vidro reciclado – ou mesmo tê-los disponíveis para venda.

● Zero desperdício: todos os alimentos definidos para expirar devem ter um destino, como um banco de alimentos.

●a aparência do estabelecimento costuma ser aconchegante, uma vez que os compradores se deparam com tantas lojas cheias de odores artificiais e plásticos. A maneira como o grão é distribuído em lojas com zero resíduos geralmente segue um padrão. 

● Esteja ciente das origens dos produtos: ter uma loja com zero resíduos significa lidar com fornecedores que têm as mesmas prioridades que você. É importante entender as certificações e visitar as fazendas dos produtores para entender os processos que eles usam.

● Produtos locais : um dos atos mais sustentáveis ​​é comprar daqueles que o rodeiam.

É sempre bom lembrar que aderindo a compras a granel você está evitando a produção desenfreada de plásticos cujo destino é simplesmente o lixo.

Apostar na compra de produtos a granel é um daqueles pequenos gestos que são um grande passo para a sustentabilidade. Um passo à frente que, curiosamente, ainda é um passo para trás para fazer as coisas como eram antes de as embalagens e os plásticos estarem fora de nossas mãos.

Além de utilizar sacos de papel é possível também optar pelos saquinhos pequenos de tecido (não sintéticos) além das ecobags. Nós da Green Frog comercializamos ecobags. Pode ser uma escolha mais sustentável para o seu dia  a dia.

Transporte verde: as melhores opções sustentáveis de mobilidade urbana

Com a mudança comportamental da sociedade em relação ao uso de veículo próprio, vem surgindo uma nova alternativa de mobilidade urbana: o transporte verde. Nesse texto, traremos mais informações sobre o assunto e como ele pode ser a melhor opção para você, que procura ter uma vida mais em comunhão com o meio-ambiente.

A complicada relação do carro com o meio-ambiente e o transporte verde como solução

Que o carro é um grande poluidor do meio-ambiente, isso ninguém tem dúvidas. Mas o que poucos sabem é a dimensão do problema que ele ocasiona. Para se ter ideia, na cidade de São Paulo, os veículos representam em torno de 70% da emissão de gases de efeito estufa. Tem ideia de como isso é significado?! E o pior: um problema que poderia ser muito bem mitigado só com o uso de transporte verde…

Carros, Estrada, Nevoeiro, Poluição Atmosférica
Os carros são um dos maiores emissores de gases de efeito estufa e um péssimo amigo do meio-ambiente

A situação fica ainda mais crítica quando analisamos o comportamento da sociedade como um todo. Ter veículo próprio passou a ser sinônimo de status social. Somado a isso, temos o fato de que, muitas vezes, o transporte público não é eficaz, fazendo com que mais pessoas adquiram um carro próprio. Como resultado, temos veículos circulando com uma única pessoa, maximizando o potencial da emissão de poluentes.

Por sorte – e também por consciência – muitas pessoas passaram a ir na contramão do senso comum da sociedade e começaram a optar por alternativas mais sustentáveis. De olho nessa demanda, empresas começaram a oferecer opções de mobilidade urbana, as tão faladas transporte verde.

Transporte verde: uma solução para a sociedade atual

Se você é um morador de uma grande cidade ou já foi em uma, seja no Brasil ou no exterior, muito provavelmente já se deparou com algum tipo de transporte verde. Pois é! Talvez você não saiba, mas aquela bike de banco ou de aplicativo, em que o seu uso é pago por hora utilizada, é um exemplo do que estamos falando!

Menino, Criança, Parede, Patinete, Paris
Transporte verde: uma solução para a sociedade atual

Seja as bicicletas, patinetes ou, até mesmo, caronas compartilhadas, os meios mais sustentáveis de mobilidade urbana estão aí para quem quiser. Mas, diante de tantas opções, qual seria melhor para você?! Vamos falar um pouquinho mais a respeito de cada uma delas – e, no final do texto, saberá qual transporte verde você chamará de seu!

