Horta caseira: tenha uma em casa e faça do seu lixo o melhor amigo de suas plantas

Em um Brasil com a lista de agrotóxicos permitidos na agricultura só aumentando, ter uma horta caseira passou a ser uma questão a quem se preocupa em consumir menos venenos. Seja uma hortinha de temperos, vegetais, legumes e, por que não?!, frutíferas, produzir o próprio alimento é uma experiência que todos deveriam ter. E o melhor: o seu lixo pode se tornar seu melhor amigo nessa jornada. Saiba mais!

Legumes, Jardineiro, Horta
Horta caseira é uma ótima aliada a quem deseja fugir dos agrotóxicos ingeridos por meio da alimentação

Horta caseira: por que ter uma?!

Além de ser incrível a sensação de produzir o próprio alimento, ter uma horta caseira só há benefícios. Você passa a ter maior contato com a natureza, observando todo o ciclo de vida daquilo que irá futuramente ao seu prato. Desde a muda até o amadurecimento, você acompanha todo o processo, criando laços com sua planta – o que torna tudo tão mais prazeroso.

Desse laço afetivo criado, você também passa a prestar mais atenção no que ingere. Ou seja, ter sua própria horta caseira faz com que você se alimente melhor e ainda comece a buscar por produtos alimentícios de maior qualidade. Resultado: mais saúde na sua vida. E quem não quer isso, não é mesmo?!

Horta, Jardim, Jardinagem, Bloom, Plantas, Pá, Areia
Com certas artimanhas, é possível ter sua horta caseira a de maneira mais simples e fácil.

No entanto, embora muitos desejem ter seu cantinho de alimentos orgânicos, há uma grande parcela daqueles que ficam apenas na ideia. Isso porque há quem acredita que produzir seu próprio alimento vai lhe proporcionar uma demanda de trabalho que não é possível encaixar no dia-a-dia. Sim, isso pode ser verdade, mas há algumas artimanhas que torna tudo mais fácil.

Os grandes aliados para quem não tem tempo

Embora a ideia de produzir o próprio alimento possa proporcionar uma imagem um tanto quanto trabalhosa, ela não é tão verdadeira assim. Sim, cuidar da sua horta caseira necessita um pouquinho de sua atenção, mas, como já dissemos, com certas artimanhas é possível ter suas verdinhas em casa de maneira mais simples.

Por exemplo, um grande aliado a quem não tem tempo é o vaso autoirrigável. Pois é! Como o nome próprio já diz, o vaso possui uma estrutura que ele mesmo proporciona água à horta caseira conforme a sua demanda. Ou seja, o único trabalho que você terá é encher o recipiente de água desse vaso, em média, a cada semana e depois é só ficar de olho. Não tem mais fácil!

Outro grande aliado é ter em casa os verdinhos que praticamente cuidam de si só, como é o caso da grande maioria dos temperos. Além de durar por mais tempo, eles são bem mais resistentes e menos sensíveis às mudanças de clima, de exposição de sol e dentre tantas coisas que interferem diretamente no sucesso de uma horta caseira. Mas não fique triste se um dia eles forem embora: assim como todo ser vivo, os temperos também nascem e morrem.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é flowerpot-2545368_960_720.jpg
Os temperos é um ótimo verdinho para quem deseja começar a horta caseira e não tem tempo.

Enfim, embora haja uma lista grande de aliados a quem não tem tempo de cuidar da horta caseira, como é o caso do vaso autoirrigável e da escolha certa dos verdinhos, há um que fará toda a diferença nesse processo de produção do próprio alimento. Eis que lhe apresento a composteira!

Fazendo do seu lixo o melhor amigo da sua horta caseira

Nós já falamos da compostagem nesse artigo aqui, mas é preciso reforçar a importância desse processo, principalmente a quem deseja ter uma horta caseira. Isso porque, além de diminuir os resíduos gerados, você transformará o seu lixo em um adubo incrível para as suas plantas. Ou seja, você não deixa lixo para o mundo e, ainda, ganha um super aliado para a sua hortinha orgânica.

Mas antes de entender como funciona a compostagem, é preciso começar pelo básico. Só assim você entenderá o porquê do aderir a essa ideia de vez, principalmente se quiser realmente cair no mundo da horta caseira. Então, vamos lá!

Adubo, Jardim, Resíduos, Bio, Natureza
Composteira: amiga do meio-ambiente e da sua horta caseira

A primeira coisa que precisa saber para ter sucesso na sua hortinha é que ela precisa de, basicamente, sol, água e de uma alimentação especial de tempos em tempos. Essa alimentação, no caso, é o adubo, que pode ser de diversas formas: NPK, bokashi, húmus de minhoca, farinha de osso e por aí vai. Uma das opções, no entanto, é a terra produzida pela compostagem de seu próprio alimento.

