Como ser mais sustentável no descarte dos resíduos orgânicos mesmo sem ter composteira em casa

Mais e mais pessoas buscam diminuir o lixo que produzem em suas casas. Alguns contam com a composteira. No entanto, para outros, esse sistema pode ser bastante complexo em suas casas ou apartamentos.

Por esse motivo, hoje queremos apresentar várias alternativas de compostagem. Primeiro é importante realizar de forma correta o descarte dos resíduos, e adotar outras ações práticas para fazer uma boa separação do material.

Descarte certo dos resíduos

sustentável
Como ser mais sustentável no descarte dos resíduos orgânicos mesmo sem ter composteira em casa Foto – Pixabay

Estima-se que cada pessoa produza em média 800 gramas a 1 kg de lixo por dia. Infelizmente, nem tudo ou mesmo uma grande parte desse lixo é reciclada. A maior parte acaba em aterros sanitários.

Mas o que podemos fazer sobre isso? A primeira coisa que precisa ser feita é que precisamos mudar a maneira como as pessoas pensam sobre o lixo, como vêem seu próprio lixo gerado e o que fazem com o lixo que geram.

A menos que as cidades, estados e governo também tenham interesse em reduzir o desperdício e encontrar uma solução viável para se livrar dos grandes volumes de desperdício, pouca vontade não resultará em uma mudança em larga escala. A solução? Opte por uma maneira melhor de se relacionar com o lixo.

Existem vários grupos, empresas e até países que decidiram restringir seu amor por aterros sanitários e estão optando por um método melhor de “descartar” seus resíduos.

Dicas práticas para cuidar do seu lixo em sua casa

sustentável
Como ser mais sustentável no descarte dos resíduos orgânicos mesmo sem ter composteira em casa Foto – Pixabay

Você sabia que 50% do lixo doméstico é lixo orgânico que pode ser usado e, assim, evitar que chegue a aterros sanitários, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa?

O ideal é ter uma composteira, mas se isso ainda não é possível para você, confira dicas práticas para ser mais sustentável no descarte de resíduos orgânicos.

Hoje também existem empresas que trabalham com o serviço de composteira. É interessante pesquisar se há algum serviço similar em sua cidade.

Mas, antes saiba como no seu dia a dia, sem o uso de composteira, você pode ajudar o meio ambiente. Uma delas é realizar sempre a separação correta do lixo. Isso é fundamental!

  • Opte por produtos alimentares produzidos perto de você. Isso economiza embalagem e transporte. A compra a granel evita embalagens desnecessárias.
  • Recuse os alimentos que vêm em bandejas de cortiça branca.
  • Priorize o consumo de alimentos frescos, eles têm menos embalagens e são mais saudáveis.
  • Use garrafas de vidro recicláveis ​​em vez de latas, tijolos ou recipientes de plástico e, ao comprar bebidas, opte por recipientes grandes.

 Como reduzir o desperdício de papel e papelão:

  • Com papel e papelão, devemos usar estritamente as diretrizes dos “três Rs”:
  • Reduzir.
  •  Evite o uso desnecessário de papel ou papelão.
  • Tente usar papel reciclado e / ou ecológico.
  • Reutilize papel e papelão o máximo possível.
  • Use as folhas nos dois lados, especialmente ao imprimir ou fotocopiar.
  •  Escolha fontes pequenas e fontes de borracha para economizar espaço.
  • Reciclar.
  • Papel e papelão que não são mais úteis devem ser depositados nos recipientes específicos para posterior reciclagem.
  • Devemos evitar o uso de papéis que dificultam a reciclagem (ou laminados, encerados, fax, etc.), a menos que seja essencial.

Como reduzir o desperdício em dispositivos eletrônicos e elétricos:

  • O lixo deve ser entregue e gerenciado corretamente. Ao comprar um novo dispositivo, você pode levar o antigo para a loja onde faz a compra e eles o administram adequadamente. Caso a entrega do dispositivo antigo não se deva à aquisição de um novo, você deve levar o dispositivo descartado ao ponto de limpeza mais próximo ou perguntar à prefeitura se existe um sistema de coleta para esse tipo de resíduo.

Como reduzir o desperdício na limpeza:

  • Lembre-se de que você não obterá mais limpeza ou brancura usando mais detergente do que o indicado. Ao comprar detergente, escolha os maiores.
  • Se possível, evite purificadores de ar. Escolha arejar os quartos e usar plantas aromáticas.
  • Nunca use aerossóis que podem agredir a camada de ozônio.