1. Bicicleta

É bem provável que a bicicleta seja o transporte verde mais popular no Brasil. Ela é um bem mais barato que um carro, precisa de pouquíssimas manutenções e, muitas vezes, é até fácil de guardar, como é o caso das bikes dobráveis. Ou seja, deveria ser a melhor amiga do homem!

No entanto, num país cuja segurança não é das melhores, como o nosso, a bicicleta enfrenta um sério problema em relação aos furtos, mas também em relação ao trânsito. Isso porque não são poucos os casos de acidente de bike que ocorrem nas ruas das grandes cidades.

Bicicleta, Moto, Estacionado, Cesta, Sino, Ciclo
A bicicleta é uma das melhores opções de transporte verde e deveria ser a melhor amiga do homem

O lado bom da história que isso está mudando! Vejamos São Paulo, por exemplo. É notável o aumento do número das ciclofaixas e, com isso, do número de ciclistas. Não à toa, diversas empresas começaram a perceber a mudança comportamental e trouxe soluções a quem gostaria de andar de bike, mas não estava disposto a adquirir uma.

Bancos, como Itaú, ou empresas de aplicativos de mobilidade urbana, como a Yellow, passaram a disponibilizar bicicletas próprias pelas ruas a um pequeno preço por minuto. Com isso, a bicicleta acabou se tornando ainda mais popular e muitas pessoas aderiram à ideia! E você, que tal começar a pensar também nessa possibilidade?!

2. Patinete

Com o furor que houve em torno das bicicletas, outras empresas começaram a observar que havia um público interessado a usar um transporte verde, mas que a bike ainda não era a melhor opção para elas. O motivo?! Muitas vezes, essas pessoas estavam indo trabalhar e não queriam chegar no local de trabalho já cansados e, por que não, suados. Logo, bicicleta ainda não era a escolha ideal.

Trotinette, Patinete, Homem, Cara, Tatuagens, Tatuado
As patinetes, junto com as bicicletas, trazem soluções econômicas à mobilidade urbana.

Com isso, vieram as patinetes. Muito comuns em diversas cidades da Europa, como é o caso de Paris, as patinetes passaram a dominar também as ciclofaixas das grandes cidades. Logo, ela se tornou uma ótima opção de mobilidade urbana, principalmente porque empresas, a exemplo da Grin, começaram a disponibilizá-las do mesmo modo que vinha acontecendo com as bicicletas.

3. Moto elétrica

Embora as bicicletas e as patinetes sejam ótimas alternativas de transporte verde, elas não são a solução para quem mora longe de grandes centros comerciais – a não ser que a pessoa tenha adquirido uma. Isso porque tais empresas que citamos acima têm uma área de atuação muito restrita, não abrangendo diversos lugares das cidades.

Ciclomotor, Bicicleta, Elétrica, Moto, Transporte
Para quem mora em longe centros comerciais, moto elétrica é uma alternativa de transporte verde.

Enfim, se esse é o seu caso, então o que fazer? Uma boa opção é a moto elétrica. O investimento será sim um pouco mais alto, mas ainda assim não se compara a um veículo próprio. Além disso, tem o bônus de que você não precisará enfrentar horas no trânsito e, por ser elétrico, não precisará abastecê-lo. Solução perfeita, não?!

4. Carros elétricos

Ok, você ainda não ficou convencido das bicicletas, patinetes e nem da moto elétrica. Afinal, como elas podem ser úteis a você, que leva filhos para a escolha, faz compras no supermercado ou está sempre viajando? Pois é, elas realmente podem não lhe ajudar, mas já pensou em ter um carro elétrico?

Pois é, carro elétrico é uma excelente alternativa de transporte verde a quem não consegue ou pode ainda abrir mão do veículo. No entanto, o Brasil ainda está se ajustando a essa nova realidade e, por isso, há algumas limitações quanto ao seu uso, já que não há muito lugares onde é possível carregá-lo. Mas, como o futuro é esse, por que não ser um pioneiro e investir nessa ideia?!

