Poluição plástica e gerenciamento de resíduos

As pessoas ficaram mais preocupadas com a forma de descartar os resíduos de suas casas e empresas. As más técnicas de gerenciamento de resíduos podem levar a problemas ambientais e causar problemas de saúde a população.

O mundo produz aproximadamente 300 milhões de toneladas de resíduos plásticos a cada ano e atualmente apenas 14% é coletado para reciclagem, segundo a ONU Meio Ambiente. Além disso, de todo o lixo plástico produzido em nossa história, apenas 9% foram reciclados.

Os motivos são complexos. Nem todo o plástico pode ser reciclado e a falta de conscientização do público significa que muitos dos resíduos recuperáveis ​​estão contaminados com outros materiais, o que aumenta os custos do processo de reciclagem.

Importância do gerenciamento de resíduos

Materiais de reciclagem

Um benefício significativo do gerenciamento de resíduos é o fato de poder reciclar o material e usá-lo de diferentes maneiras. O que isso significa é que, quando o lixo é reciclado para mais usos, o mesmo lixo não precisa ser retirado do ambiente para produzir o mesmo produto novamente.

O meio ambiente também se beneficia da reciclagem, porque há menos resíduos que são jogados nas áreas designadas.

Saúde

Quando o lixo é jogado fora sem regulamentação, pode causar riscos à saúde. O lixo armazenado há algum tempo emite produtos químicos tóxicos quando se mistura com outros componentes residuais.

O que isto significa é que, se o lixo não for tratado imediatamente, esse material tóxico pode entrar no solo e nos recursos hídricos, fazendo com que polua a água e os alimentos que as pessoas consomem. Isso será prejudicial à saúde pública e prejudicial ao meio ambiente.

O perigo da poluição plástica

Curiosamente, nos Estados Unidos, a introdução da reciclagem de fluxo único – onde os materiais não são separados em casa – levou a um aumento no lixo processado; no entanto, à medida que os plásticos mais complexos eram produzidos, as pessoas começaram a colocar os materiais errados em seus recipientes de coleta.

A empresa de gerenciamento de resíduos, um dos maiores processadores de reciclagem de lixo doméstico da América do Norte, indica que um em cada quatro itens colocados em lixeiras não pode ser reciclado.

O plástico é um material barato e resistente, e seu uso é muito frequente há anos. No entanto, seu impacto na natureza e na saúde humana requer repensar seu uso e o gerenciamento de seus resíduos.

 Reciclar plástico

Muitos países estão adotando medidas de reciclagem. Um deles é que todos os recipientes de plástico sejam recicláveis, além de reduzir o consumo de plásticos descartáveis ​​e o uso de microplásticos.

Microplásticos: o que é isso?

Microplásticos são partículas muito pequenas (<5 mm) de material plástico. Eles são encontrados em quantidades crescentes no oceano, mas também em alimentos e bebidas.

Muitas empresas também estão propondo padrões mais rígidos para produtos como têxteis, pneus, tintas e bitucas de cigarro para reduzir a liberação de microplásticos a partir deles.

Aumento do plástico no mundo

Em 2016, o mundo gerou 242 milhões de toneladas de resíduos plásticos – 12% de todos os resíduos sólidos municipais. Esse resíduo originou-se principalmente de três regiões – 57 milhões de toneladas do leste da Ásia e do Pacífico, 45 milhões de toneladas da Europa e Ásia Central e 35 milhões de toneladas da América do Norte.

A visibilidade dos resíduos plásticos está aumentando devido ao seu acúmulo nas últimas décadas e ao seu impacto negativo no meio ambiente e na saúde humana.

Ao contrário do lixo orgânico, o plástico pode levar de centenas a milhares de anos para se decompor na natureza.

O desperdício de plástico está causando inundações ao entupir os sistemas de drenagem e esgotos, causando problemas respiratórios quando queimados, diminuindo a expectativa de vida dos animais quando os consomem pensando ser alimento e contaminando os corpos d’água quando despejados em canais, rios e oceanos.

Nos oceanos, o plástico está se acumulando em turbilhões de roda que têm quilômetros de largura (National Geographic nd).

plástico
Poluição plástica e gerenciamento de resíduos Foto – Pixabay

Sob a luz ultravioleta do sol, o plástico está se degradando em “microplásticos” que são quase impossíveis de recuperar e estão interrompendo as cadeias alimentares e degradando os habitats naturais.

Por que o plástico é um problema global….

Entenda alguns fatos:

  • Cerca de dois bilhões de pessoas vivem sem a coleta de lixo e 3 bilhões têm disposição descontrolada, o que significa que o mau gerenciamento de resíduos sólidos é um problema global;
  • Mais de 90% do plástico nos oceanos provém diretamente de fontes terrestres;
  • Entre 4 e 12 milhões de toneladas métricas de plástico entram nos oceanos anualmente a partir de resíduos sólidos mal gerenciados a 50 km da costa;
  • Dos 50 maiores lixões não controlados do mundo, 38 estão na costa e muitos derramam diretamente no mar;
  • De todo o plástico já produzido, 79% (5,5 bilhões de toneladas dos EUA) de resíduos de plástico acumularam em aterros sanitários e no ambiente natural;
  • Nem todas as instalações de gerenciamento de resíduos usam a mesma tecnologia. Alguns podem lidar com plásticos que não são recicláveis ​​quando depositados na lixeira errada, mas para outros, o processo será muito mais complicado quando erros forem cometidos;
  • 12 bilhões de toneladas métricas de resíduos plásticos (13,2 bilhões de toneladas dos EUA) entrarão em aterros ou no meio ambiente até 2050, se as tendências atuais de produção e gerenciamento de resíduos continuarem;
  • A queima descontrolada de resíduos domésticos causa cerca de 270.000 mortes prematuras por ano;
  • O desperdício de plástico pode bloquear os drenos, o que aumenta o risco de grandes inundações que levam a danos materiais e morte humana;
  • Sem melhorias na infraestrutura de gerenciamento de resíduos, prevê-se que a quantidade acumulada de resíduos plásticos disponíveis para entrar no oceano a partir da terra aumente em uma ordem de magnitude até 2025;

Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplos e ideias

A sustentabilidade nas empresas pode ser adotado para um caminho com mais responsabilidade. Por isso, vamos trazer uma série de dicas e exemplos que podem ajudar a sua empresa a instalar ideias mais sustentáveis e que criem uma atmosfera mais ligada com o planeta. Confira as nossas dicas!

