O tipo de mundo em que quero viver

O tipo de mundo onde buscamos viver não precisa ter tantas condições externas que influenciam o nosso modo de viver. Mas uma mudança de atitude perante a vida e os seus desafios já pode fazer a diferença.

  1. Procure amar, não controlar os outros.
    Deixar de buscar poder sobre as pessoas e os resultados de sua vida é o primeiro passo importante para viver em paz. Tentar controlar as pessoas é tentar impor sua vontade e realidade aos outros sem parar para ver o lado deles. Uma abordagem de controle dos relacionamentos manterá você em conflito com os outros. Substituir a vontade de controlar por uma abordagem ampla de amar os outros, incluindo suas falhas e diferenças, é o caminho para uma vida pacífica.
  2. Encontre sua paz interior

Pelo menos uma vez por dia, passe dez minutos em um local tranquilo, como debaixo de uma árvore com sombra ou no parque, em qualquer lugar onde você possa sentar-se em silêncio, sem distrações. Sem paz interior, você se sentirá em constante estado de conflito.

Tentar encher sua vida de posses ou melhorar sua escalada social sem parar para valorizar seu valor interior o deixará perpetuamente infeliz. Quando estiver com raiva, encontre um lugar calmo e agradável para parar, respire fundo e relaxe. Desligue a TV e o computador. Saia para a natureza, se possível, ou faça uma boa caminhada. Coloque uma música suave ou apague as luzes. Quando você se sentir calmo novamente, levante-se e continue com sua vida.

  1. Modere suas convicções.

Pensar e manter opiniões sem considerar os pontos de vista dos outros é uma maneira de viver uma vida sem paz. Esse tipo de pensamento extremista geralmente leva a um comportamento reativo, apressado e dirigido que carece do benefício da reflexão. Essa abordagem pode facilmente levar você a um conflito quando outras pessoas não concordam com suas convicções. Mantenha a mente aberta e pronta para revisar sua compreensão. É mais gratificante porque você crescerá como pessoa e viverá em maio harmonia com as pessoas a sua volta.

  1. Seja tolerante.

A tolerância em tudo o que você pensa e faz fará a diferença em sua vida e na vida dos outros ao seu redor. Tolerância para com os outros é apreciar a diversidade, a pluralidade da sociedade moderna e estar disposto a viver e deixar que outros vivam também. Quando você falha em tolerar as crenças, modos de ser e opiniões dos outros, o resultado final pode ser discriminação, repressão, desumanização e, finalmente, violência.

  1. Seja paz
mundo
O tipo de mundo em que quero viver Foto – Pixabay

Uma pessoa pacífica não usa violência contra outra pessoa ou animal (que também inclui pequenos insetos desagradáveis). Embora exista muita violência neste mundo, escolha não deixar que a morte e o assassinato façam parte da sua filosofia de vida.

  1. Reflexão do pensamento.

Se alguém lhe machucar física ou mentalmente, não reaja com raiva ou violência. Pare e pense. Reflita e responda sem raiva. Ou fique em silêncio.

  1. Busque perdão, não vingança.

Viva o presente, não o passado. Pensar naquilo que deveria ter sido e reviver feridas passadas manterá viva a negatividade do passado e trará constantes conflitos internos. O perdão lhe permite viver no presente, olhar para o futuro e deixar o passado se acalmar suavemente. O perdão é a vitória final, porque permite que você aproveite a vida novamente, fazendo as pazes com o passado.

  1. Viva em alegria.

Escolher ver as maravilhas do mundo é um antídoto para a violência. É difícil ser violento contra aquilo que você considera bonito, maravilhoso, maravilhoso e alegre. O maior desespero decorrente das guerras vem da destruição da inocência, beleza e alegria. A alegria traz paz à sua vida, porque você está sempre preparado para ver o que é bom nos outros e no mundo, e ser grato pelos aspectos maravilhosos da vida.

  1. Seja a mudança que você deseja ver no mundo.
mundo
O tipo de mundo em que quero viver Foto – Pixabay

A violência começa com a aceitação de sua possibilidade como solução. É dentro de si que você precisa parar a violência e tornar-se pacífico. Mude-se antes que você possa mudar o mundo. No final das contas, viver em paz será sua própria escolha consciente. Você é livre para escolher seu próprio caminho, mas, seja lá como for, lembre-se de que todas as suas ações afetarão as pessoas ao seu redor.