Posto De Gasolina Atual, Elétrica Do Posto De Gasolina
Carro elétrico é uma ótima opção de transporte verde a quem não pode abrir mão do veículo.

Como voce pode ver, o transporte verde pode e deve ser uma escolha sua! Ao fazer isso, você contribui não só para o meio-ambiente, como também para o seu próprio bem-estar. Então, que tal começar já a utilizar um meio de transporte mais sustentável e fazer o bem para todo mundo – literalmente?!

Canudo de plástico biodegradável: você pode estar sendo enganado!

O ano é 2019 e, finalmente, a proibição do canudo de plástico em bares e restaurantes passa a ser regulamentada, como é o caso do estado de SP. No entanto, com isso, muitas empresas começaram a tentar dar o seu famoso jeitinho “brasileiro” para continuar com suas vendas: enganando seus consumidores. Como?! Falando que seus canudos de plásticos são biodegradáveis. Mas atenção! Isso não existe – e eles também estão proibidos!

Canudo de plástico biodegradável: uma farsa à venda

Como tudo começou: a guerra contra os canudos de plástico

Alguns de vocês, nossos leitores, devem se lembrar de um vídeo que circulou há alguns anos de uma equipe de biólogos salvando uma tartaruga que estava com um canudinho preso dentro do seu nariz. Se quem não viu e se interessou a ver, basta clicar aqui, mas já logo vamos avisando que as cenas são bem chocantes e fortes. É para poucos!

Pois bem, desde então, o furor em torno do canudo plástico aumentou consideravelmente – e com razão, é claro! Ele representa 4% de todo o lixo plástico do mundo, o que é bastante significativo – e péssimo – por si só. Além disso, o canudinho é composto por polipropileno e poliestireno (plásticos), elementos não biodegradáveis, podendo levar até mil anos para se decompor no meio ambiente!

O canudo representa 4% de todo o lixo plástico do mundo.

No entanto, na contramão do senso comum, há quem fale que o canudinho é reciclável e que plástico não faz mal à saúde. Uma falácia das grandes! Como falamos nesse texto aqui, de todo o consumo plástico no Brasil, apenas 1% é reciclado. Ou seja, praticamente nada! E sobre o plástico não fazer mal à saúde, não precisamos nem comentar sobre esse tamanho absurdo…

De qualquer forma, além disso, tem outra questão importantíssima a ser ressaltada. Ainda que descartado corretamente, o canudo de plástico tem grandes probabilidades de escapar pelo meio do caminho por ser algo leve e pequeno. Com isso, ele será carregado pela chuva para mares e rios, impactando toda a fauna aquática. O impacto – negativo, diga-se de passagem – disso a gente já sabe, né?!

Muita atenção nas informações que você acredita!

Como já dissemos acima, há quem fale que o canudo de plástico é reciclável e, por isso, não causa tantos danos ao meio-ambiente. Com muito custo, ele pode até ser reciclado, mas acontece que falas como essas abrem margem para que empresas do ramo, cujo maior interesse é em seu próprio lucro, por mais que isso seja em detrimento do meio-ambiente, espalhem falsas verdades.

A questão que fica para você, tanto consumidor como empreendedor, que está ligado a causas ambientais e/ou que não quer levar multas por não cumprir a legislação, é: mas então, em quem acreditar? Calma que logo nós iremos te dar o bê-a-bá do que você precisa saber para tomar decisões corretas e não acreditar em falsas boatarias de quem quer lucrar acima de tudo.

Canudo de plástico biodegradável é tão ruim quanto e seu fornecimento também está proibido.

Para começar, você primeiro precisa saber sobre quais inverdades estamos citando. A maior delas – e a mais perigosa, no caso – é sobre a história de haver um canudo de plástico biodegradável. Pode ser completa ilusão acreditar nisso!

Tudo começou com o burburinho que houve em torno do canudo de plástico e, em seguida, a sua proibição na legislação de alguns municípios e estados. Ou seja, pela lei de alguns lugares, como é o caso do Estado de São Paulo, o fornecimento do tradicional canudinho nos estabelecimentos comerciais passou a ser proibido. No entanto, nada se falava sobre os canudos biodegradáveis, permitindo, então, o seu uso.

