Experiências simples de ciência em sustentabilidade para fazer em casa com crianças

Sustentabilidade é uma palavra grande e um conceito ainda maior para as crianças entenderem. Mas é importante ensinar a elas o que significa e como contribuir para ajudar o meio ambiente e o planeta.

Comece modelando o básico, como minimizar o lixo (o primeiro “R” no mantra de sustentabilidade “Reduzir, reutilizar, reciclar”!) E talvez plantar e regar seus próprios vegetais. Dê um passo adiante com essas atividades divertidas e educacionais de sustentabilidade para crianças.

Dicas de sustentabilidade

Confira as dicas que separamos para vocês:

  1. Faça da reciclagem um jogo

Se você já possui caixas separadas para lixo e reciclagem, transforme a reciclagem em um jogo de classificação. Designe caixas diferentes para produtos de papel, plástico, latas e vidro – você pode até imprimir ou criar seus próprios letreiros para colocar nas caixas, com fotos de itens comuns que apareceriam em cada uma delas. Então, faça a classificação!

  1. Compostagem

A compostagem não é apenas ecológica; também é um projeto científico interessante. Mantenha a bandeja do lado de fora e siga estas instruções rápidas:

  • Alinhe o fundo da lixeira com galhos, cubra-os com folhas e adicione um pouco de água.
  • Adicione restos de comida, como cascas de cenoura e batata, miolo de maçã, borra de café, casca de ovo e crosta de pão sobre as folhas e, novamente, adicione um pouco de água
  • Folhas e restos de comida alternativos algumas vezes
  • Quando a lixeira estiver cheia, misture tudo a cada semana
  • Observe como tudo muda e começa a quebrar
  • Após 3 a 12 meses, use seu composto no jardim ou em vasos de plantas
  1. Use materiais reciclados para projetos de arte
sustentabilidade
Experiências simples de ciência em sustentabilidade para fazer em casa com crianças Foto – Pixabay

No dia anterior ao lixo e ao dia da reciclagem, faça uma caça ao tesouro de reciclagem. Examine cuidadosamente os materiais a serem descartados e reserve toalhas de papel vazias ou rolos de papel higiênico, recipientes de plástico, caixas de alimentos, outros cartões, revistas e catálogos, caixas de ovos e qualquer outra coisa de interesse. Coloque tudo, juntamente com fita adesiva, cola, tinta, lápis de cera e marcadores, e comece a criar.

  1. Decore suas próprias sacolas

Quem disse que as sacolas precisam ser chatas? Use marcadores de tecido, tinta inchada e adesivos para passar roupas para decorar suas malas. E se o seu supermercado permitir, use-os na próxima vez que for às compras. As sacolas de tecido podem ser recicladas e personalizadas.

  1. Desafie sua família a andar em vez de dirigir.

Além de caminhar ser melhor para o meio ambiente, também oferece a todos um bom exercício. Se as circunstâncias permitirem, caminhe em vez de dirigir até o supermercado ou a farmácia. Traga uma sacola e, ao longo do caminho, procure pedrinhas, como um exemplo de atividade. Quando chegar em casa, fale sobre como as pedras se sentem e tente empilhá-las, pintá-las ou contá-las.

Essa é uma ótima maneira de chamar a atenção explícita de como o consumo individual de cada pessoa (não importa quão pequena ela seja) afeta a sustentabilidade e contribui para a diminuição da capacidade de desperdício do nosso planeta.

6.Registro de viagem

sustentabilidade
Experiências simples de ciência em sustentabilidade para fazer em casa com crianças Foto – Pixabay

Em conjunto com a exploração da pergunta “Qual é minha pegada de carbono?”, peça aos filhos que registrem suas viagens por alguns dias ou uma semana.

O tipo de dados que eles capturam para cada viagem pode incluir:

  • modo de transporte
  • a distância da viagem
  • Número de passageiros
  • e possíveis modos de transporte alternativos.

As crianças podem coletar e examinar. Depois de apresentar suas descobertas em representações visuais, como tabelas, gráficos de colunas ou gráficos de figuras, discuta o que os resultados podem significar em termos de conhecimento e atitudes em relação à sustentabilidade.

7.Dia sem energia

Desafie seus filhos (e você mesmo!) a ficar sem energia por um dia … Ou talvez apenas uma manhã, se você sentir que um dia inteiro seria muito desafiador!

Essa atividade atrairá rapidamente a atenção das crianças para a infinidade de itens que eles usam e requerem energia. Luzes, calculadoras, computadores, iPads, quadros interativos e aparelhos de ar condicionado estão disponíveis todos os dias!

Incentivar uma mentalidade ambientalmente consciente

sustentabilidade
Experiências simples de ciência em sustentabilidade para fazer em casa com crianças Foto – Pixabay

Ajude seu filho a entender a sustentabilidade e as práticas ambientalmente amigáveis ​​desde tenra idade. E lembre-se, seu impacto pode parecer pequeno, mas um pouco vai longe.

Permitir que as crianças participem de experiências ambientalmente relevantes ajuda-as a entender como cuidar da Terra. Também é uma ótima maneira de incutir traços de caráter como bondade e amor por nosso planeta.

Dessa forma, as crianças se familiarizarão com o ambiente por meio do aprendizado baseado em jogos. Isso ajuda as crianças a entenderem seu papel como administradores do meio ambiente.

E mais, por meio da descoberta do meio ambiente, as crianças aprenderão a agradecer e respeitar a terra e as nobres obras dos agricultores. Além disso, também pode inspirar a próxima geração de cuidadores ambientais.

Lixeiras de compostagem, reciclagem e segregação de lixo são três grandes exemplos de educar as crianças em seu papel como jovens protetores da Terra.

Como resultado, as crianças adoram fazer essas atividades ecológicas mais depois de descobrir que estão fazendo algo de bom para minimizar o desperdício e salvar nosso planeta.

Com todos esses benefícios, as crianças não apenas se desenvolverão em todos os aspectos, mas também adquirirão novos hobbies sustentáveis, desfrutarão de uma conexão duradoura com o meio ambiente e aprenderão mais sobre como ter um impacto mais positivo no mundo.

Acompanhe os produtos comercializados pelo Greenfrog no site.

Dicas para definir seu estilo pessoal | Criando um guarda-roupa ético

A ideia de criar um guarda-roupa sustentável ou ético a partir do zero é, sem dúvida, assustadora.

Existe a perspectiva de não poder usar as marcas com as quais você está acostumado, e limitar suas escolhas em termos de tendências, sem mencionar a necessidade de gastar um pouco mais do que normalmente.

É claro que todas essas preocupações são válidas, mas não é tão difícil quanto você imagina começar com um guarda-roupa sustentável – e definitivamente vale a pena a longo prazo. Confira as informações que separamos para vocês!

Por que investir em um guarda-roupa mais ético?

estilo pessoal
Dicas para definir seu estilo pessoal | Criando um guarda-roupa ético Foto – Pixabay

É comum a impressão que investir em um guarda-roupa ético significa comprar apenas de marcas de roupa que são sustentáveis. Só que – essa pode ser sim uma escolha – porém, é também possível apenas mudar aos poucos a relação com a roupa.

Infelizmente, a compra de roupas produzidas em países sem regulamentos ambientais em vigor polui o meio ambiente, além de trazer outros riscos ambientais.

Nossos hábitos de consumo danificam o meio ambiente a um nível que ninguém jamais imaginaria a 100 anos atrás.