Benefícios da compostagem

Há uma série de benefícios para compostagem que nem todos estão cientes. Alguns exemplos estão listados abaixo:

  • Os resíduos orgânicos dos aterros sanitários geram metano, um potente gás de efeito estufa. Compostando alimentos desperdiçados e outros produtos orgânicos, as emissões de metano são significativamente reduzidas.
  • O composto reduz e, em alguns casos, elimina a necessidade de fertilizantes químicos.
  • O composto promove maiores rendimentos de culturas agrícolas.
  • O composto pode ajudar nos esforços de reflorestamento, restauração de áreas úmidas e revitalização de habitats, melhorando os solos contaminados, compactados e marginais.
  • O composto pode ser usado para remediar solos contaminados por resíduos perigosos de uma maneira econômica.
  • O composto pode proporcionar economia de custos em relação às tecnologias convencionais de remediação da poluição do solo, água e ar, quando aplicável.
  • O composto melhora a retenção de água nos solos.
  • O composto proporciona sequestro de carbono, que contribui para reduzir o efeito estufa.

Vantagens da compostagem

As vantagens deste tipo de reciclagem são muitas, mas dentre as mais importantes, encontramos o seguinte:

Reduzir a poluição: quanto mais aproveitamos o lixo orgânico, mais o consumo de combustível no transporte é reduzido. Ao mesmo tempo, há menos acúmulo de resíduos em aterros e contribuímos para uma redução notável de substâncias tóxicas e gases nocivos. Também evitamos a contaminação produzida pela queima deles.

Economia de fertilizantes: Ao produzir adubo com nossos restos, não precisamos comprar fertilizantes ou substratos, pois os teremos em casa de graça e eles serão de ótima qualidade, pois não terão elementos químicos.

Melhorar a saúde do solo e das plantas: o composto obtido a partir de nossos resíduos orgânicos pode ser usado para melhorar e fortalecer o solo do gramado, arbustos e árvores, com uma qualidade de assimilação muito superior à das substâncias químicas ou substratos de origem desconhecida que compramos. O composto fortalece o solo e a atividade da vida microbiana, evita a erosão, favorece toda a atividade biológica do solo. Assim, pragas e doenças em vegetais são evitadas.

 

Opções de compostagem doméstica

Seja comprando uma lixeira ou construindo sua própria em casa, a compostagem doméstica é mais fácil do que você imagina. Muitos tipos de caixas de compostagem estão disponíveis, incluindo:

  • caixas para exteriores, com ou sem ventilação e orifícios de aterramento
  • copos
  • gabinetes abertos
  • compositores de interior / de bancada, como caixas de Bokashi
  • compostagem enterrada
  • vermicompostagem (fazendas de vermes)

Compostagem: transformando o lixo em algo útil

Você já escutou falar no termo compostagem? Se não, fique atento, pois ele é uma das grandes soluções que existem para o lixo urbano. E o melhor: é possivelmente viável fazer a compostagem dentro da sua própria casa! Quer saber como? Nós te contamos!

Transformando o lixo em algo útil

Compostagem: sobre o que se trata?

Compostagem nada mais é do que transformar seu lixo em adubo. Como assim? Sabe aquele resto de frutas, cascas de ovos, borra de carré, verduras passadas ou legumes estragados? Então, eles, juntamente com todo o resto de alimento de origem vegetal (exceto a casca de ovo, claro!), podem se transformar em um super alimento para as plantas em geral! Não é incrível?!

Em termos técnicos, conforme a descrição do Wikipedia, compostagem é o conjunto de técnicas aplicadas para estimular a decomposição de materiais orgânicos com a finalidade de obter um material rico em substâncias húmicas e nutrientes minerais, formando, assim, um solo humífero. Ou seja, é basicamente transformar o lixo orgânico em um excelente solo para as verdinhas.

Da compostagem, tem-se o adubo, um ótimo companheiro para as verdinhas

Da decomposição do material orgânico, além da terra rica em nutrientes, dá-se origem também ao biofertilizante ou o húmus líquido. Talvez você não o conheça pelo seu nome oficial, mas provavelmente deve saber sobre o que se trata pelo seu apelido popular: chorume. Pois é, você nunca iria imaginar, mas o tal do chorume é o incrível biofertilizante!

E por que incrível?! Embora muita gente tenha nojinho do chorume já que, né, convenhamos, dá motivos por seu mau cheiro fortíssimo, ele é um ótimo aliado para as plantas. O biofertilizante é altamente nutritivo para o solo e para as plantas, sendo também bastante útil para o combate de pragas e insetos. Ou seja, na compostagem, nada de jogar o chorume fora, tá? Tudo se aproveita e, o melhor, tudo se soma!

Então, resumidamente, é isso: compostagem é o processo de transformação do material orgânico em terrinha das boas! E antes que você nos pergunte nos comentários, nós já te respondemos: sim, é possível fazer uma compostagem doméstica! Abaixo, a gente te conta como!