  1. Acalme sua mente

Seja uma pessoa experiente da paz ou um jovem aspirante a fazer uma mudança, é sempre bom começar por si mesmo. Acalmar sua mente irá ajudá-lo a ser mais paciente. Ajudará você a estar presente para aqueles que mais precisam de você. Isso ajudará você a se envolver com pessoas desafiadoras. Vai aprimorar sua intuição. Isso permitirá que você modere sentimentos de raiva e outras emoções fortes quando elas surgirem. Isso lhe dará mais informações para analisar questões complexas associadas a conflitos e desigualdades. Isso o ajudará a ser mais focado e criativo em seus esforços para construir a paz.

  1. Simplifique sua vida

Viver uma vida simples ajudará a limpar sua mente. Você terá menos distrações e poderá concentrar-se em encontrar maneiras de resolver um problema (ou assuntos) de seu interesse. Isso o ajudará a viver sua vida com intenção. E com um estilo de vida minimalista, você reduzirá sua pegada de carbono. Isso é um bônus!

Essas foram algumas ideias que você pode considerar.  Deixe de lado compromissos sociais que não são significativos para você. Aprecie as coisas simples da vida. Desapegue-se da ideia de que você precisa estar “ocupado”. Reduza a desordem física e mental, deixe as distrações desaparecerem e foque no que é importante para você

Abrace o tempo quieto. Observe suas emoções. Passe algum tempo na natureza. Esteja atento ao seu consumo de mídia. Respire. Encontre e use práticas contemplativas que funcionem para você

Energia renovável: saiba mais sobre essa fonte de energia limpa e sustentável

Com o tema da sustentabilidade cada vez mais em alta nas questões prioritárias da sociedade, um assunto de extrema importância passou a vir à tona: a energia renovável. Isso porque é inevitável não fazer qualquer tipo de associação entre ambos os assuntos, já que a energia “suja” é um dos maiores poluidores do meio-ambiente.

Energia renovável e não renovável: a diferença que você precisa saber

Embora o assunto da energia renovável pareça simples e ao nosso alcance, ele não é. É importante saber entender sobre o que ele se trata e, principalmente, a diferença desse tipo de energia para a considerada “suja”.  Então, vamos explicar por partes para que não restem dúvidas quanto ao assunto.

Moinho De Vento, Turbina De Vento, Energia Eólica
Com a atual preocupação em torno do tema da sustentabilidade, o assunto energia renovável ganhou o seu espaço.

A energia renovável nada mais é do que a energia produzida a partir de recursos renováveis, ou seja, de recursos naturais infinitos, que não se esgotam, como o vento, a chuva ou o sol. Por essa razão, ela é considerada uma energia limpa, uma vez que não produz resíduos poluidores da natureza, não prejudicando, assim, o meio-ambiente.

Em contrapartida, temos a energia não-renovável ou a suja, que se utiliza de recursos naturais finitos, como o carvão e o petróleo. E como você já deve saber, esse tipo de energia, além de poder causar uma provável extinção de tais recursos, também causa grandes impactos negativos ao meio-ambiente.  

Energia não renovável: um mal a se combater

Vejamos a China, por exemplo. É de conhecimento geral que o país possui um dos ares mais poluídos do mundo. O motivo?! O consumo de carvão mineral para a produção de energia, sendo a sua principal fonte. Para se ter ideia da gravidade do problema, a poluição na China é tão ruim que bloqueia até mesmo o Sol para os painéis solares!

Nevoeiro, Shanghai, Barcos, Poluição Atmosférica, Rio
O famoso nevoeiro da China não é fruto da nebulosidade, mas sim da poluição causada pelo fato do país não priorizar fontes de energia renovável.

Mas o que parece que não tem como piorar em termos de energia não renovável, é bom que saiba que sempre tem como! Isso porque não bastassem os grandes problemas de ordem ambiental causados por esse tipo de energia, ele ainda pode causar diversas disputas em torno de sua extração e comercialização.