Dicas de um guarda-roupa sustentável

Confira algumas dicas:

Invista em roupas que não saem da moda

O tradicional primavera / verão / outono / inverno das semanas internacionais de moda é apenas para mostrar. Nem tudo que está na moda vai ficar por muito tempo. Então antes de comprar, pergunte se realmente vai usar, e preservar, as peças.

Desintoxique seu guarda-roupa

A indústria da moda é a segunda mais poluidora do mundo, depois do petróleo. Notavelmente, os corantes azo ainda são os corantes sintéticos mais utilizados, apesar de muitos serem tóxicos. As roupas Fast fashion representam esse setor.

Doe roupas que não usa mais

Doe suas roupas que não usa mais por uma boa causa, em vez de deixá-las penduradas em seu guarda-roupa. Isso ajudará outras pessoas a serem mais sustentáveis, que investirão em suas peças antigas, em vez de comprar algo novo. Uma ótima maneira de fazer isso é colocar em prática uma ideia em que, toda vez que você comprar algo, doará outra peça do seu guarda-roupa.

Cuide de suas roupas para que elas durem mais

Parece óbvio, mas é tão importante. Obviamente, se você comprar roupas de melhor qualidade, é provável que elas durem mais (e você também as tratará melhor porque foram mais caras), mas isso vale para tudo que está pendurado em seu guarda-roupa.

Cuide delas adequadamente e você terá que substituir as coisas com menos frequência. Desde cuidar de sua camisa a lavar seu jeans de dentro para fora, faça um esforço extra para garantir que suas roupas fiquem no seu melhor por mais tempo.

Aprenda como consertar roupas (ou encontre uma boa costureira)

Quando a roupa rasga você não precisa necessariamente jogá-la fora. Aprenda a consertar suas roupas e acessórios – ou, ainda mais fácil, pague um profissional para fazer isso. Pense duas vezes antes de usá-lo como desculpa para algo novo.

Sobre a construção de um guarda-roupa sustentável

estilo pessoal
Dicas para definir seu estilo pessoal | Criando um guarda-roupa ético Foto – Pixabay

Acima passamos algumas dicas de como podemos fazer isso. Claro que muitos especialistas indicam comprar roupas que foram fabricadas de forma honesta, e sem poluir o meio ambiente.

Além disso, tente colocar em prática os seguintes passos:

PASSO 1: Dê uma olhada no que você possui – redescubra peças antigas, adapte peças que não lhe servem mais, doe coisas que você não veste e veja o que você mais usa. Faça esse teste. Algumas roupas que acredita não ser tão bonitas, podem combinar muito bem com outras peças que já possui no armário.

PASSO 2:  Encontre o seu estilo! O que mais gosta de usar: vestidos, jeans e blusas, calças e camisas? E quais são as cores e formas que  mais usa?

Existe, talvez, uma cor que faça você parecer mais vibrante ou uma cor para a qual você é naturalmente atraído? Observe suas decisões inconscientes de se vestir todas as manhãs e faça uma lista de todas as roupas que você se sente bem.

Uma dica segundo especialistas, é investir em um profissional que faz a coloração pessoal. O que é isso? Ele vai analisar as cores que combinam mais com você, com seu rosto. Ou seja, muitas vezes compramos peças de uma cor porque gostamos mas elas nem sempre acabam realçando a nossa beleza. Então fica essa dica!

PASSO 3: Quais são as peças de roupa que você gostaria de ter? Uma camisa de seda branca ou um sobretudo clássico de todos os tempos? Veja o que está faltando no seu guarda-roupa e faça uma lista.

PASSO 4: Agora que você sabe o que precisa, uma dica é também apostar em brechós. Por lá, pode encontrar uma variedade de peças atemporais. Já fizemos um texto falando dos benefícios do brechó. Clique aqui para ler.

Mas quando for as compras, não se desvie nem faça uma compra por impulso. Concentre-se apenas no que você precisa. Antes de fazer a compra, verifique os padrões e pergunte a si mesmo: Sinto-me confortável em usar isso? Essa cor e forma ficam bem em mim? Combina com o resto das minhas peças do guarda-roupa? Se a resposta for SIM, vá em frente! Se você ainda tiver alguma dúvida, espere antes de decidir.

estilo pessoal
Dicas para definir seu estilo pessoal | Criando um guarda-roupa ético Foto – Pixabay

PASSO 5: Aproveite ao máximo seu guarda-roupa, coloque seus vestidos de verão com malhas grossas, use uma meia-calça por baixo do short e use-a nos meses mais frios. Não há regras neste jogo, divirta-se e aproveite ao máximo o que você tem!

PASSO 6: Seja atencioso com suas compras e compre, se possível, peças de longa duração produzidas por marcas éticas. Hoje já existem várias, e muitas com preço mais acessível.

Abaixo, alguns números sobre a moda. Eles são para lembrar da importância da conscientização.

  • A indústria da moda é a segunda maior poluidora do mundo, depois da indústria de petróleo;
  • São necessárias 200 toneladas de água doce para tingir 1 tonelada de tecido;
  • 750 milhões de pessoas no mundo não têm acesso à água potável;
  • 90% das águas residuais dos países em desenvolvimento são despejadas em rios sem tratamento;
  • 000 toneladas de fibras microplásticas têxteis acabam nos oceanos todos os anos;
  • 70 milhões de árvores são cortadas a cada ano para fazer nossas roupas.

E então? Comece aos poucos a repensar a sua relação com a roupa!

Como ser mais sustentável no descarte dos resíduos orgânicos mesmo sem ter composteira em casa

Mais e mais pessoas buscam diminuir o lixo que produzem em suas casas. Alguns contam com a composteira. No entanto, para outros, esse sistema pode ser bastante complexo em suas casas ou apartamentos.

Por esse motivo, hoje queremos apresentar várias alternativas de compostagem. Primeiro é importante realizar de forma correta o descarte dos resíduos, e adotar outras ações práticas para fazer uma boa separação do material.

Descarte certo dos resíduos

sustentável
Como ser mais sustentável no descarte dos resíduos orgânicos mesmo sem ter composteira em casa Foto – Pixabay

Estima-se que cada pessoa produza em média 800 gramas a 1 kg de lixo por dia. Infelizmente, nem tudo ou mesmo uma grande parte desse lixo é reciclada. A maior parte acaba em aterros sanitários.

Mas o que podemos fazer sobre isso? A primeira coisa que precisa ser feita é que precisamos mudar a maneira como as pessoas pensam sobre o lixo, como vêem seu próprio lixo gerado e o que fazem com o lixo que geram.

A menos que as cidades, estados e governo também tenham interesse em reduzir o desperdício e encontrar uma solução viável para se livrar dos grandes volumes de desperdício, pouca vontade não resultará em uma mudança em larga escala. A solução? Opte por uma maneira melhor de se relacionar com o lixo.

Existem vários grupos, empresas e até países que decidiram restringir seu amor por aterros sanitários e estão optando por um método melhor de “descartar” seus resíduos.

Dicas práticas para cuidar do seu lixo em sua casa

sustentável
Como ser mais sustentável no descarte dos resíduos orgânicos mesmo sem ter composteira em casa Foto – Pixabay

Você sabia que 50% do lixo doméstico é lixo orgânico que pode ser usado e, assim, evitar que chegue a aterros sanitários, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa?

O ideal é ter uma composteira, mas se isso ainda não é possível para você, confira dicas práticas para ser mais sustentável no descarte de resíduos orgânicos.

Hoje também existem empresas que trabalham com o serviço de composteira. É interessante pesquisar se há algum serviço similar em sua cidade.

Mas, antes saiba como no seu dia a dia, sem o uso de composteira, você pode ajudar o meio ambiente. Uma delas é realizar sempre a separação correta do lixo. Isso é fundamental!