  1. Controle e redução do consumo de energia

Dicas de sustentabilidade
Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplo e ideias – Foto – Pixabay

Promover e incentivar dentro da sua equipe de trabalho hábitos que tenham impacto na redução do consumo de energia são ideias iniciais de um gerenciamento ligado com a sustentabilidade. Por exemplo, desligar o equipamento quando não estiver em uso, ajustar a temperatura do ar condicionado, etc. Avalie a capacidade de mudar sistemas para outros mais eficientes que causam menor consumo de energia.

  1. Selecionar seus provedores

Promova a contratação de fornecedores com um compromisso ambiental dentro da sua empresa. Escolha fornecedores locais ou de proximidade como prioridade.

  1. Promover o uso de meios de transporte sustentáveis
Dicas de sustentabilidade
Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplo e ideias Fonte Pixabay

Investir em veículos híbridos ou elétricos, promover o transporte coletivo de trabalhadores, o uso de transporte público, o uso de bicicletas ou a pé são ações para reduzir o impacto ambiental do transporte.

  1. Economizar papel
Dicas de sustentabilidade
Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplo e ideias Foto – Pixabay

O papel é um material usado em todas as empresas que causa diferentes problemas ambientais, como desmatamento, mudanças climáticas, etc. Promova o uso de sistemas de troca de arquivos digitais, reduzindo ou eliminando o uso de papel.

  1. Gerencie eficientemente os resíduos
Dicas de sustentabilidade
Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplo e ideias Foto – Pixabay

As empresas são grandes geradoras de resíduos, coloquem em prática a regra 3R na seguinte ordem: Reduza o volume de resíduos gerados, Reutilize resíduos e, se você não tiver a possibilidade de reutilizar, recicle. Não precisa implementar tudo na empresa, mas o pouco já faz a diferença.

  1. Promover educação e treinamento ambiental
Dicas de sustentabilidade
Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplo e ideias Foto – Pixabay

 

Deealizar campanhas de educação e treinamento ambiental entre os trabalhadores e conscientizar os funcionários é uma ideia que pode ser posta em prática com pouco investimento.

  1. Integrar o design ecológico

 

Dicas de sustentabilidade
Dicas de sustentabilidade nas empresas: exemplo e ideias Foto – Pixabay

Ecodesign é conceber seus produtos ou serviços do ponto de vista ambiental, levando em consideração todo o processo produtivo, desde a sua criação até o final de sua vida útil. Use materiais de fontes renováveis, com baixo consumo de energia, etc.

  1. Incentive o comportamento responsável de seus clientes

Promova comportamentos responsáveis ​​entre seus clientes, realizando campanhas promocionais que recompensam ações sustentáveis.

  1. Colabore com ações sociais

Com pequenos gestos você pode beneficiar inúmeras pessoas. Planejar colaborações com entidades que promovam ações com benefício socioambiental.

  1. Meça e reduza sua pegada ambiental ou de carbono

As empresas provocam, por sua própria ação, ações que prejudicam o meio ambiente. Medir e propor ações que minimizam estes impactos as tornam mais sustentáveis. Então, sempre que possível reavalie a forma de atuação da empresa.

Outras dicas de sustentabilidade

  1. Recicle e promova a separação de resíduos para uma reciclagem correta. Se existe um sistema de coleta seletiva na empresa, não é preciso dizer que você deve usá-lo rigorosamente. E se não houver, ou se não estiver bem estabelecido, você pode pressionar para que seja ativado e incentivar toda a equipe a respeitá-lo.
  2. Imprima com consciência ambiental, apenas quando for absolutamente necessário, certificando-se de fazê-lo de maneira a minimizar os efeitos nocivos ao meio ambiente.
  3. Use tiras de papel picado para enviar produtos. Em vez de comprar plástico bolha, inadequado para um negócio sustentável, envie materiais delicados em meio a papel picado para reutilização.
  4. Use envelopes reutilizáveis ​​ou recicláveis. Um exemplo de boa opção são envelopes verdes, que podem ser usados ​​para duas remessas.A operação é muito simples: o destinatário precisa remover a etiqueta antiga, colar a nova e selar o envelope, usando uma segunda tira que fica no envelope. Usar o mesmo envelope reduz o desperdício e é conveniente para remetentes que enviam documentos para seus clientes para assinar e devolver. Você pode encontrar esses envelopes em Correios.
  5. Imprima todos os materiais de marketing em papel reciclado. Não importa se são folhetos, panfletos ou outro tipo de documento, tudo deve estar em papel reciclado. Além disso, embora possa parecer óbvio para algumas pessoas, é necessário lembrar que “este folheto é reciclável”.
  6. Envie os boletins por e-mail. Dessa forma, você economizará dinheiro evitando papel e impressão e ajudando a proteger o meio ambiente. Além disso, você deve saber que os serviços de marketing por email compilam estatísticas, o que o ajudará a saber quantas pessoas abriram seu email, há quanto tempo elas o veem e em quais links clicaram.
  7. Use materiais e produtos com selos que certifiquem que são sustentáveis. Dessa forma, você garante que eles atendam aos critérios necessários.
  8. Obtenha certificação de sustentabilidade para seus próprios produtos e serviços sempre que possível. Será o melhor guia para melhorar seus processos e matérias-primas e fornecerá uma mensagem clara sobre a maneira como você trabalha para seus clientes.
  9. Venda online. Para algumas pessoas, esse ponto pode parecer muito normal, mas a verdade é que muitas pequenas empresas não têm vendas online. Esta seção pode ser importante para entregar seus produtos a consumidores distantes e próximos, cuidando do meio ambiente, evitando que os clientes necessitem ir à loja.