O petróleo, por exemplo, que é um tipo de energia não renovável, é um símbolo de poder tanto político, como econômico. Justamente por isso, tivemos a Guerra do Golfo, quando o Saddam Hussein, presidente do Iraque, alegou que o Kuwait estava prejudicando o seu país no comércio de petróleo ao vender o produto por um preço muito baixo.

Ou seja, resumo da ópera toda: você que está preocupado com a sustentabilidade tanto ambiental como social, é bom que comece a optar por fontes de energia renovável.  O seu consumo faz bem para o ambiente, para a sociedade como um todo e até mesmo para o seu bolso, como veremos logo mais.

As melhores opções de energia renovável no Brasil

Já sabemos que fontes de energia “suja” são péssimas num contexto geral. Então, a escolha por energia renovável se torna mais do que óbvia – quer dizer, na verdade, ela se torna quase que obrigatória quando passamos a entender de fato os efeitos negativos de uma escolha ruim.

Fotovoltaicas, Sistema Fotovoltaico, Sistema Solar
A escolha por energia limpa se torna mais do que óbvia frente aos impactos negativos da fonte de energia “suja”.

Como verá abaixo, há diversas alternativas de energia sustentáveis e limpas, sendo que algumas podem ser facilmente utilizadas em sua própria casa. Descubra agora mesmo quais são elas!

1. Energia hidrelétrica

De longe, a energia hidrelétrica é a energia renovável mais popular e conhecida no Brasil. Isso porque ela é a principal fonte de energia elétrica do país, abastecendo aproximadamente 90% de todo o território brasileiro. Além disso, o Brasil é o segundo país do mundo com maior capacidade e geração de energia hidráulica, atrás apenas da China.

No entanto, embora a hidrelétrica seja uma fonte de energia renovável , ela não está isenta de impactos ambientais e sociais. Problemas como desmatamento e a consequente perda da biodiversidade, assim como o deslocamento de populações ribeirinhas, comunidades indígenas e pequenos agricultores, são alguns dos efeitos negativos causados pelas construções de grandes barragens para obtenção de energia elétrica.

2. Energia solar

É bem provável que sua casa já esteja abastecida com energia hidrelétrica, não é mesmo? No entanto, existe uma alternativa mais limpa que está tomando conta dos lares daqueles que mais se preocupam com o meio-ambiente: a energia solar.

Praia De Ipanema, Rio De Janeiro, Sugarload Montanha
Lugares em que há muita incidência da luz do Sol podem se beneficiar com a energia solar, como é o caso da cidade do Rio de Janeiro.

Como no Brasil incide muita luz do Sol por ser um país tropical, esse tipo de energia acaba sendo bastante procurado por aqueles que buscam fontes de energia renovável. Além disso, a energia solar se torna uma ótima escolha até mesmo para o bolso, já que o preço da instalação do sistema fotovoltaico no Brasil caiu, enquanto que houve alta tarifária da conta de energia elétrica.

Mas como nem tudo é perfeito, o único porém é que essa fonte de energia tem o inconveniente de não poder ser usada à noite, a menos que se tenham bateria. De qualquer modo, a energia solar ainda é uma fonte de energia renovável cujo investimento vale muito a pena!

3. Energia eólica

Por fim, mas não menos importante, já que é a segunda maior fonte energética do Brasil, temos a energia eólica, uma das fontes mais limpas do mundo. Como o próprio nome já dá a entender, ela nada mais é do que a energia proveniente da força dos ventos.

Importante aliada ao desenvolvimento sustentável brasileiro, a energia eólica contribui fortemente para a diminuição da poluição. Conforme a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), ela sozinha foi capaz de eliminar a emissão de 21 milhões de toneladas de gás carbônico (CO2)! E não bastasse esse grande marco ao meio-ambiente, a energia eólica, juntamente com a solar, é uma das fontes de energia mais barata do mundo. Ou seja, só ponto positivo para ela!

Windräder, Energia Eólica, Parque Eólico, Nevoeiro
Desde 2019, a energia eólica passou a ser a segunda maior fonte energética do Brasil.

Depois desse texto, você já sabe: sempre quando puder optar por energia renovável, faça isso. Será de grande valia para você, para a natureza e, às vezes, até mesmo para o seu bolso, como é o caso da energia solar. Então, invista nessa ideia, pois o mundo agradece!