  • Opte por produtos alimentares produzidos perto de você. Isso economiza embalagem e transporte. A compra a granel evita embalagens desnecessárias.
  • Recuse os alimentos que vêm em bandejas de cortiça branca.
  • Priorize o consumo de alimentos frescos, eles têm menos embalagens e são mais saudáveis.
  • Use garrafas de vidro recicláveis ​​em vez de latas, tijolos ou recipientes de plástico e, ao comprar bebidas, opte por recipientes grandes.

 Como reduzir o desperdício de papel e papelão:

  • Com papel e papelão, devemos usar estritamente as diretrizes dos “três Rs”:
  • Reduzir.
  •  Evite o uso desnecessário de papel ou papelão.
  • Tente usar papel reciclado e / ou ecológico.
  • Reutilize papel e papelão o máximo possível.
  • Use as folhas nos dois lados, especialmente ao imprimir ou fotocopiar.
  •  Escolha fontes pequenas e fontes de borracha para economizar espaço.
  • Reciclar.
  • Papel e papelão que não são mais úteis devem ser depositados nos recipientes específicos para posterior reciclagem.
  • Devemos evitar o uso de papéis que dificultam a reciclagem (ou laminados, encerados, fax, etc.), a menos que seja essencial.

Como reduzir o desperdício em dispositivos eletrônicos e elétricos:

  • O lixo deve ser entregue e gerenciado corretamente. Ao comprar um novo dispositivo, você pode levar o antigo para a loja onde faz a compra e eles o administram adequadamente. Caso a entrega do dispositivo antigo não se deva à aquisição de um novo, você deve levar o dispositivo descartado ao ponto de limpeza mais próximo ou perguntar à prefeitura se existe um sistema de coleta para esse tipo de resíduo.

Como reduzir o desperdício na limpeza:

  • Lembre-se de que você não obterá mais limpeza ou brancura usando mais detergente do que o indicado. Ao comprar detergente, escolha os maiores.
  • Se possível, evite purificadores de ar. Escolha arejar os quartos e usar plantas aromáticas.
  • Nunca use aerossóis que podem agredir a camada de ozônio.

Benefícios da compostagem

Há uma série de benefícios para compostagem que nem todos estão cientes. Alguns exemplos estão listados abaixo:

  • Os resíduos orgânicos dos aterros sanitários geram metano, um potente gás de efeito estufa. Compostando alimentos desperdiçados e outros produtos orgânicos, as emissões de metano são significativamente reduzidas.
  • O composto reduz e, em alguns casos, elimina a necessidade de fertilizantes químicos.
  • O composto promove maiores rendimentos de culturas agrícolas.
  • O composto pode ajudar nos esforços de reflorestamento, restauração de áreas úmidas e revitalização de habitats, melhorando os solos contaminados, compactados e marginais.
  • O composto pode ser usado para remediar solos contaminados por resíduos perigosos de uma maneira econômica.
  • O composto pode proporcionar economia de custos em relação às tecnologias convencionais de remediação da poluição do solo, água e ar, quando aplicável.
  • O composto melhora a retenção de água nos solos.
  • O composto proporciona sequestro de carbono, que contribui para reduzir o efeito estufa.

Vantagens da compostagem

As vantagens deste tipo de reciclagem são muitas, mas dentre as mais importantes, encontramos o seguinte:

Reduzir a poluição: quanto mais aproveitamos o lixo orgânico, mais o consumo de combustível no transporte é reduzido. Ao mesmo tempo, há menos acúmulo de resíduos em aterros e contribuímos para uma redução notável de substâncias tóxicas e gases nocivos. Também evitamos a contaminação produzida pela queima deles.

Economia de fertilizantes: Ao produzir adubo com nossos restos, não precisamos comprar fertilizantes ou substratos, pois os teremos em casa de graça e eles serão de ótima qualidade, pois não terão elementos químicos.

Melhorar a saúde do solo e das plantas: o composto obtido a partir de nossos resíduos orgânicos pode ser usado para melhorar e fortalecer o solo do gramado, arbustos e árvores, com uma qualidade de assimilação muito superior à das substâncias químicas ou substratos de origem desconhecida que compramos. O composto fortalece o solo e a atividade da vida microbiana, evita a erosão, favorece toda a atividade biológica do solo. Assim, pragas e doenças em vegetais são evitadas.

 

Opções de compostagem doméstica

Seja comprando uma lixeira ou construindo sua própria em casa, a compostagem doméstica é mais fácil do que você imagina. Muitos tipos de caixas de compostagem estão disponíveis, incluindo:

  • caixas para exteriores, com ou sem ventilação e orifícios de aterramento
  • copos
  • gabinetes abertos
  • compositores de interior / de bancada, como caixas de Bokashi
  • compostagem enterrada
  • vermicompostagem (fazendas de vermes)

Plantas no espaço de trabalho reduzem stress e ajudam no home office

O ambiente de trabalho em que você passa o dia a dia influencia e muito sua produtividade. Um ambiente com boa energia ajuda a reduzir os níveis de estresse e torna o seu dia de trabalho mais suportável. E talvez você não tenha pensado nisso, mas até as plantas têm seu papel.

Ultimamente, as plantas deixaram de ser seres inertes que estão apenas nos cantos da casa ou do escritório apenas para decoração. Antes, eles tinham o hábito de comprá-los para estética ou porque sabiam que ajudava a purificar o ambiente. No entanto, as plantas têm muitos benefícios que vão além de dar vida a um lugar.

Importância das plantas

plantas no escritório
Plantas no espaço de trabalho reduzem stress e ajudam no home office Foto – Pixabay

As plantas não apenas oxigenam o ambiente do escritório, mas também o tornam mais fresco, o que ajuda a clarear a mente, a permitir que a criatividade flua e a diminuir o estresse dos trabalhadores. Elas também colaboram para dar personalidade a cada espaço.

As plantas permitem que você se conecte com emoções positivas, que geram uma mudança no humor das pessoas. Passar um pouco de tempo sob seus cuidados permite que você esqueça os problemas que o atormentam diariamente.

Por exemplo, você pode dedicar 15 minutos por semana para regá-la, limpá-la e remover o solo. Se a espécie exigir, você se sentirá mais produtivo e poderá usá-lo como seu momento de relaxamento.

Os benefícios, físicos e psicológicos são evidentes em vários estudos científicos. Desde melhorar a qualidade do ar até aumentar a produtividade. Aqui, mostramos razões para ter plantas no escritório.

Redução do estresse

A introdução de plantas em seu ambiente de trabalho reduz o estresse. Os prédios de escritórios e os ambientes parecem mais calmos e simplesmente um lugar melhor para estar quando as plantas estão presentes. Essas lugares ficam mais interessantes, coloridos e relaxantes.

Os efeitos não são apenas psicológicos; os efeitos fisiológicos, como baixar a pressão arterial, também são benefícios comprovados de um escritório mais ecológico.

As plantas também nos permitem perceber melhor o ambiente porque nos sentimos mais confortáveis ​​e isso, por sua vez, reduz o estresse.

As plantas são ideais para decorar espaços, como casa e trabalho. Além disso, está comprovado que elas têm grandes benefícios na saúde e no bem-estar das pessoas. Por sua vez, algumas favorecem o fluxo de energia positiva, reduzindo os estados de estresse, gerando paz e harmonia no local.

Vários estudos apoiam os efeitos positivos das plantas. Por exemplo, o Feng Shui – uma antiga disciplina chinesa que significa literalmente ‘água do vento’ -, aponta que o habitat em que vivemos afeta consideravelmente nossa saúde física e mental.