Como fazer uma compostagem doméstica?

Você já sabe que compostagem é um ótimo aliado para a natureza, né? Afinal, todo aquele lixo que você jogaria fora e que iria se transformar em algo altamente tóxico e nocivo nos aterros sanitários acaba se transformando em algo positivo para o meio-ambiente. Ah, e isso sem contar sobre a questão do saco plástico, onde colocamos o lixo, né?! Nós já contamos aqui o porquê de banir de vez esse material na sua vida!

Dê tchau ao lixo e o transforme em material para sua compostagem doméstica

Enfim, a questão que fica é: é possível fazer compostagem dentro da minha própria casa?! E a resposta é: SIM! É super possível, fácil, tranquilo e, além de colaborar com a natureza, você vai ter em casa um super adubo para sua hortinha doméstica. Um belo de um incentivo, não?

Vamos lá, então, por onde começar? Simples! A primeira coisa que você deve fazer é reservar todos os alimentos de origem vegetal que sobrar no seu prato ou na sua geladeira. Isso também vale para borra de café, saquinho de chá e até casca de ovo!

Só não te recomendamos que coloque na composteira nada de origem animal… Embora a decomposição ocorra da mesma forma, carnes e derivados de leite, por exemplo, são ótimo atrativos para animais não desejados, como baratos e ratos. Ninguém quer isso na sua casa, não é mesmo?!

Os materiais para sua compostagem doméstica

Separado o material orgânico, que chamaremos de úmido, é hora de coletar o material seco. E o que seria isso?! São as folhas secas, palhinhas e até casca de pinus! Ou seja, sabe aquela árvore cujas folhas não param de cair, sujando toda a rua da sua casa? Pois é, elas são um ótimo material seco para sua composteira! Então, vassoura e pá na mão e vá sem medo faxinar a rua. É para uma ótima causa!

Pronto! Ambos os materiais estão já com você, então qual seria o próximo passo? Depositar tudo isso numa composteira, que é o espaço onde se realiza a compostagem. Importante frisar que, para cada 1 parte do material úmido, é preciso ter 2 partes do material seco. Isso serve para evitar os fortes odores provenientes da decomposição.

Composteira doméstica: uma ótima aliada para se ter em casa

Para a segunda parte da compostagem doméstica, é fundamental que se tenha uma composteira. Ela pode ser adquira em diversos sites online (sempre bom ler as avaliações para ver se não está comprando gato por lebre, hein?!) ou ser feita em casa de maneira bem simples. Uma ótima dica é comprar uma caixa de plástico já com tampa, fazer furinhos embaixo, e encaixá-la em uma outra caixa, onde ficará armazenado o biofertilizante.

E como se utiliza a composteira?  Simples também! No recipiente de cima, você coloca aquela misturinha dos materiais úmidos e secos (não se esqueça da proporção, hein?!). A cada dois dias, mais ou menos, você mexe em todo o material para facilitar e acelerar o processo de decomposição. Aí, é só aguardar até que tudo vire solo. Normalmente, demora cerca de dois a três meses para isso acontecer.

Adubo, Jardim, Resíduos, Bio, Natureza
Composteira: amiga do meio-ambiente e da sua horta

Ah, e é importantíssimo frisar que é mais do que necessário haver um recipiente embaixo do recipiente onde se deposita o material a ser decomposto para armazenar o biofertilizante. É fundamental para a compostagem que esse líquido tenha por onde sair! Então, ao manter um segundo recipiente, você fará com que o chorume não fique em contato com o resto do material e, ainda, coletará um líquido altamente nutritivo para as verdinhas, como já falamos acima.

Minhocas californianas: grandes amigas da sua composteira

Se você não tem muita paciência e quer que o processo seja ainda mais rápido, basta comprar minhocas californianas. Elas irão comer tudo que estiver por lá, fazer a digestão e irão defecar. Acredite se quiser, mas esse material expelido pelas minhocas é um dos melhores adubos orgânicos que existe! Se for a uma casa de construção, pode reparar que, na parte de jardinagem, haverá o tal de húmus de minhoca. Pois bem, agora você já sabe sobre o que se trata!

Minhocas californianas
Minhocas californianas: amiga da sua composteira doméstica

E aí, depois de ler esse texto, dá vontade de ter logo uma composteira em casa e começar já o processo de compostagem, não é mesmo? O blog aqui apoia, porque, afinal, você estará fazendo um grande bem ao meio-ambiente ao reduzir o seu lixo, além de ter um ótimo incentivador para sua horta caseira. Melhor combinação de benefícios impossível!