Essa foram apenas algumas ideias. Que tal a sua empresa colocar em prática?

Como fazer compras a granel

Está aumentando o número de pessoas que estão apostando no sistema de compra e venda que nossos avós costumavam usar: compras a granel. E por isso vamos trazer nesse texto como você pode fazer compras a granel e incorporar na sua rotina esse hábito sustentável.

Comprar a granel é a nova aposta da vez. Significa consumo sustentável.

Quando vamos ao mercado, todos produtos e alimentos como bandejas de carne, peixe e frutas, saquinhos de salsicha, caixas de ovos, conservas, massas e embalagens de vegetais é embalada.

Além de serem embalagens pouco sustentáveis ​​e altamente poluentes, o prazo de validade dessas embalagens, que geralmente são jogadas diretamente no lixo após um único uso, é muito curto. 

Os números mais recentes são alarmantes e indicam que a cada 5 minutos, 2 milhões de toneladas desse resíduo são geradas em todo o mundo. 

Lixo que acaba sendo depositado nas ruas, parques e oceanos, afetando as espécies que os habitam.

No entanto, embora não seja uma tarefa simples, é possível efetuar a compra sem plástico, sem embalagem e sem embalagem descartável. Uma das soluções? A venda a granel.

Vantagens da venda a granel

Várias vantagens em comprar a granel

Ambientalismo

Provavelmente, o motivo mais importante para comprar a granel é parar de usar recipientes de plástico que na maioria das vezes são totalmente dispensáveis. 

Qual é o sentido de colocar duas tangerinas em uma bandeja plástica, embrulhada com mais plástico? 

Comprar a granel é uma ótima opção para eliminar o desperdício, mas é importante levar nossas próprias sacolas de pano, que agora podemos comprar em qualquer lugar, e não usar as de plástico que continuam a oferecer na maioria dos supermercados.

Como nossos pais e avós, mais e mais pessoas estão viajando para o passado para fazer a compra como antes. Ou sejacom suas cestas, copos de ovos e garrafas de vidroAlém de contribuir para a redução de embalagens, esse sistema de compras possui muito mais benefícios, e não apenas para o consumidor. 

Um deles é acabar com o desperdício de alimentos. A compra em peso nos permite levar para casa a quantidade exata de comida que queremos, por menor que seja.

Dessa forma, podemos desfrutar de uma dieta mais fresca, gastar menos dinheiro e evitar jogar alimentos estragados por não comê-los a tempo. Algo especialmente útil para pessoas que moram sozinhas. 

Alimentação mais saudável

A compra em massa permite que você escolha e visualize o produto que vamos consumir, pois não há pacotes que nos impeçam de verificar previamente sua qualidade e condição. 

Geralmente são alimentos crus e sazonais, para aproveitar o melhor de cada estação. A grande maioria são produtos orgânicos provenientes da agricultura agrícola da região, portanto, incentivar essa fórmula de compra se torna um grande apoio ao comércio local

Além disso, ao eliminar o processo de transporte e embalagem, produtores, distribuidores e, claro, o meio ambiente também se beneficiam.

 Zero desperdício

Mais e mais pessoas se juntam a estratégia de “lixo zero”. Um movimento que visa reduzir o número de resíduos que geramos no nosso dia a dia, com o objetivo de melhorar a sustentabilidade, viver sem plástico e buscar alternativas mais ecológicas.

Ajuda local

Embora, como dissemos, os grandes supermercados também comecem a vender a granel, se comprarmos em lojas ou mercados vizinhos, contribuiremos para melhorar a economia local e ajudaremos essas pequenas lojas a sobreviver. 

Economia

Inicialmente, quando vemos os preços de produtos a granel, como nozes, arroz ou macarrão, eles parecem caros. Mas muitas vezes é apenas porque não estamos acostumados a ver o preço por quilo. 

Também deve ser entendido que um produto de proximidade e boa qualidade não custa o mesmo que aqueles que são comprados em quantidades industriais e provêm do outro lado do mundo, por mais absurdo que possa parecer.

Valor justo

Outra vantagem de comprar o peso é que podemos adquirir apenas a quantidade necessária e não sermos obrigados a levar um pacote muito grande de um produto que provavelmente acabará no lixo porque não podemos consumi-lo a tempo. 

Além disso, comprar a quantidade certa do que precisamos nos ajudará a planejar melhor a compra e não desperdiçar produtos ou dinheiro.

Felizmente, comprar a granel é mais fácil do que nunca e há muitas lojas comprometidos com a sustentabilidade, especialmente nas grandes cidades têm inúmeras lojas que usam essa fórmula de compra e venda, e que vende uma grande quantidade de produtos orgânicos a granel – legumes, frutas e legumes, ovos ou pão.

Se as sacolas plásticas tiverem seus dias contados, é possível que em um futuro não muito distante o restante das embalagens de contaminantes alimentares também.