Por esse motivo, atribuir uma importância especial ao poder das árvores e plantas para gerar harmonia à nossa volta; uma vez que elas têm a capacidade de trazer boa sorte para o lar e aumentar nossa criatividade e a produção dos chamados hormônios da felicidade (como a serotonina ou a ocitocina).

Benefícios das plantas no escritório

plantas no escritório
Plantas no espaço de trabalho reduzem stress e ajudam no home office Foto – Pixabay
  1. Aromas naturais: As plantas e as flores são a maneira mais natural de dar sabor à nossa casa, por isso evitamos comprar aromas artificiais poluentes.
  2. Melhore o humor:cuidar das plantas, regá-las, podá-las e observá-las crescer e florescer acentuadamente melhora o humor e reduz a depressão.
  3. Relaxar:As cores e o aroma das flores e plantas influenciam o aspecto emocional. As flores com cores mais vivas transmitem mais energia para nós, enquanto as plantas verdes em tons mais suaves proporcionam relaxamento e tranquilidade.
  4. Purificam o ar:durante o processo de fotossíntese, as plantas absorvem o dióxido de carbono e o transformam em oxigênio, produzindo energia limpa necessária para o processo respiratório do ser humano.
  5. Elas ajudam a respirar melhor: as plantas aumentam a umidade e reduzem a secura do ambiente, o que nos ajuda a respirar melhor.
  6. Remédios naturais:algumas plantas têm propriedades terapêuticas, como aloe vera, ou podem ser usadas para temperar alimentos, como alecrim ou orégano.
  7. Reduzir a eletricidade estática:As plantas fornecem umidade e reduzem a eletricidade estática.
  8. Reduza a sensação de fadiga:As plantas capturam poeira e removem agentes patogênicos, reduzindo sua presença no ar em 20%, o que diminui a sensação de fadiga devido a uma atmosfera carregada.
  9. Reduza o ruído:reduza o ruído, especialmente em locais fechados e com piso duro.
  10. Enfrentar a poluição e reduzir a poluição:As plantas absorvem gases prejudiciais e transformá-los em nutrientes, melhorar o ar que respiramos e reduzir a poluição.
  11. Produtividade:Elas melhoram a produtividade, concentração e humor.
  12. Melhoria da pele:Umedecendo o ar, as plantas melhoram a hidratação da nossa pele.
  13. Ajude a estudar:as plantas nos relaxam, o que aumenta o nível de concentração e aumenta a criatividade e a produção.
  14. Decorações naturais:decoram nossas casas de maneira natural e colorida.
  15. Reduzir o estresse:o relaxamento proporcionado pelas plantas ajuda a reduzir o estresse diário.

Recomendações de plantas para o escritório

Se você quiser aproveitar as plantas em seu trabalho, poderá escolher entre estas variedades:

  • Ficus
    Este belo arbusto pertencente à família Moraceae é perene, o que significa que dura o ano todo. Trará uma atmosfera de paz e alegria.
  • Kentia Palm
    É ideal para interiores porque não precisa de muita luz. Ela absorve facilmente gases tóxicos do ar, para que você sinta a diferença ao colocá-lo em uma área fechada.
  • Dracena
    É conhecida como “a planta da felicidade”. É perfeito para dar um toque estético ao seu trabalho, pois é muito marcante, colorida e perfumada.

E então? Que tal trazer mais verde para a sua casa com as plantas?

Horta Caseira: dicas incríveis para plantar manjericão, hortelã, Alecrim, tomilho

Não deixe que o clima ou o espaço limitado no jardim ao ar livre o impeçam de ter uma horta caseira. Com a quantidade certa de luz, você pode cultivar suas próprias ervas mesmo em pequenos espaços.

A chave para o crescimento bem-sucedido de qualquer tipo de planta dentro de casa é entender quanta luz ela precisa para crescer. Diferentes áreas da sua casa oferecem níveis variados de luz natural.

Vamos então passar algumas dicas gerais de como cultivar a sua própria horta caseira em casa! Confira as nossas dicas!

Horta caseira: como ter a sua, em casa!

Horta Caseira
Horta Caseira: dicas incríveis para plantar manjericão, hortelã, Alecrim, tomilho Foto – Pixabay

Plantar manjericão

Não há nada como recortar folhas frescas de manjericão de sua horta e voltar para a cozinha para adicioná-las ao que você estiver cozinhando. Saiba como cultivar manjericão em casa.

Horta Caseira
Horta Caseira: dicas incríveis para plantar manjericão, hortelã, Alecrim, tomilho Foto – Pixabay

Como plantar manjericão?

O manjericão é fácil de semear. Se foi feito a partir de sementes, é relativamente rápido para germinar.

O manjericão é super sensível ao frio; portanto, se você estiver transplantando mudas de ambientes internos ou tiver plantas no chão, observe as temperaturas do início da primavera e cubra a muda, se necessário. Se você estiver plantando um corte ou transplantando uma muda ou planta menor, verifique se a temperatura do solo é de pelo menos 15 ° C.

O manjericão se adapta melhor em solos úmidos e bem drenados. Adicione um composto rico ao solo no início da temporada. De fato, se o solo é muito rico, o manjericão perde parte de sua intensidade de sabor.

Horta Caseira
Horta Caseira: dicas incríveis para plantar manjericão, hortelã, Alecrim, tomilho Foto -Pixabay

Plantar alecrim

O alecrim (Rosmarinus officinalis) é uma erva perene nas zonas mais quente, onde pode ser plantada no jardim e pode crescer 4 pés de altura e se espalhar cerca de 4 pés de largura, dependendo da variedade. 1 pé é o mesmo que 30 centímetros, aproximadamente.

Dicas para o cultivo de alecrim dentro de casa no inverno

O alecrim é nativo do clima mediterrâneo, por isso prefere uma atmosfera quente, ensolarada e úmida. Aqui estão algumas dicas para manter suas plantas de alecrim vivas em ambientes fechados durante o inverno:

  • Quarentena:Se você tem plantas de casa, é uma boa ideia colocar em quarentena suas plantas de alecrim quando as trouxer para dentro de casa. Mantenha as plantas em um local separado por um tempo para garantir que não haja caronas, pragas ou doenças.
  • Luz:localize suas plantas de alecrim em uma janela brilhante voltada para o sul. Como alternativa, você pode usar luzes de cultivo e manter suas plantas felizes durante os meses de inverno.
  • Água:Tente manter a mistura de envasamento uniformemente úmida. O excesso de rega fará com que a planta apodreça. Se o solo estiver muito seco, a planta murchará e morrerá. Regue quando o solo secar na superfície e deixe a umidade extra escorrer.

Hortelã

Horta Caseira
Horta Caseira: dicas incríveis para plantar manjericão, hortelã, Alecrim, tomilho Foto – Pixabay

Todos os tipos de hortelã (incluindo hortelã doce , hortelã, hortelã-pimenta e hortelã de chocolate ) são de crescimento rápido, espalhando folhas por todo lado, então você deve dar-lhes um lugar livre para crescer sem nada no caminho, ou plantá-los em vaso.

Plantar hortelã

  • Plante hortelã na primavera. Esta erva de crescimento rápido pode crescer em qualquer lugar e é um excelente complemento para jardins internos e externos.
  • É melhor cultivá-las em vasos para evitar que elas dominem o seu jardim (mesmo se você estiver plantando no chão).
  • Dê ao seu jardim uma excelente base, melhorando o solo nativo com vários centímetros de composto envelhecido ou outra matéria orgânica rica.
  • Mantenha o solo sempre úmido e regue quando a parte do solo superior ficar seca.
  • Promova uma excelente produção de folhas, alimentando regularmente com um alimento vegetal solúvel em água.
  • Depois que as plantas estão estabelecidas, colha folhas de hortelã regularmente, beliscando as hastes.