A liberação do canudo biodegradável, que passou a ser a solução ecológica do canudo de plástico, tornou-se, no fim, uma brecha para algumas empresas não tão bem intencionadas. Isso porque elas passaram a distorcer informações em prol próprio, vendendo o tal “canudo de plástico biodegradável”. Como você verá logo abaixo, tudo isso não se passa de um jogo de marketing.

Canudo de plástico biodegradável é fake news?

Pegando o gancho do título da Laguna Ambiental, canudo de plástico biodegradável é sim uma fake news! Embora existam plásticos biodegradáveis, feitos a partir de resinas de amido de mandioca, milho ou batata, que resultam em um material 100% orgânico, muitas das marcas que vendem os tais canudos não utilizam esse material para a fabricação de seus produtos. Na verdade, elas prometem tecnologias que aceleram o processo de degradação.

Está aí, parece que está tudo ok, não é mesmo?! Mas o que ninguém diz, ou melhor, contradiz é o argumento de que os plásticos biodegradáveis não são tão inofensivos assim. Vejamos juntos o porquê!

Sobremesa, Bebida, Sorvete, Bebidas, Gourmet, Canudo
Plástico oxibiodegradável não é alternativa para o material do canudo de plástico tradicional.

Aos fatos: para que o canudo de plástico “biodegradável” se desintegre, ele precisa ser feito com um material chamado plástico oxibiodegradável. Esse, por sua vez, recebe um aditivo pró-degradante e, por isso, tem sua fragmentação acelerada por influência de oxigênio, luz, temperatura e umidade, ocorrendo, então, o que muitos chamam de decomposição. No entanto, é preciso deixar claro que, embora o nome engane, um plástico oxibiodegradável não significa que ele seja biodegradável.

O plástico oxidegradável necessita do oxigênio para ser degradado, pois o processo é acelerado pela incidência da luz e do calor, enquanto que, para ser considerado biodegradável, é preciso que o plástico seja decomposto por bactérias. E, como já dissemos, o que determina a condição de oxidegradabilidade (degradação pelo oxigênio) de um plástico é a utilização de aditivos chamados de pró-degradantes. No caso dos biodegradáveis, as próprias características do material provocam sua rápida decomposição, não necessitando de nenhum elemento a mais.

No entanto, o detalhe principal que você precisa saber sobre o plástico oxidegradável é quanto à sua decomposição. Na verdade, quando um canudo de plástico deste material se desintegra, ele se fragmenta em microplásticos e, assim, continua contaminando o solo e os oceanos. Ou seja, o problema dos plásticos comum ainda permanece!

Opiniões quanto ao plástico oxidegradável

Algumas referências no assunto são críticas quanto ao uso do plástico oxidegradável , como é o caso do Francisco Graziano, ex-secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Ele, por exemplo, questiona os riscos da fragmentação do composto em partículas invisíveis a olho nu e das emissões de gases de efeito estufa associadas à degradação, além da contaminação do solo por metais e outros compostos.

Água, Mar, Areia, Plastic, Poluição, Oceano, Praia
O plástico oxidegradável não é tão eficiente quanto se diz ser.

Além dele e de outras críticas, existem também pesquisas que mostram por A + B que o plástico oxidegradável não é tão eficiente quanto se diz ser. Um exemplo de estudo que contradiz o senso comum é o artigo “DEGRADAÇÃO DE SACOLAS PLÁSTICAS CONVENCIONAIS E OXIBIODEGRADÁVEIS“, publicado pela Universidade Federal de Santa Maria. Conforme consta em seu resumo:

“Notou-se que as sacolas convencionais e oxibiodegradáveis apresentaram perda de
massa, porém ambas apresentaram comportamento similares frente às intempéries. As sacolas oxibiodegradáveis não apresentaram degradação total durante o período de estudo (12 meses).”