Estabelecimento preocupados com a sustentabilidade

E muitos estabelecimentos estão se preocupando com a sustentabilidade, e optando pela comercialização de alimentos orgânicos, ou seja, a venda a granel desse tipo de produto está intimamente ligada a um modo de vida não apenas comprometido com a sustentabilidade do tecido econômico local,  mas com o meio ambiente.

Porque comprar a granel?

  ● Sem plástico: os alimentos são exibidos a granel e os clientes trazem seus próprios recipientes. Nem todo mundo sai de casa preparado para isso, por isso é uma boa ideia deixar sacos de papel gratuitos e recipientes de vidro reciclado – ou mesmo tê-los disponíveis para venda.

● Zero desperdício: todos os alimentos definidos para expirar devem ter um destino, como um banco de alimentos.

●a aparência do estabelecimento costuma ser aconchegante, uma vez que os compradores se deparam com tantas lojas cheias de odores artificiais e plásticos. A maneira como o grão é distribuído em lojas com zero resíduos geralmente segue um padrão. 

● Esteja ciente das origens dos produtos: ter uma loja com zero resíduos significa lidar com fornecedores que têm as mesmas prioridades que você. É importante entender as certificações e visitar as fazendas dos produtores para entender os processos que eles usam.

● Produtos locais : um dos atos mais sustentáveis ​​é comprar daqueles que o rodeiam.

É sempre bom lembrar que aderindo a compras a granel você está evitando a produção desenfreada de plásticos cujo destino é simplesmente o lixo.

Apostar na compra de produtos a granel é um daqueles pequenos gestos que são um grande passo para a sustentabilidade. Um passo à frente que, curiosamente, ainda é um passo para trás para fazer as coisas como eram antes de as embalagens e os plásticos estarem fora de nossas mãos.

Além de utilizar sacos de papel é possível também optar pelos saquinhos pequenos de tecido (não sintéticos) além das ecobags. Nós da Green Frog comercializamos ecobags. Pode ser uma escolha mais sustentável para o seu dia  a dia.

Brechós: por que apostar neles?

Falar de consumo mais sustentável sem falar de consumismo é difícil. E quando se trata de roupas, então a conversa fica séria. Mas é realmente possível mudar a nossa rotina de consumidores? No blog trazemos diversas dicas e reflexões que você pode aplicar em seu dia a dia.

Por isso, no texto de hoje vamos falar dos brechós. Por que optar pelos brechós? E sim eles estão na moda e vieram para ficar e contribuir para um consumo mais sustentável, além de ser uma maneira de lutarmos por uma indústria mais responsável.

Consumo de roupas de forma mais consciente

Além do surgimento de marcas mais sustentáveis, os brechós são uma aposta para uma moda mais sustentável.

O consumo de roupa cresceu muito nos últimos anos. Especialmente, as roupas fast fashion  (moda rápida).

Durante décadas, diferentes organizações e profissionais vêm trabalhando em alternativas para esse grande problema, e para descobrir novas matérias-primas mais sustentáveis, fórmulas para a redução de substâncias tóxicas na criação de peças de vestuário, processos de produção mais eficientes e menos poluentes, etc.

O objetivo é claro: conseguir controlar os enormes custos sociais e ambientais envolvidos no desperdício desenfreado e perigoso de roupas, que é produto do consumo acelerado do fast fashion.

Ressurgimento dos brechós

Um brechó é apenas um lugar onde você vende itens usados, por isso é algo com o qual você provavelmente já está familiarizado e provavelmente comprou algumas peças. Existem diferentes tipos de brechós, mas a ideia básica é a mesma: reaproveitar as roupas e diversas outras peças!

Reutilizar roupas é uma prática comum. Muitos usavam as roupas de seus irmãos mais velhos, alguns até as de seus pais quando jovens. Algo que ouvimos mais de uma vez da boca de nossos avós ou pais. 

Mas essa que já foi tradição está ganhando cada vez mais interessados. Os brechós tanto físicos, quanto os online estão ganhando força. Existem lojas dedicadas especificamente à venda dessas peças de vestuário, que foram descartadas por pessoas cansadas da peça, roupas que não servem mais ou simplesmente peças que elas compraram por impulso e não querem mais ter. 

Existem até lojas que procuram roupas ‘vintage’ de grandes marcas e as vendem a preços exorbitantes devido ao seu valor na história da moda. E, agora mais do que nunca, os brechós têm ganhado destaque em todo o mundo.

E com uma preocupação crescente com os efeitos da moda rápida no meio ambiente, as pessoas estão adotando os brechós em sua rotina.

Seu bolso ganha e o planeta

Comprando em brechós, além de ser mais sustentável você também economiza.

O que é verdade é que os benefícios de adquirir roupas de brechó não se limitam à parte ambiental, mas também contribuem para a moda e o estilo pessoal. 

Uma vantagem é que, em troca da compra de uma blusa em uma loja de moda rápida, onde haverá centenas de pessoas com a mesma estampa e estilo, comprar uma blusa em brechó garante, em alguns casos peças únicas.

Outra vantagem é que as roupas ‘vintage’ geralmente têm mais qualidade do que as roupas atuais. Algo que não é nada estranho, já que há dez, vinte ou trinta anos as roupas se tornaram um pouco mais conscientes, com materiais menos baratos e mais resistentes. 

A moda rápida e seu modelo de produção baseado na produção em massa e não na qualidade das roupas em si ainda não haviam chegado com força. Isso garante que, mesmo sendo uma peça de segunda mão, em grande parte dos casos, peças de qualidade durarão muito mais tempo.

Famosas apostam em brechó

Gisele Bündchen já afirmou que é fã de brechós.

O fato de realizar compras no brechó está mudando. Para muitos, quando se falava em brechó se tinha aquela imagem de roupas velhas e com odor não muita agradável. Hoje a realidade é outra. Existem muitos brechós famosos, e inclusive famosas fazem compras nele.