Tomilho

Tomilho é famoso por sua versatilidade na culinária, adicionando sabor a pratos de peixe, sopas e como ingrediente em misturas de recheio. Também é fácil de cultivar e parece atraente o ano todo.

Como cultivar tomilho em casa

Cultive tomilho em solo bem drenado em pleno sol. Algumas variedades de tomilho funcionam bem plantadas em jardins de cascalho, rachaduras na pavimentação ou como alternativa a um gramado. Outros se saem melhor em vasos, que você pode levar para dentro de casa no outono. Corte o tomilho após a floração e proteja as espécies tenras no inverno.

É possível cultivar tomilho a partir de sementes, mas é difícil estabelecer plantas cultivadas a partir de sementes. Plantas jovens de tomilho estão amplamente disponíveis para compra em centros de jardinagem e viveiros, por isso é melhor plantá-las.

Plante tomilho em solo ou composto de drenagem livre e regue. Depois de estabelecido, você não precisará regar suas plantas de tomilho com muita frequência.

O tomilho prospera em condições quase secas com o mínimo de nutrientes no solo.

Apare o tomilho depois de terminar a floração para promover um novo crescimento. Isso lhe dará mais folhas para colher durante o outono. Se você não as arrumar, as plantas se tornarão lenhosas e precisarão ser substituídas após três anos.

Uma vez estabelecido, o tomilho não precisará ser regado. Se você estiver cultivando sua planta em um recipiente, dê-lhe uma alimentação semanal de março a maio com algas marinhas líquidas.

Cebolinha

A cebolinha é um alimento tão versátil, e é uma boa opção para quem quer começar a ter a sua horta caseira, mas quer algo mais de baixa manutenção e crescimento rápido.

E você também tem opções para cultivá-las – você pode cultivá-las a partir de sementes ou recuperá-las dos restos de cebolinha que você acabou de usar em uma receita. Para recuperá-los, tudo o que você precisa é de um copo de água e um pouco de luz solar.

E então? O que achou das nossas dicas? Você também planta temperos em sua casa? Adote esse hábito e tempere a sua comida com temperos naturais e direto da sua horta.

Um Guia de Vida Sustentável para Locatários e Inquilinos

Todos nós queremos fazer tudo o que pudermos para reduzir nossas pegadas de carbono e viver uma vida mais sustentável, mas isso pode parecer difícil, se não impossível, quando você não possui sua casa ou apartamento.

Pode parecer que as opções disponíveis para os proprietários simplesmente não existem para os locatários. Instalando isolamento, montando painéis solares ou substituindo suas janelas? Provavelmente não é uma opção para o seu apartamento alugado na cidade grande. Em geral, pode parecer que você não tem controle sobre o seu espaço quando está em uma situação de aluguel.

Sustentabilidade em ambientes para locatários e inquilinos

casa sustentável
Um Guia de Vida Sustentável para Locatários e Inquilinos Foto – Pixabay

Os inquilinos nas propriedades de aluguel têm pouco controle sobre a alteração do espaço em que vivem.

Quando se trata de sustentabilidade, no entanto, há muito que pode ser feito como locatário para reduzir o impacto no planeta e contribuir positivamente para a sociedade.

Certamente, os locatários podem não ser capazes de instalar energia solar ou viver completamente fora da rede, mas coletivamente, os esforços individuais, mesmo que pequenos, ainda representam uma grande diferença.

Esteja você alugando um quarto ou todo um imóvel para alugar, eis algumas dicas para ajudar você a ter uma vida mais sustentável.

  1. Mudar paralâmpadas economizadoras de energia – Mudar para lâmpadas economizadoras de energia das incandescentes padrão economiza de 25 a 80% no uso de energia.
  2. Atualize as instalações sanitárias– Considere mudar as cabeças dos chuveiros e pias para instalações de baixo fluxo. Esses equipamentos economizam o uso da água enquanto os hóspedes/locatários tomam banho ou usam a pia sem afetar a pressão da água.
  3. Escolha aparelhos com eficiência de energia– Embora possa ser proibitivo para os proprietários de apartamentos fazer isso casualmente, se você já estiver reformando a cozinha, o banheiro ou as instalações de lavanderia do seu apartamento, considere instalar aparelhos com economia de energia durante a reforma.
  4. Use suprimentos de limpeza naturais– considere comprar suprimentos de limpeza naturais ou à base de plantas (em vez daqueles feitos com produtos químicos agressivos) para manter seu apartamento e fornecer aos seus convidados.

5.Plante um jardim: As plantas da casa são um ótimo começo, mas você pode dar um passo adiante se tiver um quintal. Como sabemos, o plantio de árvores ajuda a converter todo esse CO2 em um ar doce e respirável. Além disso, se você iniciar uma horta, suas plantas poderão ajudar a alimentá-lo.

Vive em um apartamento? Um pequeno jardim de ervas da janela é um ótimo lugar para começar e pode parecer bonito para arrancar.

  1. Considere a compostagem: Para aqueles com espaço ao ar livre, considere uma caixa de compostagem para o desperdício de alimentos. Em vez de colocar as cascas de ovos e restos de vegetais na lixeira, colocá-las em um composto ajudará a reduzir o aterro e a gerar alguns fertilizantes importantes para alimentar suas plantas.

7.Invista em produtos mais ecológicos: Se você precisar comprar aparelhos para alugar, opte por modelos mais eficientes em termos de energia. Quando se trata de produtos de linha branca, como máquinas de lavar e geladeiras, o aparelho deve ser fornecido com um adesivo de classificação de eficiência de energia para ajudar você a entender quanta energia é consumida.

Há ainda outras ideias como:

Instale um chuveiro com eficiência de água

Um chuveiro eficiente em termos de água usa 40% menos água, o que economiza água, energia e dinheiro. A lei é ambígua se você pode ou não fazer isso sem a permissão do proprietário, portanto, mantenha o chuveiro original para poder reinstalá-lo quando se mudar, se necessário. A substituição gratuita de chuveiros antigos, com chuveiros que economizam água.

Colete água da chuva para o seu jardim

Desde um balde sob um buraco de ferrugem na calha até um barril de chuva grande e portátil da loja de ferragens local, existem muitas maneiras de os locatários economizarem água.

Também é visível que muitos locatórios querem morar em uma comunidade que tenha um impacto positivo no meio ambiente, uma construção construída com materiais recuperados, que reduz o consumo de energia e o desperdício.

Eles vivem vidas mais saudáveis, comprando produtos de origem local e se exercitando, meditando, tornando-se veganos e escolhendo produtos de comércio justo, apesar dos custos mais altos. Eles se sentem mais integrados à sociedade e isso leva à decisão de alugar em prédios verdes.

Poluição plástica e gerenciamento de resíduos

As pessoas ficaram mais preocupadas com a forma de descartar os resíduos de suas casas e empresas. As más técnicas de gerenciamento de resíduos podem levar a problemas ambientais e causar problemas de saúde a população.

O mundo produz aproximadamente 300 milhões de toneladas de resíduos plásticos a cada ano e atualmente apenas 14% é coletado para reciclagem, segundo a ONU Meio Ambiente. Além disso, de todo o lixo plástico produzido em nossa história, apenas 9% foram reciclados.

Os motivos são complexos. Nem todo o plástico pode ser reciclado e a falta de conscientização do público significa que muitos dos resíduos recuperáveis ​​estão contaminados com outros materiais, o que aumenta os custos do processo de reciclagem.