E como isso funciona? Simples! Basta separar todo o seu lixo orgânico, incluindo cascas de ovos, e colocá-los em uma composteira feita especialmente para isso. Para acelerar o processo, um bom aliado são as minhocas californianas, que irão se alimentar desse resto de alimento e defecar, gerando o húmus de minhoca. Parece nojento, mas saiba que é um dos melhores adubos existentes!

Depois de uns dois meses em média, adicionando sempre seu resíduo orgânico à composteira e mexendo a mistura em seguida, você terá o seu próprio adubo. Ou seja, além de economizar dinheiro, você também economizará tempo, já que não será necessário ir a nenhuma área loja especializada em jardinagem. O alimento da sua horta caseira será produzido em sua própria casa!

Minhocas californianas
AS minhocas californianas auxiliam no processo de compostagem

Aí o resto é tão simples quanto. Basta colocar esse solo rico em nutrientes em cima da terra da sua horta caseira, regar e voilá! Sua hortinha estará devidamente alimentada e cuidada, sem grandes trabalhos. Ah, e não se esqueça: somente resíduos orgânicos, tá?! Nada de colocar restos de animais ou derivados de, a não ser pela casca de ovo; afinal, ninguém quer atrair bichos não desejados, não é mesmo?!

Seja feliz com sua horta caseira

Ter uma horta caseira, produzindo seu próprio alimento, é, além de um ato de “rebeldia” à indústria do agrotóxico, o maior ato auto cuidado que você poderia ter. Ingerir aquilo que suas próprias mãos produziram com muito zelo é ingerir saúde, mas é principalmente ingerir amor próprio. Sendo assim, embarque de vez na ideia da horta caseira e seja feliz! Seu corpo lhe agradece!

Consumo de plástico no seu dia-a-dia: por quê e como reduzir?

Não há como negar: o consumo de plástico na sociedade atual está atingindo níveis alarmantes. Pra entender a dimensão do que estamos falando, olhe bem ao seu redor e analise os produtos comprados nos últimos tempos. Praticamente tudo possui ou está envolvido por muito, mas muito plástico… E pra onde tudo isso vai parar?!

O consumo do plástico é um dos maiores vilões do meio-ambiente
O consumo do plástico é um dos maiores vilões do meio-ambiente

Consumo de plástico: uma péssima escolha ao meio ambiente

Você sabia que quase todo o lixo que entope os oceanos é composto por plásticos que consumimos, como sacolas, garrafas PET, canudos e tampinhas?! E que, segundo os dados da ONU Meio Ambiente, em torno de 8 milhões de toneladas de plásticos vão parar nas águas?! Não à toa, o plástico é considerado o principal vilão da poluição marinha. Mas ele faz jus à má fama!

Pra se ter ideia, a situação é tão grave que se estima haver mais plástico do que peixes até 2050 se mantivermos o seu consumo nos níveis altíssimos de hoje em dia. Ou seja, daqui a quase trinta anos, nossos oceanos não serão como os que conhecemos. É um desastre ambiental que, provavelmente, a maioria de quem lê esse texto irá presenciar. Já parou para pensar nisso?! Pois é!

Plástico nos mares
Até 2050, estima-se que haverá mais plástico do que peixes em nossos oceanos.

Na Indonésia, por exemplo, a situação é extremamente crítica. Quem pensa no país e em suas belezas naturais, não deve sequer imaginar que ele é o segundo maior poluidor de plástico do mundo! São 1,29 milhão de toneladas de lixo é despejado pelo país no oceano todos os anos. U-hum, você leu bem: T-O-D-O-S os anos!

A dimensão do problema que o país enfrenta é tão grande que não há quem não se choque com o vídeo abaixo, gravado pelo Rich Horner. Nele, o mergulhador revela o triste cenário que encontrou na ilha de Lembongan, localizado na Indonésia. É assustador de ver a quantidade de plástico que existe em alto mar!

Consumo de plástico na Indonésia: o triste cenário da ilha de Lembongan

Ah, e é sempre bom lembrar que esse não é um problema exclusivo da Indonésia, tá?! Qualquer país, inclusive o nosso, está sujeito a essa tragédia se a quantidade do consumo do plástico não for reduzido.

E ainda tem mais!

Além da questão da poluição dos oceanos, o plástico também é prejudicial em diversos outros aspectos. Um deles tem a ver com a nossa própria saúde, você sabia? Algumas substâncias usadas na fabricação do canudo plástico, por exemplo, são cancerígenas — mesmo que sejam rotulados como “livres de BPA”, o Bisfenol A. Ou seja além de fazer mal ao meio-ambiente, também causa danos a nós mesmos!

E precisamos também entrar no mérito de sua decomposição, que demora anos e anos – mais especificamente em torno de 400 anos. Ou seja, são 4 séculos para que o plástico desapareça de vez do mundo! Se você jogar hoje um produto plástico no lixo, é capaz que ele exista até seus tataranetos envelhecerem. Chega a ser assustador, não chega?