Isso também contribuiu com um velho pensamento de que comprar no brechó é para quem não tem condição. Hoje já não é mais.

Consumo sustentável

Atualmente, a indústria têxtil tomou tanta velocidade que enfrentamos uma situação insustentável para o planeta a médio prazo. As alternativas para se vestir de maneira mais sustentável estão cada vez mais sendo adotadas por mais consumidores.

Nas últimas décadas, a produção e o consumo de moda se multiplicaram em um ritmo vertiginoso. As coleções rodam constantemente, são difíceis de garantir condições dignas de trabalho e respeito ao meio ambiente, e as compras tornaram-se uma de nossas formas mais comuns de lazer. 

Diante dessa situação, alguns usuários preferem tomar medidas e se afastar dessa tendência avassaladora.

Vantagens de comprar no brechó

Há inúmeras vantagens de comprar em brechós. Listamos abaixo algumas delas!

REDUZ O DESPERDÍCIO QUE OFERECEMOS AO MEIO AMBIENTE

Comprar em brechó serve para reduzir o desperdício que prejudica o meio ambiente, uma vez que os materiais com os quais as roupas são feitas são considerados poluentes. 

SEU PREÇO É MAIS BAIXO

Nos tempos em que o objetivo é economizar, vamos começar pelas roupas! Todo mundo gosta de ter roupas diferentes no armário, e acreditamos que a melhor maneira de fazer isso é apostar nos brechós, já que preço pode ser mais baixo.

ROUPAS DE MARCA A PREÇOS MUITO BAIXOS

Continuamos enfatizando a questão do preço. Desta vez, vamos nos referir às roupas da marca. Sempre há uma peça de roupa que nos deixa loucos, mas que o preço apenas nos leva de volta. O que aconteceria se você pudesse comprá-lo por um preço muito baixo? A resposta é ” compre roupas de brechó “, simples assim.

ORIGINAL E DIFERENTE

A personalidade de todos é diferente e isso pode se refletir em nossas roupas. No mundo das roupas de brechó você pode encontrar roupas muito diferentes das que não encontra nas lojas habituais. Pode ser divertido apostar em roupas mais originais.

A PESQUISA PODE SER DIVERTIDA

O mundo das roupas de brechó é imenso, portanto quem está apaixonado por ele tem uma tarefa árdua pela frente: procurar a roupa certa. A melhor recompensa que você pode encontrar é uma peça original e incomum, perfeita para nós.

RECICLAGEM

Continuamos na linha de redução de resíduos. É importante estar ciente da reciclagem e não apenas isso, é importante não desperdiçar nada. Portanto, se você tem uma peça de roupa que deseja remover do armário, não a jogue fora para sempre, pois pode ser a peça perfeita para um brechó ou até mesmo para doação.

E você? Também tem o hábito de ir ao brechó? Nos conte a sua experiência.

Boas compras, e com consciência!

Sacolas Plásticas: por que banir elas?

Falamos em outros texto porque começar a reduzir o plástico. No texto de hoje vamos falar sobre as sacolas plásticas. Elas têm sido frequentemente classificadas como um dos produto mais consumidos no planeta, mas alguns países já estão adotando medidas para banir o uso e ela pode estar com os dias contados. 

Muitos países estão debatendo o uso das sacolas plásticas

Quando se fala do movimento ambiental, o debate sobre a sua proibição é cada vez mais difundido em muitas regiões do mundo, e já existem dezenas de países que impuseram proibições parciais ou totais ao seu uso. 

Sacolas plásticas: presente em nosso dia a dia

Os sacos de plástico são, sem dúvida, um dos produtos mais característicos do século XXI. De um produto relativamente estranho, há apenas 30 anos, tornou-se presente em todos os cantos do planeta, como muitos outros produtos plásticos.

Todos os anos entre 500 bilhões e 1 trilhão de sacolas plásticas são usadas em todo o mundo, o que as torna um dos produtos mais consumidos em todo o mundo. 

Também são produzidas mais de 300 milhões de toneladas métricas de plástico, das quais aproximadamente 40 a 50% destinam-se a plásticos descartáveis ​​(garrafas, invólucros, bolsas, etc.). Em geral, o plástico representa 12% dos resíduos sólidos do mundo, portanto, não é difícil imaginar por que sua proibição se tornou um dos principais objetivos do ambientalismo.

Países que já proibiram as sacolas plásticas

Alguns países já implementaram práticas para diminuir o seu consumo.

Até o momento, 127 países já introduziram medidas restritivas ao uso de sacolas plásticas, desde a proibição total a impostos especiais, passando por restrições à sua comercialização. Em 2002, Bangladesh foi o primeiro país a proibir o uso de sacolas plásticas por causa dos problemas que causaram em seus sistemas de drenagem no meio ambiente.

Esse custo econômico, social e ambiental já está sendo sofrido e calculado. Em todos os continentes do mundo, cresce a preocupação com a produção de plásticos. 

Sua redução não é uma tarefa fácil, e há várias razões: mudar hábitos sempre leva tempo, criar consciência sobre produtos que aparentemente tornam nossa vida “mais fácil” também e, além disso, qualquer ação que tende a parar o consumo.

O plástico é uma ameaça direta ao setor de petróleo, que depende do crescimento do setor petroquímico – e da fabricação de plásticos derivados dele – para o crescimento sustentado da demanda de petróleo no mundo.

Na América Latina, estima-se um consumo anual de 24 milhões de toneladas por ano de plásticos. Desse total, os principais consumidores são Brasil e México, onde cada um contribui entre 7 e 8 milhões de toneladas por ano.