Ou seja, você empreendedor ou consumidor: esqueça qualquer tipo de canudo feito com plástico oxidegradável, pois, embora os nomes sejam parecidos, ele não é biodegradável e causa grandes danos à natureza!

Cuidado! Biodegradação é uma coisa e reciclagem é outra completamente diferente

Para acrescentar no seu bê-a-bá do que você precisa saber para não cair em falsas boatarias, também é fundamental saber a diferença entre um produto biodegradável e o que é um produto passível de ser reciclado. Isso mesmo! Além de ter a preocupação em não adquirir um falso canudo de plástico biodegradável, pensando que está fazendo o correto, é preciso não fazer confusão com os significados das palavras reciclagem e biodegradação para não ser enganado mais uma vez.

Garrafas De Plástico, Rede De Pesca, Rede, Garrafa
É preciso saber a diferença entre reciclagem e biodegradação para não se enganar.

Entenda o seguinte: com esse pequeno espaço dado pela lei a respeito dos canudos biodegradáveis, muitas empresas que fabricavam canudos de plástico recicláveis passaram a utilizar o termo “canudo de plástico biodegradável” por puro marketing e propósito comercial. Ou seja, elas mantiveram a mesma composição do produto, mas com um discurso diferente e mais “ecológico”. Discurso esse para inglês ver.

A grande verdade é que elas passaram a vender o famoso gato por lebre, ou seja, diziam que estavam vendendo canudos biodegradáveis, enquanto vendiam produtos que apenas eram passíveis de serem reciclados. Por isso é tão importante que você saiba distinguir o que é produto biodegradável e o que é um produto passível de ser reciclado.

Então, vamos logo aprender de vez a diferenciar uma coisa da outra! Os produtos biodegradáveis são aqueles compostos por itens orgânicos e que irão se desintegrar em pedaços menores que 2 mm em até 90 dias. Eles podem ser colocados em uma composteira, por exemplo, que é o lugar mais propício para a sua decomposição, e, dentre de três meses, terá sido pelo menos 90% desintegrado. E é isso justamente o que NÃO ocorre com o canudinho feito com polipropileno e poliestireno, pois eles não se decompõem em um curto período de tempo. (e como vimos, tampouco acontece com o plástico oxidegradável).

Reciclar, Reutilização, Reciclagem, Reciclável, Símbolo
Produto biodegradável não significa produto que pode ser reciclado.

Em contrapartida, produtos passíveis de serem reciclados são aqueles que podem se desintegrar totalmente, mas por meio de um processo transformativo. Ou seja, há a necessidade de uma intervenção para que o ciclo daquele material se encerre, não bastando colocá-lo em um ambiente propício para isso. Logo, fica mais do que claro que um produto biodegradável nada tem a ver com um produto que pode ser reciclado, não é mesmo?

Canudo de plástico biodegradável não é uma solução!

Como já aprendemos ao ler esse texto até aqui, o canudo de plástico biodegradável não é uma alternativa ao canudinho tradicional e está, inclusive, proibido em alguns lugares, como é o caso de Santos. Na cidade, o empreendedor que utilizar esse tipo de produto estará sujeito a multas que variam de R$500 a R$1 mil.

Qual seria, portanto, a solução para não utilizar mais o canudo de plástico? A primeira delas é cortar de vez esse item nos seus costumes; no entanto, há muitos que não conseguem por questão de higiene e saúde, por exemplo. Nesses casos, opções bem interessas são os canudos biodegradáveis, mas sem o “de plástico” na descrição, como é o caso dos produtos da GreenFrog. Feitos de papel 100% biodegradáveis, esses tipos de canudos são os melhores amigos da natureza!

Canudos biodegradáveis feitos de papel, por exemplo, são as melhores alternativas.

Então, você já sabe, né, nada de cair nesse papo furado de canudo de plástico biodegradável e muito menos no papo de que o canudinho tradicional pode ser reciclado. A melhor opção em prol do meio-ambiente são aqueles produtos feitos com material orgânico, 100% biodegradável. Você usa uma vez e pode dar tchau ao seu canudo em menos de 90 dias! Melhor dos mundos, não?!