Por fim, mas não menos importante, é sobre a reciclagem do material. De todo o consumo plástico no Brasil, apenas 1% é reciclado. Praticamente nada! Então não adianta ficar consumindo produtos com plástico pensando na reciclagem, pois apenas uma porcentagem insignificante será reaproveitada. Fica obviamente claro que o importante mesmo é tirar de vez o consumo do plástico de nossas vidas – ou, pelo menos, tentar reduzir a sua presença em nosso dia-a-dia.

Pequena porcentagem de plástico é reciclada no Brasil
Apenas 1% do plástico consumido no Brasil é reciclado. O que fazer?

Resumindo: por tudo o que já falamos, você conseguiu perceber que a questão do consumo do plástico é realmente um fator preocupante, certo? Pois então, você deve estar se perguntando: “e agora?! O que fazer para diminuir esse vilão do meio-ambiente da minha vida?!” Calma que a gente te conta!

Como reduzir o plástico em nosso dia-a-dia?!

Seja nas embalagens dos produtos que você compra, seja no canudo ou nos talheres descartáveis, seja na sacola plástica do supermercado, seja até mesmo no cotonete: o plástico está, definitivamente, em todo lugar! Então, fica a pergunta: como combater esse mal?

O grande primeiro passo para diminuir é tomar consciência de onde ele vem no seu dia-a-dia. Questione onde é possível reduzir o consumo de plástico na sua rotina. É trocando a sacola plástica por uma ecobag ou dispensando o canudo nos restaurantes se ele não for biodegradável?! Ou, quem sabe, é usando cotonetes com haste de papelão?! As possibilidades são inúmeras!

Repare que esses exemplos são pequenas mudanças que não impactam diretamente no seu estilo de vida, mas que já é de grande valia ao meio-ambiente! Aos poucos, você vai se tornando mais observador e crítico e, com certeza, passará a fazer melhores escolhas que envolvem o consumo de plástico.

Reduzir o consumo de plástico
É possível reduzir o consumo de plástico em nosso dia-a-dia com pequenas mudanças.

Se você sabe por onde começar, fique tranquilo! Pra te facilitar a vida no começo dessa caminhada de conscientização quanto ao consumo de plástico, listamos 5 dicas para serem colocadas em prática hoje mesmo. Bora lá?!

1) Tchau, tchau canudos de plástico

Canudo de plástico é a coisa mais simples de se tirar. Diversas empresas, preocupadas com a questão ambiental, vêm trazendo essa alternativa, como é o caso da GreenFrog, que fornece canudos biodegradáveis. Ou seja, você nem precisa tirar o costume de usar canudo na sua vida, basta fazer a troca por um produto que será decomposto em pouquíssimos meses – e não em 400 anos, como é o caso do plástico.

2) Cancele as sacolas plásticas da sua vida

Outro item completamente dispensável na nossa vida é a sacola plástica. Adquira uma ecobag que você goste ou um carrinho de feira e fale não convicto quando for às compras. Não deixe o feirante te convencer a levar os legumes em sacos plásticos, hein?

Ecobag ou carrinho de feira ao fazer compras
Leve sempre com você sua ecobag ou carrinho de feira ao fazer compras

3) Torne o seu banheiro mais sustentável

Já reparou que o consumo do plástico está inclusive nos pequenos detalhes? Dois exemplos, inclusive, estão no seu banheiro: a escova de dente e o cotonete. Pois é! Então, que tal trocar a escova plástica por uma de bambu, que é biodegradável, e o cotonete por um que seja feito de papelão?! O bolso não pesa com essa pequena mudança e o mundo agradece!

4) Compre a granel

Esse talvez não seja a dica mais fácil de todas, mas, com certeza, é uma ótima tanto para o meio-ambiente como para as suas finanças. Comprar a granel, além de ser mais barato, faz com que você deixe de consumir produtos embalados com plástico. Bem simples assim!

5) Leve contigo o seu kit zero lixo

Tem refeições fora de casa e/ou acaba quase que sempre pedindo marmita? Então que tal adquirir um kit zero lixo, com copo reutilizável, talheres, canudos e até guardanapo de pano? Além de reduzir o lixo em geral, reduzirá também o consumo de plástico consideravelmente. E o melhor: há diversas empresas que fabricam estojos com esses itens em tamanhos bem ok para serem levados contigo para qualquer lugar. Bacana, não?!

Garrafas térmicas também são ótimas opções para serem levadas com você

E aí, as 5 dicas foram dadas e já está mais do que na hora de tentarmos ao máximo reduzir o consumo de plástico, não é mesmo?! Então, que tal começar já e fazer do nosso mundo um lugar mais positivo para o meio-ambiente? Suas próximas gerações agradecem!