Importância do gerenciamento de resíduos

Materiais de reciclagem

Um benefício significativo do gerenciamento de resíduos é o fato de poder reciclar o material e usá-lo de diferentes maneiras. O que isso significa é que, quando o lixo é reciclado para mais usos, o mesmo lixo não precisa ser retirado do ambiente para produzir o mesmo produto novamente.

O meio ambiente também se beneficia da reciclagem, porque há menos resíduos que são jogados nas áreas designadas.

Saúde

Quando o lixo é jogado fora sem regulamentação, pode causar riscos à saúde. O lixo armazenado há algum tempo emite produtos químicos tóxicos quando se mistura com outros componentes residuais.

O que isto significa é que, se o lixo não for tratado imediatamente, esse material tóxico pode entrar no solo e nos recursos hídricos, fazendo com que polua a água e os alimentos que as pessoas consomem. Isso será prejudicial à saúde pública e prejudicial ao meio ambiente.

O perigo da poluição plástica

Curiosamente, nos Estados Unidos, a introdução da reciclagem de fluxo único – onde os materiais não são separados em casa – levou a um aumento no lixo processado; no entanto, à medida que os plásticos mais complexos eram produzidos, as pessoas começaram a colocar os materiais errados em seus recipientes de coleta.

A empresa de gerenciamento de resíduos, um dos maiores processadores de reciclagem de lixo doméstico da América do Norte, indica que um em cada quatro itens colocados em lixeiras não pode ser reciclado.

O plástico é um material barato e resistente, e seu uso é muito frequente há anos. No entanto, seu impacto na natureza e na saúde humana requer repensar seu uso e o gerenciamento de seus resíduos.

 Reciclar plástico

Muitos países estão adotando medidas de reciclagem. Um deles é que todos os recipientes de plástico sejam recicláveis, além de reduzir o consumo de plásticos descartáveis ​​e o uso de microplásticos.

Microplásticos: o que é isso?

Microplásticos são partículas muito pequenas (<5 mm) de material plástico. Eles são encontrados em quantidades crescentes no oceano, mas também em alimentos e bebidas.

Muitas empresas também estão propondo padrões mais rígidos para produtos como têxteis, pneus, tintas e bitucas de cigarro para reduzir a liberação de microplásticos a partir deles.

Aumento do plástico no mundo

Em 2016, o mundo gerou 242 milhões de toneladas de resíduos plásticos – 12% de todos os resíduos sólidos municipais. Esse resíduo originou-se principalmente de três regiões – 57 milhões de toneladas do leste da Ásia e do Pacífico, 45 milhões de toneladas da Europa e Ásia Central e 35 milhões de toneladas da América do Norte.

A visibilidade dos resíduos plásticos está aumentando devido ao seu acúmulo nas últimas décadas e ao seu impacto negativo no meio ambiente e na saúde humana.

Ao contrário do lixo orgânico, o plástico pode levar de centenas a milhares de anos para se decompor na natureza.

O desperdício de plástico está causando inundações ao entupir os sistemas de drenagem e esgotos, causando problemas respiratórios quando queimados, diminuindo a expectativa de vida dos animais quando os consomem pensando ser alimento e contaminando os corpos d’água quando despejados em canais, rios e oceanos.

Nos oceanos, o plástico está se acumulando em turbilhões de roda que têm quilômetros de largura (National Geographic nd).

plástico
Poluição plástica e gerenciamento de resíduos Foto – Pixabay

Sob a luz ultravioleta do sol, o plástico está se degradando em “microplásticos” que são quase impossíveis de recuperar e estão interrompendo as cadeias alimentares e degradando os habitats naturais.

Por que o plástico é um problema global….

Entenda alguns fatos:

  • Cerca de dois bilhões de pessoas vivem sem a coleta de lixo e 3 bilhões têm disposição descontrolada, o que significa que o mau gerenciamento de resíduos sólidos é um problema global;
  • Mais de 90% do plástico nos oceanos provém diretamente de fontes terrestres;
  • Entre 4 e 12 milhões de toneladas métricas de plástico entram nos oceanos anualmente a partir de resíduos sólidos mal gerenciados a 50 km da costa;
  • Dos 50 maiores lixões não controlados do mundo, 38 estão na costa e muitos derramam diretamente no mar;
  • De todo o plástico já produzido, 79% (5,5 bilhões de toneladas dos EUA) de resíduos de plástico acumularam em aterros sanitários e no ambiente natural;
  • Nem todas as instalações de gerenciamento de resíduos usam a mesma tecnologia. Alguns podem lidar com plásticos que não são recicláveis ​​quando depositados na lixeira errada, mas para outros, o processo será muito mais complicado quando erros forem cometidos;
  • 12 bilhões de toneladas métricas de resíduos plásticos (13,2 bilhões de toneladas dos EUA) entrarão em aterros ou no meio ambiente até 2050, se as tendências atuais de produção e gerenciamento de resíduos continuarem;
  • A queima descontrolada de resíduos domésticos causa cerca de 270.000 mortes prematuras por ano;
  • O desperdício de plástico pode bloquear os drenos, o que aumenta o risco de grandes inundações que levam a danos materiais e morte humana;
  • Sem melhorias na infraestrutura de gerenciamento de resíduos, prevê-se que a quantidade acumulada de resíduos plásticos disponíveis para entrar no oceano a partir da terra aumente em uma ordem de magnitude até 2025;

Os melhores utensílios de cozinha não-tóxicos para inserir em seu dia a dia

O fato de a qualidade de nossos alimentos afetar diretamente nossa saúde e bem-estar é inquestionável.

Certamente, a parte mais importante de comer boa comida é comprar ingredientes de qualidade. Ao mesmo tempo, as ferramentas que usamos para preparar nossos alimentos podem ter um enorme impacto em como é saudável.

Ou seja, acreditamos que devemos ter bastante cuidado para não contaminar nossos alimentos com toxinas enquanto os cozinhamos.

Escolha de bons utensílios na cozinha

utensílios de cozinha
Os melhores utensílios de cozinha não-tóxicos para inserir em seu dia a dia Foto – Pixabay

Sabe-se que o plástico libera toxinas nos alimentos e, como é onipresente, embarcamos em uma missão de desintoxicar nossa cozinha da maioria dos itens de plástico.

As principais razões pelas quais queremos reduzir, se não, remover completamente o plástico de nossos utensílios de cozinha são:

  • Eles são geralmente aquecidos. O calor faz com que as toxinas lixiviem mais facilmente das panelas para os alimentos.
  • Eles são usados ​​repetidamente para que sejam arranhados facilmente, o que libera as toxinas que estavam originalmente trancadas no plástico quando estavam inteiras.
  • Eles são geralmente usados ​​com alimentos molhados.  A umidade (água, óleos ou os sucos dos alimentos) pode transportar toxinas dos utensílios de plástico para os alimentos.

Se você é seletivo sobre de onde vem e como a comida é produzida, os itens essenciais para uma cozinha saudável devem estar no topo da sua lista.

Uma pequena adição ou uma troca simples pode transformar qualquer cozinha em um espaço alimentar mais ecológico e consciente da saúde.

Nossa lista principal de ferramentas de cozinha inclui os melhores pequenos aparelhos, utensílios de cozinha e alguns aparelhos práticos para tornar as refeições mais saudáveis ​​e fáceis.

As panelas antiaderentes, alumínio e até cobre tornaram-se preocupantes nos últimos anos devido à sua tendência a deixar vestígios de produtos químicos e metais nos alimentos.