A indústria do plástico teve um forte crescimento nas últimas décadas, que foi reforçado com os diferentes usos em que é usado.. É assim que Argentina, Chile e México ocupam os três primeiros lugares do mundo, em consumo de refrigerantes per capita, deixando os Estados Unidos em quarto lugar.

Em outro exemplo, apenas o Chile consome mais de 3.400 milhões de sacolas plásticas por ano, o que é improvável para os quase 20 milhões de pessoas que vivem em seu território.

Esses números são apenas um exemplo de como a indústria do plástico começou a avançar timidamente para se tornar um objeto onipresente que leva milhares de anos para se degradar e gradualmente colonizou oceanos, vales, rios e montanhas, com desastres e consequências para a flora e fauna.

Exemplo na prática

A Alemanha pretende proibir o uso de sacolas plásticas descartáveis ​​que são oferecidas em caixas de armazenamento a partir do próximo ano, de acordo com um projeto do Ministro do Meio Ambiente.

Hoje, existem dezenas de cidades, regiões e países que perceberam o problema que essas trocas representam. E é por isso que eles implementaram regulamentos para reduzir a grande quantidade de resíduos plásticos que geram. Muitos países africanos e asiáticos, como Ruanda em 2008 ou Bangladesh em 2002, já os proibiram.

De fato, o problema das sacolas plásticas é a luta mais significativa que ocorre contra a plasticização do nosso planeta. E esses resíduos têm um tremendo impacto na natureza.

Por que sacolas plásticas poluem tanto?

Dezenas de cidades têm trabalhado em iniciativas destinadas a reduzir o consumo de sacolas.

Tudo começa no momento de sua fabricação. É muito poluente devido à sua grande necessidade de consumo de energia e ao uso de vários produtos químicos tóxicos.

Então, uma vez consumido, seu impacto também é dramático. Flutuando no mar, eles poluem gradualmente as águas e os solos e são responsáveis ​​pela morte de milhares de animais. Por exemplo, as tartarugas marinhas ingerem os sacos confundindo-os com água-viva e, em seguida, não têm capacidade para evacuá-los.

E isso não afeta apenas os animais marinhos. Na capital da Mauritânia, 70% do gado morto é o resultado da ingestão de sacolas plásticas. Obviamente, esta situação tem um impacto direto nas condições de vida da população, bem como na qualidade dos solos e da água.

E a reciclagem?

Por fim, é importante lembrar que a reciclagem de plástico ainda não pode ser considerada uma solução.  Além disso, a reciclagem de sacos plásticos de baixa densidade é muito complicada. 

Muitas vezes elas não são recicladas, mas vão diretamente para os incineradores. Portanto, a questão não é saber qual é a solução para a quantidade abismal de sacolas que usamos, mas encontrar uma maneira de parar de usá-las.

Por isso, em sua rotina você pode optar pelas sacolas de pano. Também conhecidas como ecobag, você as pode levar para todo lugar que vai. É uma opção prática para adotar em seu dia a dia.

A Green Frog tem para venda ecobag e essa pode ser uma escolha sustentável para o seu dia a dia. Elas são reutilizáveis, podem ser facilmente lavadas, e ainda suportam mais peso que as de plástico.

Minimalismo: um conceito de uma vida mais sustentável

Quem já viu o documentário “Minimalism: A Documentary About the Important Things”, disponível na Netflix, deparou-se com uma nomenclatura cada mais vez à tona nas discussões sobre um mundo mais sustentável: minimalismo. Se você não sabe o que é, leia esse texto até o final e entenderá como esse conceito pode mudar o modo como lida com sua vida de uma vez por todas – e para melhor, pode ter certeza!

Cacto, Minimalismo, Planta, Pote, Branco
Minimalismo: um conceito de uma vida mais sustentável

O que é o minimalismo?

Antes de você entender como esse conceito pode impactar – positivamente, diga-se de passagem – na sua vida, é necessário primeiro entender sobre o que se trata, não é mesmo?! Pois bem, papel e caneta nas mãos e anote: minimalismo nada mais é do que a arte de ter menos coisas e aproveitar a liberdade que isso te proporciona. Simples assim!

Veja bem: em um mundo cada vez mais tecnológico, com redes sociais ditando o modo de viver, é inevitável que sejamos bombardeamos de gatilhos por todos os lados. Seja por meio de produtos-desejo em lançamentos ou até por digital influencers, que nos falam como devemos ser e o que devemos ter, não há como fugir dessa realidade consumista hoje em dia.

Com isso, temos o quê? Um mundo de bens materiais estocados em casa, que, muitas vezes, são pouquíssimos utilizados. E o pior – além disso, temos ainda o gatilho de querer consumir sempre mais e mais. A conta nunca fecha!

Fazer Compras, Compras, Moda, Compra, Saco, Venda
Vivemos num mundo onde o consumir sempre mais é a regra da sociedade.

Indo mais a fundo… Desse excesso de consumo, quantas vezes você se sentiu REALMENTE feliz e satisfeito? Quantas vezes você pensou “agora basta”, mas olhou para a grama do vizinho e ela estava mais verde? Quantas vezes você se comparou com o próximo e até sentiu inveja do que ele tinha e você não?! Pois é, a verdade dói, mas ela é nua e crua.

Com isso, todo esse questionamento feito acima fez com que algumas pessoas fossem na contramão do que se prega hoje, indo de encontro com o minimalismo. Ou seja, elas passaram a consumir somente o essencial, tornando sua vida cada vez mais simples e encontrando, de verdade, a felicidade real – que não está baseada em bens materiais.

E como vivem essas pessoas minimalistas?  

Como falamos acima, as pessoas que têm o minimalismo como um estilo de vida optam por viver de maneira simples, consumindo somente o que é fundamental para a sua sobrevivência. Claro que, para sobreviver, existem os momentos de felicidade em que, muitas vezes, implicam em consumir algo. Mas entenda: o objetivo em si não é o bem material, mas sim o momento que o engloba, por exemplo.