Como escolher bons produtos de cozinha?

utensílios de cozinha
Os melhores utensílios de cozinha não-tóxicos para inserir em seu dia a dia Foto – Pixabay

Existem tantos tipos de utensílios de cozinha que parece até impossível escolher um produto. Ao escolher um tipo de utensílio de cozinha, reduza-o fazendo as seguintes perguntas:

Como ele precisa ser limpo?

Os utensílios de cozinha precisam ser limpos cuidadosamente toda vez para evitar o acúmulo de bactérias e reduzir o risco de doenças transmitidas por alimentos.

Os utensílios de cozinha “mais seguros” do mundo ainda podem deixá-lo doente se não forem limpos corretamente.

As necessidades de limpeza e cuidados podem ser ligeiramente diferentes para as panelas, dependendo de seus materiais. Verifique se você sabe o que é necessário para poder decidir se vale a pena.

Ele aguenta o uso diário?

Nem sempre podemos investir em utensílios de cozinha duráveis ​​e de alta qualidade, e está tudo bem. Às vezes, você só precisa de alguns potes e panelas acessíveis para passar por uma temporada em que o dinheiro é escasso.

Você pode reduzir o desgaste das suas panelas para ajudar a durar um pouco mais, combinando-as com os utensílios de cozinha certos.

Um exemplo são espátulas de madeira e colheres de cozinha. Utensílios de cozinha de madeira podem reduzir as chances de arranhar os revestimentos antiaderentes.

Existem riscos à saúde baseados em evidências?

Essa é a grande questão e pode variar de acordo com sua perspectiva e histórico de saúde. Se você sabe que possui uma sensibilidade ao níquel, opções de panelas “mais seguras”, como aço inoxidável e cobre, podem não funcionar para você.

Para pessoas que têm uma condição de saúde chamada hemocromatose, o ferro fundido não é uma boa opção, pois o ferro extra que ele adiciona aos alimentos pode levar a excesso de ferro em seu sistema.

Panelas e frigideiras podem representar um risco significativo de desperdício ambiental, tanto pela forma como são produzidas quanto pelo fato de que muitas não se sustentam bem e são equiparadas a lixo não biodegradável após alguns usos.

A compra de produtos de empresas que são transparentes sobre os processos de fabricação pode custar mais, mas provavelmente fornecerá um produto que durará por muito mais tempo.

Mas não é necessário querer comprar um kit novo para a sua cozinha. Você pode começar aos poucos. Por exemplo, substituindo os potes de plásticos pelos de vidros. E nem é necessário sair comprando os potes de vidro. É possível reutilizar de outros produtos.

ARMAZENAMENTO DE ALIMENTOS SEM PLÁSTICO

utensílios de cozinha
Os melhores utensílios de cozinha não-tóxicos para inserir em seu dia a dia Foto – Pixabay

Jogue esses recipientes de plástico de uma vez por todas e substitua-os por alternativas mais seguras e sem desperdício.

Os recipientes de armazenamento de vidro não apenas fornecem armazenamento mais seguro para todos os seus alimentos, como também oferecem um excelente visual do que está dentro.

Os frascos de vidro são relativamente baratos (podem ser comprados por uma dúzia), fáceis de limpar e podem armazenar qualquer coisa, de sementes, farinhas e nozes a sopas, ensopados e frutas frescas.

Se você estiver usando recipientes de vidro para armazenamento congelado, deixe espaço suficiente na parte superior para que os líquidos se expandam e selecione aqueles que são seguros para o congelador e têm uma boca larga para facilitar a remoção ao aquecer.

UTENSÍLIOS DE COZINHA SEM PLÁSTICOS

Uma boa colher de pau é sempre bem vinda. Ao contrário das de plástico ou metal, os utensílios de cozinha de madeira funcionam em todas as superfícies. São seguros com todos os alimentos.

Optar por material de bambu também é uma boa opção. O bambu não é apenas mais sustentável do que outras madeiras duras e duráveis, como o bordo e a faia, mas suas propriedades antimicrobianas também ajudam a mantê-lo livre de bactérias.

Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável

Cuidar do planeta é responsabilidade de todos, e hoje queremos falar com você sobre a sustentabilidade ambiental em nossas casas. Sim, com pequenos gestos diários, podemos reduzir muito nosso impacto no meio ambiente e, a longo prazo, isso pode se traduzir em economia de energia e de recursos consideráveis.

A preocupação com o meio ambiente e as consequências provenientes da mudança climática transformaram a consciência da sociedade mundial, resgatando a “consciência verde” e implementando medidas sustentáveis em áreas como indústria, economia e até habitação.

Qualquer um pode cuidar do planeta a partir de sua própria casa, sem a necessidade de grandes reformas, mas com pequenos gestos e mudanças na rotina. Vamos então as nossas dicas sustentáveis:

 

1- GERAR A MAIS BAIXA QUANTIDADE DE RESÍDUOS.

Dicas sustentáveis
Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável – Foto Pixabay

Tentar criar a menor quantidade de resíduos possível é um dos passos mais importantes em uma casa ecológica. Um bom método para gerar menos desperdício e fazer mais uso de cada uma das sacolas é compactar o lixo.

Podemos comprimir os resíduos para que ocupem menos espaço. Nesse caso, para o lixo orgânico é indicado o uso de composteiras. E optar pelas sacolas de pano reciclável ao invés de usar as de plástico.

2- RECICLAR O QUE NÃO PODEM TER OUTRO USO.

Se tivermos vidro, plástico ou outros materiais que não possam ter uma segunda vida, teremos que reciclá-los. Uma boa maneira de reciclar é ter um espaço para isso, ter um local específico onde o lixo seja separado e organizado de acordo com se é orgânico, plástico, papelão ou vidro.

Assim, nos acostumaremos com o trabalho de reciclagem e, naturalmente, faremos isso diariamente. Tornar esse espaço atraente e confortável também facilitará a reciclagem e a conscientização.

3- COMPRE ALIMENTOS MAIS ECOLÓGICOS E NOS MERCADOS DO SEU BAIRRO.

Dicas sustentáveis
Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável – Foto Pixabay

O simples ato de comprar alimentos orgânicos e a granel já é um avanço para o consumidor. Além disso, você estará apostando em uma dieta mais saudável e de qualidade. Esse tipo de alimento orgânico é muito mais ecológico e não sofreu modificações genéticas.

Outro fato a ser lembrado é que muitos dos produtos que consumimos em supermercados estão diretamente relacionados à exploração de pessoas. Portanto, é uma boa alternativa comprar certos itens do comércio local, quando isso é possível. Compre também produtos sazonais nos mercados do seu bairro.

4- EVITE USAR E ELIMINAR DISPOSITIVOS

Usar guardanapos de pano nos impedirá de desperdiçar ou contaminar com os guardanapos de papel típicos com os quais estamos acostumados. Os guardanapos de pano também são muito confortáveis, estéticos e completamente ecológicos, além de muito mais agradáveis ​​que os de papel.

O mesmo vale para talheres, copos plásticos ou as sacolas que usamos para transportar lanches ou almoços. É muito fácil ficar sem eles e encontrar uma solução ecológica durável.

5- EVITE O PLÁSTICO

Dicas sustentáveis
Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável – Foto Pixabay

Atualmente, é um pouco complicado adquirir muitas coisas sem embalagem plástica, mas não é impossível. Sempre que pudermos teremos de evitar os recipientes de plástico. Tente não comprar sacolas plásticas desnecessárias e, se houver alguma em casa, use-as bem e não coloque ela diretamente no lixo.

7.Consciência verde nos fogões

Dicas sustentáveis
Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável – Foto Pixabay

Ajudar o planeta pode ser até cozinhado. Use a panela de pressão sempre que possível, pois ela consome metade do gás. E não abra o forno quando estiver sendo usado, pois reduz a temperatura dentro dele em cerca de 20ºC; e aproveite o calor residual da placa e do fogo, desligando-o alguns minutos antes que a comida esteja pronta.

Para a máquina de lavar, é importante lembrar que a água fria é a maneira menos prejudicial para o meio ambiente, enquanto o secador é melhor evitar a todo custo.

8.Boas janelas são um investimento para o futuro

Dicas sustentáveis
Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável – Foto Pixabay

Investir em boas janelas também ajuda. Uma dica é optar por boas janelas de PVC. O melhor sistema de abertura para garantir um bom isolamento é o praticável (também chamado de dobragem). Sem brincadeira, com boas janelas, as perdas de energia que ocorrem através da janela podem ser reduzidas em até 70%.

Instalar boas janelas não pode ser considerado uma despesa como tal, mas sim um investimento a médio e longo prazo, pois, graças a elas, economizaremos muito dinheiro em nossa conta de energia e obteremos conforto e bem-estar.

9.Instale painéis solares fotovoltaicos:

A energia solar é uma fonte de energia limpa e renovável. Os painéis solares são uma tecnologia emergente para pessoas que desejam usar a energia natural do sol.

Os painéis solares podem ser caros no começo, mas agora existem preços muito competitivos. As economias de longo prazo que eles podem gerar no seu bolso são impressionantes.

A localização da sua casa e a maneira como os painéis solares são construídos podem determinar quanta energia você pode obter.

  1. Instale sistemas de captação de água da chuva
Dicas sustentáveis
Dicas sustentáveis para deixar a casa mais agradável – Foto Pixabay

Ao construir ou reformar sua casa, instale um coletor de água da chuva nos telhados e guarde-o em um tanque. A água coletada pode ser usada para outros fins, como banheiros e sistemas de irrigação.

  1. Iluminação LED:

As lâmpadas LED consomem menos energia e duram mais do que as lâmpadas incandescentes tradicionais e até lâmpadas eficientes em termos energéticos . Eles oferecem economia significativa de custos a longo prazo, o que pode ser ideal para sua nova casa ecológica.

  1. Acessórios para economizar água:

Torneiras com perlizadores

são alguns dos acessórios que você deve levar em consideração para ter uma casa sustentável, pois esses acessórios ajudam a economizar água. 

Economia circular: entenda o que é e como funciona

Promover a transição para uma economia circular como alternativa ao atual modelo econômico linear. Mas o que exatamente é a economia circular? Quais são as razões e vantagens que impulsionam essa mudança?

O atual modelo de produção e gestão de recursos, bens e serviços que busca promover o consumo no curto prazo está colocando o planeta em uma situação insustentável.

O que é economia circular?

Um termo já vem alguns anos ganhando destaque: economia circular. Economia circular é uma expressão usada para se referir a uma economia capaz de se regenerar. Na natureza, não há lixo ou aterros sanitários: todos os elementos cumprem uma função continuamente e são reutilizados para uso em diferentes estágios

Na realidade, não estamos falando de nada de novo, pois a economia circular nada mais é do que imitar os processos que ocorrem naturalmente em nosso planeta: matéria e energia são continuamente transformadas e não há resíduos como tais, pois o que para um componente do sistema é desperdício; para outro, pode ser matéria-prima.

Existem muitos exemplos na natureza como ciclos biogeoquímicos ou processo de decomposição de folhas caídas de árvores que acabam devolvendo nutrientes e matéria orgânica à terra.

Por que optar pela economia circular?

 

Economia circular
Economia circular: o que é e vários exemplos Foto – Pixabay

 Tomando como exemplo o modelo cíclico da natureza, a economia circular é apresentada como um sistema de uso de recursos onde prevalece a redução dos elementos. E não é nada muito radical.

Por exemplo, minimizar a produção ao mínimo necessário e, quando for necessário usar o produto, apostar na reutilização dos elementos que, devido às suas propriedades, não podem retornar ao ambiente.

Em outras palavras, a economia circular defende o uso dos materiais mais biodegradáveis possíveis na fabricação de bens de consumo – nutrientes biológicos – para que eles possam retornar à natureza sem causar danos ao meio ambiente, esgotando sua vida útil.

Nos casos em que não é possível usar materiais ecologicamente corretos – nutrientes técnicos: componentes eletrônicos, metais, baterias … – o objetivo será facilitar um simples desacoplamento para proporcionar uma nova vida, reincorporando-os ao ciclo de produção e compondo uma nova peça. Quando isso não for possível, será reciclado de maneira ecológica.

Economia circular: Por que empresas estão adotando?

 Diferentemente de outros modelos econômicos em que o aspecto econômico prevalece sobre o social ou ambiental, a economia circular representa uma melhoria comum substancial para empresas e consumidores.

As empresas que implementaram esse sistema estão provando que reutilizar recursos é muito mais lucrativo do que criá-los do zero. Como consequência, os preços de produção são reduzidos, diminuindo o preço de venda, beneficiando assim o consumidor; não apenas economicamente, mas também social e ambientalmente.

Por isso é que a economia circular traz inúmeras vantagens. Aqui estão algumas:

  • As empresas que partem dos princípios da economia circular reduzem seus custos de produção porque, entre outras coisas, menos matérias-primas são usadas.
  • A diminuição no uso de matérias-primas protege o meio ambiente e está comprometida com a sustentabilidade.
  • Ao reduzir os custos de produção, o preço dos produtos também é reduzido e a pessoa que consome também economiza e contribui para o cuidado do meio ambiente natural.

Alguns exemplos práticos ajudam a exemplificar a economia circular.

  • Garrafas que se transformam em tapetes e painéis de carro. A reciclagem é uma das bases da economia circular. Cada vez mais empresas estão dedicadas à reciclagem de garrafas de PET após consumo e as transformam em diversos produtos, como esteiras e painéis de instrumentos para automóveis ou embalagem.
Economia circular
Economia circular: o que é e vários exemplos Foto – Pixabay

Pneus que se transformam em sapatos. Outro exemplo é o aproveitamento de pneus para fabricar diversos produtos, como sapato, por exemplo. 

  • Construção sustentável de casas e escritórios. Há também empresas que constroem casas e escritórios a partir de módulos de madeira fresada que duram a vida inteira.
  • Decoração com resíduos eletrônicos e plásticos. Algumas empresas que estão aproveitando dispositivos eletrônicos ou produtos de construção para auxiliar na decoração.

Em que princípios se baseia a economia circular?

Economia circular
Economia circular: o que é e vários exemplos Foto – Pixabay

Para entender a importância da economia circular, devemos primeiro considerar alguns dos problemas que a humanidade está enfrentando agora.

Uma das questões mais relevantes desses anos é certamente o superaquecimento da atmosfera causado pelo CO2 emitido principalmente para produção de energia, atividade industrial e transporte.  Por isso, a importância da economia circular.

Para implementar essa transformação ecológica, será essencial revisar as várias etapas da produção. A adoção de um modelo de economia circular significa revisar os mecanismos de criação do produto, desde o design, a produção e o consumo, até o final do ciclo de vida do produto, com vistas a economizar recursos, energia e perdas.

O que é jogado fora no decorrer da vida cotidiana ou na realização de atividades industriais terá que ser reinserido no ciclo de produção. Como já acontece na natureza, tudo deve poder ser reutilizado e regenerado. Os resíduos devem ser transformados em uma segunda matéria-prima