No minimalismo, as pessoas vivem mais o ser e não o ter. Elas escolhem valorizar mais o presente e não o futuro. Optam por serem felizes com aquilo que têm e não o invejar o próximo por aquilo que não têm. Em resumo, para os minimalistas, o que importa não é transparecer felicidade e sucesso, mas sim ser de fato feliz e sucedido.

Pôr Do Sol, Crepúsculo, Silhueta, Sombra, Menina
No minimalismo, as pessoas vivem mais o ser e não o ter.

Pensemos juntos nas coisas simples da vida, como fazer as refeições em família, ter conversas com gente desconhecida, descobrindo, assim, novas realidades, comer algo que foi retirado diretamente da sua própria horta… Até colocar os pés na grama e sentir a natureza conta no minimalismo!

No entanto, é claro que, embora o minimalismo seja viver o simples, há coisas mais grandiosas que também são alimentos da nossa alma, como viajar. E isso importa sim para os minimalistas; afinal, é sobre o ser e não o ter. Viajar, por exemplo, nos permite conhecer novos lugares, culturas e até sabores. O que importa aqui é a imersão que a viagem em si proporciona – e não as fotos para o Instagram, entende?

Minimalismo: quero para a minha vida!

A ideia de ser uma pessoa minimalista não parece de todo o mal, né? Aliás, à primeira vista, até parece ser a solução de todos os nossos problemas! No entanto, embora o minimalismo possa resolver diversas questões da nossa vida, é necessário sermos honestos e compreender que não é a coisa mais simples aplicá-lo em nosso dia a dia.

Ao Vivo, Quarto, Arquitetura, Moderna, Janela, Wall
Ser minimalista é um processo difícil, porém compensador.

Mas como tudo que é de bom para a nossa vida não vem fácil, com o minimalismo não seria diferente. É difícil mesmo quebrar alguns paradigmas perante a sociedade e levar uma vida mais simples, indo na contramão do senso comum que a felicidade da nossa vida se baseia no ter e no aparentar ser. Só que, uma vez quebrados, você verá que todo seu esforço valeu a pena!

Como começar com o minimalismo

Para esse seu início na adoção do minimalismo como um estilo de vida, temos algumas dicas básicas que irão lhe ajudar no processo. Bora lá!  

1- Sempre se questione sobre o que seu coração realmente deseja e seja firme nas suas convicções – não dê ouvido aos outros e muito menos satisfações sobre as suas escolhas. A vida é sua e de mais ninguém!

2 – Desapegue-se daquilo que não te acrescenta. Aquele ditado “do que não mata, engorda” não cabe aqui! Aprender a se desapegar de bens materiais que não são mais úteis para você e tenha o mínimo necessário para a sua sobrevivência.

Espanha, Caminho De Santiago, Estrada, Caminho, Passeio
Desapegue-se daquilo que não te acrescenta e viva com o essencial.

3 – Desapegou? O próximo passo é doar tudo que você separou para quem precisa. Com certeza, você se sentirá mais leve, em paz e feliz.  E isso irá ser um estímulo a mais para continuar com o minimalismo na sua vida.

4 – Busque ter mais informações sobre as pessoas minimalistas e busque entender as vantagens do minimalismo na vida delas. Indo a fundo nesse tema, você ficará bastante empolgado e com força de vontade de encarar os desafios para ter uma vida melhor. Uma dica que damos é começar pelo básico, ou seja, pelo documentário “Minimalism: A Documentary About the Important Things”, que está disponível na Netflix.

Tv, Homem, Assistindo, Quartos, Escritório, Moderna
Busque por mais informações sobre o minimalismo e entenda esse estilo de vida.

Prontinho! As dicas estão dadas e agora basta você começar a colocá-las em prática! Vá sem medo na tentativa de fazer com que o minimalismo aja na sua vida. Com certeza, não vai haver um momento que irá se questionar sobre essa acertada decisão!

Lixo zero: um novo conceito para um estilo de vida mais sustentável

Dentre os conceitos que envolvem a sustentabilidade, existe um que está cada vez mais em voga: o do lixo zero. Você já está familiarizado com esse termo? Se não, é bem capaz que logo mais estará, porque o conceito de lixo zero passou a ser um estilo de vida de quem se preocupa cada vez mais com o seu modo de consumir. Bora entender mais sobre o que se trata?

Lixo, Paradise, Sun, Aeronaves, Montanha De Lixo
Lixo zero: um estilo de vida de quem se preocupa com o futuro das gerações.

O que é lixo zero?

Você já parou para pensar na quantidade de lixo que o seu consumo produz? Seja nos industrializados, nas sacolas plásticas, nos restos de alimentos e até no papel higiênico, quase tudo vira lixo. Se não vira, vai pra reciclagem, o que é positivo, porém nem tanto quanto ao lixo zero, já que o processo de reciclagem tem diversos impactos na natureza, como o consumo excessivo de água.

Pois bem, vamos começar o papo partindo do básico, ou seja, sobre o que é lixo zero. O conceito diz respeito ao que justamente todos acreditam que seja ao escutar falar sobre ele: produzir nenhum resíduo possível ou, pelo menos, minimizá-lo o quanto é possível. Parece impossível, não parece?! Mas saiba que não é!

É sim possível reduzir a quantidade de resíduos gerados por nós.

Provas de que isso existe e é real são as diversas pessoas que, preocupadas com o meio-ambiente e o excesso de resíduos jogados na natureza, adotaram o lixo zero como estilo de vida, como é o caso da Cristal Muniz, do blog Uma vida sem lixo. A Cristal, por exemplo, é uma blogueira que é expert no assunto e publica diversas dicas sobre como reduzir o desperdício no dia-a-dia. O seu blog é praticamente uma Enciclopédia sobre o assunto!

Por que adotar esse estilo de vida?

Como deve imaginar, adotar o lixo zero como estilo de vida é um tanto quanto complicado. No entanto, você vai ver que todo esse esforço valerá à pena quando entender os porquês de reduzir o lixo na sua vida. Vamos saber mais?!

1. No Brasil, mais da metade do resíduo segue para os aterros sanitários.

Pense em toda a quantidade de lixo que você junta em um dia. Agora avance esse seu pensamento para meses e anos. Agora multiplica pela população brasileira e, quiçá, pela população mundial. E aí, conseguiu imaginar? É uma quantidade quase que infinita!

aterro sanitário
A quantidade de lixo que vai para o aterro é quase que infinita.

De todo mundaréu de lixo, mais de 50%, só no caso do nosso país, vai para os aterros sanitários. É um crime ambiental, praticamente! Lixos que poderiam ir para uma composteira, gerando material útil às plantas, ou ser reciclados, são desperdiçados e jogados ao meio-ambiente, esperando anos e, muitas vezes, séculos para serem integralmente decompostos.

2. Você começa a consumir de maneira mais consciente e a poupar mais dinheiro

Outro motivo para adotar o lixo zero como estilo de vida é que, além de contribuir com o meio-ambiente de modo em geral, você também contribui para o seu bolso, pois passa a consumir de maneira mais consciente. Como assim?!

Quando você muda o comportamento em relação ao desperdício gerado pelos seus hábitos de consumo, você passa a prestar mais atenção nas suas compras. Perguntas como: “será que vale a pena mesmo comprar aquele produto porque as pessoas X, Y e Z estão usando?” ou “será que eu realmente quero ou PRECISO disso?” começarão a vir com mais frequência à mente… Com isso, você já sabe, né? Diversos nãos serão dados e, assim, você poupará uma quantidade razoável de lixo – e de dinheiro, diga-se de passagem.

3. Você passará a incentiver empresas eco-friendly

Entre incentivar empresas multinacionais que, muitas vezes, pouco se importam com os impactos ambientais gerados por ela ou empresas eco-friendly, que atuam em prol do meio-ambiente, qual você optaria? A resposta nos parece meio clara: a última, não é mesmo?

Natureza, Terra, Sustentabilidade, Folha, Cuidado
Adotando o lixozero como estilo de vida, você incentivará empresas ecofriendly.

Então, com isso, você tem ainda outra motivação para assumir de vez o lixo zero como um hábito da sua vida. Em vez de apoiar grandes marcas, você estará em contato com pequenos empresários, que batalham de maneira árdua para trazer novas soluções a um estilo de vida mais sustentável. Um caso, por exemplo, é a empresa GreenFrog, fornecedora de canudos biodegradáveis e que vai de encontro com o conceito de lixo zero.

Dicas para adotar o lixo zero em sua vida

Como falamos acima, adotar o lixo zero como um estilo de vida não é, nem de longe, das tarefas mais fáceis. Isso porque precisa de planejamento, organização e muita força de vontade para driblar o mercado que insiste no consumo sem freio. Mas, de novo, todo o esforço valerá a pena, pois contribuir com o planeta é sempre a melhor opção!

Adotar o lixo zero como um estilo de vida não é fácil, porém é muito gratificante!

Então, para deixar o trabalho um pouco mais fácil para você, listamos algumas dicas que irão te auxiliar nesse novo comportamento. Lá vão elas:

1. Leve contigo o seu kit zero lixo

Se você tem o costume de ter refeições fora de casa e/ou acaba quase que sempre pedindo marmita, que tal ter em mãos um kit zero lixo, com itens reutilizáveis, como copo, talheres, canudos e até guardanapo de pano? Você deixará de consumir um monte de itens de plástico, que levam séculos para se decomporem na natureza.

2. Cancele os produtos industrializados da sua vida

Vamos ser sinceros: produtos industrializados facilitam a vida, mas não são essenciais – e, o pior, em sua maioria, são prejudiciais à saúde. Então, bora riscá-los em nossas vidas? Se não for possível eliminar de vez, sempre opte por embalagens ou materiais biodegradáveis, como é o caso de algumas marcas de café expresso, das escovas de dente de bambu e até do cotonete de papel!

Cotonetes, Algodão, Branco Bud, Ear Bud, Orelha
Já pensou em passar a usar cotonetes de papel?

3. Bora levar nossas próprias embalagens

Vai à feira? Leve seu saquinho de pano. Vai ao açougue? Leve seu pote de vidro. Vai ao granel? A mesma coisa, leve suas embalagens reutilizáveis. Sobre a ecobag, não precisa nem alertar, né? Já é um item indispensável para quem está ligado na sustentabilidade do nosso planeta.

4. Inove e faça seus próprios produtinhos

Já pensou em você mesmo fazer seu produto de limpeza ou de beleza? Pois é! No estilo de vida lixo zero, é bem possível isso e há diversas receitas espalhadas na internet. Quer mundo melhor do que fabricar para o uso próprio produtinhos que fazem bem à casa, ao corpo e à natureza?!

Faça seus próprios produtinhos – uma ideia é fazer óleos com ervas!

Eis, então, aí acima algumas das pouquíssimas dicas para adotar o lixo zero em sua vida. No entanto, a grande verdade é que o mundo que envolve esse conceito é gigantesco e tem diversas de possibilidades. Pesquise e, principalmente, deixe sua criatividade fluir. Além de fazer um bem danado a você, o mundo ficará bem melhor com esse tipo de atitude!